Comissão aprova projeto de Nilto Tatto que cria a Política Nacional para População em Situação de Rua

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Padre Julio trabalha com populações de rua em São Paulo. Foto: Luciney Martins/O São Paulo

A Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU) da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (9) o projeto de lei (PL 5740/2016), de autoria do deputado Nilto Tatto (PT-SP), que estabelece direitos e cria a Política Nacional para a População em Situação de Rua. Para o autor da proposta, o projeto relatado no colegiado pelo deputado José Ricardo (PT-AM), será um importante instrumento de resgate da dignidade desse segmento da população.

“Esse PL será um importante mecanismo para o planejamento, a formulação e implementação de políticas públicas voltadas às pessoas que vivem nas ruas do nosso País, e será um guia para ações em estados e municípios no acolhimento dessas populações”, disse Nilto Tatto por meio de suas redes sociais.

A proposta garante à população em situação de rua todos os direitos fundamentais inerentes a pessoa humana, inclusive o usufruto e permanência na cidade e preservação de sua saúde física, mental em condições de liberdade e dignidade. Entre outros pontos, o projeto garante a essa população a posse de seus bens e pertences pessoais necessários à sua sobrevivência, a exemplo de cobertores, roupas, alimentos, medicamentos e documentos de identificação. O projeto veda ao Poder Púbico o recolhimento forçado desses bens e pertences.

O projeto de Nilto Tatto também proíbe a discriminação contra a população em situação de rua em qualquer atendimento público ou privado, e considera violência qualquer ação ou omissão praticada em local público ou privado que cause morte, dano ou sofrimento físico ou psicológico contra essa população.

Deputado Nilto Tatto. Foto: Gustavo Sales/Câmara dos Deputados

Deputado Zé Ricardo. Foto: Gustavo Bezerra/Arquivo

Assegurar direitos

A proposta também determina que o Poder Público assegure a população em situação de rua o direito à vida, à saúde, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária por meios de ações e políticas públicas específicas. Segundo o projeto, a sociedade civil – por meio de entidades, fóruns e organizações da população em situação de rua – deve participar na elaboração, acompanhamento e monitoramento dessas políticas públicas.

Agradecimentos

Além de agradecer o relator da proposta na CDU, deputado José Ricardo, pelo substitutivo aprovado, Nilto Tatto fez referência ainda à contribuição do Padre Júlio Lancelotti, “que tanto contribuiu para o texto do PL que foi votado”, ao vereador Eduardo Suplicy (PT-SP), “figura fundamental no processo de mobilização para a construção do projeto”, e ao Movimento Nacional de População em Situação de Rua, “decisivo na participação social dos beneficiários do projeto em sua formulação”.

Héber Carvalho

 

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Postagens recentes

CADASTRE-SE PARA RECEBER MAIS INFORMAÇÕES DO PT NA CÂMARA

Veja Também