Home Portal Notícias Coronavirus Bolsonaro está na contramão de países desenvolvidos ao tentar privatizar os Correios, afirma Zé Neto

Bolsonaro está na contramão de países desenvolvidos ao tentar privatizar os Correios, afirma Zé Neto

6 min read
1

O vice-líder do PT, deputado Zé Neto (BA), afirmou que o governo Bolsonaro anda na contramão do mundo – principalmente dos maiores países e alguns dos mais ricos – ao priorizar o desmonte de estruturas públicas ao invés de fortalecer a presença do Estado na indução do desenvolvimento. Segundo o parlamentar, o mais recente exemplo dessa política atrasada é a proposta de privatização dos Correios, serviço que em outras grandes nações está sob controle do Estado.

“Nos vinte países com maior território o serviço postal é prestado por uma organização pública. E o mais recente caso de privatização, em Portugal, nos mostra como a sociedade pode ser negativamente afetada: após a privatização, os preços subiram muito e o atendimento piorou; só lucraram mesmo os rentistas que participaram do leilão. Agora a população vai às ruas para pedir a reestatização da empresa”, explicou Zé Neto.

O petista disse ainda que o controle do serviço postal pelo Estado “é estratégico e importante demais para ser tratado apenas como mera alienação de um ativo para rentistas, o que seria desastroso para os brasileiros”. Como exemplos da importância dada por governos de países ricos a esse serviço, Zé Neto citou os casos do Correio estatal francês, que no Brasil é dono da JadLog (empresa de logística especializada em entrega de encomendas), e do Correio alemão, de economia mista, dono da DHL (empresa de transporte e entregas), ambas sob controle estatal.

De acordo com o parlamentar, a proposta de privatização também é arbitrária porque nem mesmo foi debatida com o Congresso Nacional e a sociedade. Ele observou ainda que o projeto que prevê a privatização foi apresentado antes mesmo da conclusão dos estudos – até agora sigilosos – que deveriam apontar novos rumos para os Correios.

“Além disso, há sólidos argumentos indicando que não se deve mexer no correio brasileiro. A empresa tem produzido lucros nos últimos anos, mesmo não sendo esse seu objetivo. Gera milhares de empregos diretos e indiretos, os quais abrangem também cerca de 1.000 agências franqueadas e centenas de transportadoras que levam carga postal Brasil afora”, observou.

Para o deputado Zé Neto, o governo Bolsonaro deveria no momento estar focado no combate à pandemia e não em privatizar uma empresa pública que atende a todo o País.

“Os Correios, estrutura pública federal mais presente no País, tem um papel muito importante de continuar ajudando as pessoas a receber suas correspondências e encomendas, inclusive remédios nas regiões mais remotas e menos assistidas. A ECT tem também papel estratégico para as empresas que atuam no segmento de comércio eletrônico e exerce também um papel central na integração nacional”, disse.

Prioridade para vacinação

O parlamentar petista apresentou nesta segunda-feira (19) projeto de lei (PL 1441/2021) que inclui bancários, profissionais de limpeza urbana, pessoas com comorbidades e com transtorno do espectro autista no grupo considerado prioritário no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19.

Na justificativa da proposta, Zé Neto destaca que profissionais que não podem trabalhar remotamente (bancários e profissionais de limpeza urbana) e brasileiros e brasileiras mais suscetíveis aos efeitos do contágio (pessoas com comorbidades e com transtorno do espectro autista), devem constar nos grupos prioritários para que se atinja no País a equidade na assistência à saúde.

Héber Carvalho

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Lactantes pela Vacina: duas vidas salvas

Por Alexandre Padilha   No início do mês de maio soube pelas redes sociais do movimen…