Home Portal Notícias Coronavirus Bolsonaro institucionalizou a propagação do coronavírus; petistas reforçam pedido de impeachment

Bolsonaro institucionalizou a propagação do coronavírus; petistas reforçam pedido de impeachment

10 min read
0

O presidente Jair Bolsonaro executou uma “estratégia institucional de propagação do coronavírus”, que já ceifou a vida de mais de 212 mil brasileiros. A conclusão é do estudo realizado pelo Centro de Pesquisas e Estudos de Direito Sanitário (Cepedisa) da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da Universidade de São Paulo (USP) e da Conectas Direitos Humanos, que lançaram nesta quinta-feira (21) uma edição especial do boletim Direitos na Pandemia – Mapeamento e Análise das Normas Jurídicas de Resposta à Covid-19 no Brasil. A USP e a Conectas analisaram 3.049 normas federais produzidas em 2020.

“Isso é muito grave. Bolsonaro atuou deliberadamente para propagar a pandemia no Brasil, não foi incompetência nem ignorância. Houve um plano executado com eficácia, segundo essa pesquisa. Só impeachment para nos salvar”, afirmou a presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR).

Gleisi anunciou ainda que a Bancada do PT vai propor que os pesquisadores da USP sejam convidados para apresentarem os resultados da pesquisa na Comissão Mista Especial do Congresso que trata da Covid-19 e a todos parlamentares interessados. “Essa pesquisa já foi considerada neste último pedido de impeachment apresentado pela Oposição”, acrescentou a deputada.

Mapa da Covid no Brasil

“Nossa pesquisa revelou a existência de uma estratégia institucional de propagação do vírus, promovida pelo governo brasileiro sob a liderança da Presidência da República”, diz um trecho do documento revelado com exclusividade pelo jornal El País. Desde março de 2020 as entidades se dedicam a coletar e esmiuçar as normas federais e estaduais relativas ao novo coronavírus.

A análise da produção de portarias, medidas provisórias, resoluções, instruções normativas, leis, decisões e decretos do governo federal, assim como o levantamento das falas públicas do presidente, desenham o mapa que fez do Brasil um dos países mais afetados pela covid-19.

Há intenção, há plano e há ação sistemática nas normas do governo e nas manifestações de Bolsonaro, segundo aponta o estudo. “Os resultados afastam a persistente interpretação de que haveria incompetência e negligência de parte do governo federal na gestão da pandemia. Bem ao contrário, a sistematização de dados, ainda que incompletos em razão da falta de espaço na publicação para tantos eventos, revela o empenho e a eficiência da atuação da União em prol da ampla disseminação do vírus no território nacional, declaradamente com o objetivo de retomar a atividade econômica o mais rápido possível e a qualquer custo”, afirma o editorial da publicação.

Impeachment já

 A deputada Maria do Rosário (PT-RS), que já foi ministra dos Direitos Humanos, considerou “gravíssimo”, o resultado dos estudos. “O nosso País não pode continuar convivendo com um governo de perspectiva genocida em relação à população, defendendo a falsa tese de ou saúde e a vida ou a economia. Não salvou nem uma nem outra, abandonando as pessoas à própria sorte. Impeachment Já”, defendeu em suas redes sociais.

E o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, deputado Helder Salomão (PT-ES) questionou o que falta para o Impeachment de Bolsonaro. “Muito grave. Pesquisa da Faculdade de Saúde Pública da USP revela que Bolsonaro executou uma “estratégia institucional de propagação do coronavírus”. O que mais falta pra sair esse impeachment? Pedaladas fiscais?”, ironizou.

Pedido de impedimento do presidente Bolsonaro foi reforçado pelo líder da Minoria na Câmara dos Deputados, deputado José Guimarães (PT-CE) “O impeachment é o mínimo que Bolsonaro merece”, enfatizou.

Leia mais reações dos parlamentares ao resultado da pesquisa:

 Airton Faleiro (PT-PA) – “Eu disse aqui, não foi uma vez não, várias, que Jair Bolsonaro agia de caso pensado, ou seja, deliberadamente contra todas as formas de controle da pandemia. Bingo, não deu outra: o que falei agora é comprovado por pesquisa”.

Afonso Florence (PT-BA) – “Bolsonaro, genocida! Impeachment já! Fora Bolsonaro”.

Bohn Gass (PT-RS) – Bolsovírus. Pesquisa revela que Bolsonaro executou uma “estratégia institucional de propagação do coronavírus”. Impeachment Já”.

Erika Kokay (PT-DF) – “Genocida. Pesquisa da Faculdade de Saúde Pública da USP revela que Bolsonaro executou uma “estratégia institucional de propagação do coronavírus”. “Havia plano, intenção e ação sistemática nas normas para propagar o vírus c/ objetivo de retomar a economia”, afirma o estudo”.

Joseildo Ramos (PT-BA) – “Jair Messias Bolsonaro é o maior aliado do vírus. Não é apenas inconsequência, irresponsabilidade. É ação deliberada de um chefe de estado que utiliza o seu poder para propagar o #coronavirus. Quer motivo maior para impeachment? Fora Bolsonaro”.

Leo de Brito (PT-AC) – “Isso se chama genocídio. Tribunal Penal Internacional já”.

Odair Cunha (PT-MG) – “estratégia institucional de propagação do coronavírus” = Genocídio”.

Rogério Correia (PT-MG) – “Uma trama de horror. Vale a leitura e com toda a atenção: estudo publicado com exclusividade pelo El País mostra que Bolsonaro adotou “estratégia institucional de propagação do vírus” da covid. Análise da USP sobre 3.049 normas federais em 2020”.

Reginaldo Lopes (PT-MG) – “Bolsonaro é o melhor amigo da pandemia! Pesquisa mostra como a propagação da Covid-19 no Brasil foi facilitada pelo governo de forma intencional e institucional. Uma atuação criminosa contra o povo brasileiro”.

Lorena Vale com El País

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

PT defende mais debate sobre a imunidade parlamentar e votação da PEC das Prerrogativas fica para esta sexta-feira

Depois de mais de cinco horas de debate no plenário da Câmara, ficou para esta sexta-feira…