Home Portal Notícias Coronavirus Núcleo de Educação do PT debate fortalecimento do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária

Núcleo de Educação do PT debate fortalecimento do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária

8 min read
0

O Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera) foi pauta dos debates nesta segunda-feira (26), na reunião do Núcleo de Educação e Cultura do Partido dos Trabalhadores no Congresso. A coordenadora do colegiado, deputada federal Professora Rosa Neide (MT-PT) convidou a professora da Universidade de Brasília (UNB), Clarice Santos, o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), Antônio Lacerda e o representante da Direção Nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Erivan Hilário, para falarem sobre a realidade atual do programa.

A professora Clarice informou que o Pronera completou 23 anos sob uma conjuntura de desmonte e cortes de orçamento. “O programa foi criado em 1998, mas sem orçamento. Somente nos governos Lula e Dilma que o Pronera passou a ter orçamento chegando à R$ 70 milhões de investimento nos cursos de alfabetização, formação básica e superior para os filhos dos trabalhadores dos assentamentos da reforma agrária”, disse.

Clarice informou que desde o golpe contra a presidenta Dilma, em 2016, o Pronera vem sofrendo sucessivos cortes orçamentários “visando extingui-lo por inanição”. “O orçamento previsto para este ano é de apenas R$ 22 mil. Irreal para sustentar os 22 cursos que ainda resistem”, disse Erivan Hilário.

O presidente da Contag informou que há demanda nos assentamentos pela abertura de mais 100 cursos, mas impossível de se concretizar devido a política de desmonte praticada pelo governo federal. “O sonho dos filhos da reforma agrária está sendo interrompido”, lamentou Antônio Lacerda.

Clarice Santos citou que devido a articulação do Fórum Nacional de Educação do Campo (Fonec), junto à Frente Parlamentar em defesa da Educação no Campo foram destinadas cerca de R$ 1,5 milhão em emendas parlamentares para continuidade do programa. “Voltamos a 1998, quando não havia orçamento e o Pronera sobrevivia de emendas. Essa é nossa luta, resistir para não deixar o programa acabar”, informou.

Professora Rosa Neide agradeceu aos palestrantes e sugeriu que os deputados se reúnam com as Superintendências Regionais do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) de seus respectivos estados, para dialogar sobre a realidade do programa. “É importante fazermos gestão nessas unidades pois são elas que possuem a atribuição sobre o Pronera. Como estão os cursos? Qual o orçamento? Para que saibam que o Parlamento está acompanhando e fazendo gestão pelo fortalecimento dessa política”, disse.

O deputado Padre João (PT-MG) destacou que o Núcleo de Educação, em parceria com a Frente Parlamentar, pode fazer uma busca dos projetos de lei que tramitam na Câmara e ameaçam o Pronera, bem como dos PLs que buscam o fortalecimento da educação no campo. “Precisamos somar forças junto à Frente para defender essa importante política pública”, disse.

Estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) aponta que o Pronera já formou mais de 200 mil camponeses em todos os graus (da alfabetização à pós-graduação). “Temos base formada vivendo nas áreas de reforma agrária em todo o Brasil”, disse a professora Clarice Santos.

Aulas presenciais

Durante a reunião o assessor técnico da Bancada do PT no Senado, Bruno Costa, informou que o projeto de lei (PL 5595/2021) aprovado semana passada na Câmara, já foi pautado para apreciação no plenário pelos senadores, na próxima quinta-feira (29). O projeto determina o retorno imediato das aulas presenciais nas escolas brasileiras, sem que todos os profissionais da educação estejam vacinados e vacinadas contra a Covid-19. O relator da matéria será o senador Marcos do Val (Podemos-ES).

Rosa Neide citou a importância de entidades como a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e demais organizações se mobilizarem fortemente para derrotar o projeto. Ela ainda sugeriu o agendamento de reunião das entidades e dos parlamentares com o relator, na tentativa de efetuar mudanças no texto que não foram possíveis na Câmara.

A reunião do Núcleo de Educação contou ainda com a participação dos deputados Rogério Correia (PT-MG), Reginaldo Lopes (PT-MG), Waldenor Pereira (PT-BA) e Pedro Uczai (PT-SC), além de representantes da União Nacional dos Estudantes (UNE) e da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes).

Assessoria Parlamentar

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Arquivamento de investigação de atos antidemocráticos: “Bandidos se articularam para corroer nossa democracia”

Pelas redes sociais, parlamentares da Bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara se mo…