Nordeste luta por vacinas enquanto governo Bolsonaro cria obstáculos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Foto: Site do PT

Apesar de todos os obstáculos que o governo Bolsonaro tem colocado para a importação da vacina Sputnik V, os governadores do Nordeste e de outras regiões do país continuam mobilizados pela imunização da população. Na quarta-feira (21), o Consórcio Nordeste fez reunião com o Fundo Soberano Russo para garantir que a entrega do primeiro lote, com 1,1 milhão de doses, chegue ao Brasil no próximo dia 28.

Os governadores do Nordeste fecharam, em setembro do ano passado, a compra de 37 milhões de doses da Sputnik V, compradas por um preço US$ 2 mais barato que o negociado pelo governo Bolsonaro por meio de intermediadores. As vacinas já poderiam ter imunizado completamente mais de 18 milhões de pessoas (mais que o dobro do total que já recebeu duas doses na região). A Anvisa, no entanto, atrasou a autorização da vacina e, só depois de uma exaustiva negociação com os governadores, permitiu a importação inicial de 1,6 milhão de doses.

No entanto, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, criou uma nova dificuldade ao gerar dúvidas sobre a inclusão da vacina no Programa Nacional de Imunização (PNI), em audiência na segunda-feira (20), na Câmara dos Deputados. Segundo Queiroga, o país já teria doses “suficientes” para imunizar todos os adultos até o fim do ano. Os governadores do Nordeste prontamente reagiram e enviaram um ofício ao ministro questionando a afirmação e pedindo uma posição formal da pasta sobre a inclusão da Sputnik V no PNI.

“Segundo dados do próprio Ministério da Saúde, estão vacinados com duas doses aproximadamente 34 milhões de pessoas em todo o Brasil, correspondente a tão somente 15,98% da população, menos do que o quantitativo total da vacina Sputnik-V adquirida”, lembra o Consórcio Nordeste no documento, assinado pelo presidente do grupo, o governador do Piauí, Wellington Dias (PT). “Nesse sentido é que surpreende a informação repercutida na mídia nacional de que Vossa Excelência teria afirmado que a vacina Sputnik-V não é mais necessária, possuindo o país quantitativo suficiente de vacinas adquiridas”, completa.

Foto: Divulgação

Além do ofício, os governadores do consórcio agendaram para a quarta-feira reunião com o presidente do Fundo Russo, Kirill Dmitriev. A ele os governadores pediram para que, apesar do impasse criado pelo Ministério da Saúde, fosse mantida a previsão de entrega das primeiras doses no dia 28. “O esforço dos governadores do Brasil para que a gente tenha mais vacina tem sido uma corrida de obstáculos! A gente vence um obstáculo e aí aparece outro obstáculo. Ora é a Anvisa, ora é uma posição do Ministério da Saúde como aconteceu agora”, lamentou Wellington Dias. “Nós pedimos para que ficasse mantido o cronograma de entrega para que a gente possa rapidamente assegurar mais vacinas e salvar vidas no Brasil”, completou.

Pelo Twitter, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), classificou essa série de obstáculos como algo “incompreensível, de causar indignação”. “A vacina Sputnik, que nos antecipamos e contratamos em setembro do ano passado, poderia acelerar muito mais os números de vacinação. Infelizmente, com a demora da aprovação pela Anvisa, receberemos, inicialmente, apenas parte delas nos próximos dias”, escreveu no domingo (19).

Por PT Nacional

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Postagens recentes

CADASTRE-SE PARA RECEBER MAIS INFORMAÇÕES DO PT NA CÂMARA

Veja Também