Home Portal Notícias Coronavirus Parlamentares do PT apontam Bolsonaro e Pazuello como os principais responsáveis pela tragédia em Manaus

Parlamentares do PT apontam Bolsonaro e Pazuello como os principais responsáveis pela tragédia em Manaus

15 min read
0

Deputados e deputadas da Bancada do PT na Câmara manifestaram nesta quinta-feira (14) revolta e indignação com a falta de oxigênio registrada em vários hospitais de Manaus (AM), e que já ocasionou a morte de vários pacientes internados com Covid-19. Em dezenas de mensagens postadas no Twitter, os parlamentares petistas apontaram a irresponsabilidade e a incompetência do governo Bolsonaro, principalmente do Ministério da Saúde, como as principais causas da tragédia. Segundo informações divulgadas pela imprensa, em apenas um hospital 28 pacientes teriam morrido por falta de oxigênio.

Em uma série de tuítes, o deputado e ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha (PT-SP) disse que o colapso da saúde em Manaus era uma tragédia anunciada. Ele lembrou que o ministro da Saúde de Bolsonaro, general Eduardo Pazuello, esteve na cidade recentemente para acompanhar a explosão de casos e mortes pela covid-19 na capital e prometeu que garantiria tudo o que fosse necessário.

“Mentira. Centenas de pessoas aguardam leitos, quando conseguem, não tem oxigênio. Quem ajuda é o Consórcio do Nordeste que acolhe pacientes de Manaus. Onde está Bolsonaro para prestar auxílio nessa crise ao invés de exigir que médicos receitem remédios sem eficácia?”, indagou.

Padilha disse ainda que “Bolsonaro e Pazuello não conseguem prestar o mínimo de auxílio à população de Manaus”. “O povo está sem oxigênio e a cidade está caminhando para uma das maiores crises de saúde pública já vistas em território nacional. O governo Bolsonaro está patrocinando um genocídio em Manaus!”, ressaltou o petista.

O deputado federal José Ricardo (PT-AM) criticou a dramática situação de Manaus, onde mora. O parlamentar denuncia há muito tempo que os governos federal, estadual e municipal não trataram da crise na saúde pública da capital com a atenção necessária. E o resultado está aí: o caos, com mortes por asfixia, falta de oxigênio e leitos, por exemplo.

“A gente vê a irresponsabilidade da prefeitura, do governo do Estado, que não cuidaram da coordenação e dos investimentos necessários para atender a população, mas também do governo federal, do presidente Bolsonaro e de seu ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que veio aqui (em Manaus) e não trouxe soluções”, criticou José Ricardo (ver vídeo).

Ao também destacar a falta de oxigênio, o líder da Bancada do PT, deputado Enio Verri (PR), disse que os hospitais da capital “viraram câmaras de asfixia”. “É a gripezinha do Bolsonaro. E ele? Não pode fazer nada. Genocida”, acusou.

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), apontou a responsabilidade de Bolsonaro na tragédia. “Pessoas morrendo sufocadas em Manaus por falta de oxigênio nos hospitais e em vez de prestar ajuda federal, Bolsonaro politiza as mortes e critica as autoridades locais por não terem adotado tratamento com cloroquina, que não tem eficácia pra covid. É um ser desprezível!”, afirmou.

Sobre a situação caótica na saúde de Manaus, o presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara (CDHM), deputado Helder Salomão (PT-ES), disse que a situação é “absurda, cruel e desumana” e “resultado da incompetência do governo amazonense e do governo genocida do Bolsonaro”.
O parlamentar disse ainda que a CDHM da Câmara vai exigir “providências imediatas para salvar vidas” e apuração das responsabilidades. “Na condição de presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal estou oficiando as autoridades estaduais e federais para que seja feita apuração rigorosa sobre esta situação inadmissível e para que sejam tomadas providências imediatas para salvar vidas”, afirmou Salomão.

Leia outras mensagens de parlamentares da Bancada do PT sobre a tragédia em Manaus:
Deputado José Guimarães (CE), Líder da Minoria na Câmara – “Falta Oxigênio nos hospitais abarrotados de Manaus. O que o governo federal fez? Bolsonaro disse que mortes são causadas por falta de “tratamento precoce”. Já Pazuello insistiu na cloroquina, sem comprovação científica. É o governo da morte!”.

Deputado Paulo Teixeira (SP) – “Acabou o oxigênio nos hospitais de Manaus. Um governo sério não permitiria que isso acontecesse. Teria requisitado das empresas produtoras. Existe lei para isso. Falta governo”.

Deputado Alencar Santana Braga (SP) – “Manaus chegou ao colapso total do sistema de saúde. Falta oxigênio nos hospitais. “Acabou o oxigênio e os hospitais viraram câmaras de asfixia”, diz um pesquisador entrevistado sobre a situação. E o criminoso Bolsonaro segue estimulando a violação das medidas de segurança.

Deputado Nilto Tatto (SP) – “Se o Brasil tivesse um chefe de Estado, ele estaria indo para Manaus neste momento. Mas não temos – nosso suposto presidente está promovendo aglomerações e postergando a vacinação. Criminoso!”

Deputada Erika Kokay (DF) – “O que Pazuello fez durante três dias em Manaus? Falta oxigênio na cidade e pessoas estão morrendo por asfixia nos leitos dos hospitais enquanto Bolsonaro e o ministro pressionam por uso de cloroquina. Colapso e caos total. Simplesmente criminoso. Pazuello não é só incompetente. É cúmplice do genocídio!”.

Deputado Merlong Solano (PI), sobre o acolhimento de pacientes transferidos de Manaus para hospitais públicos do Piauí – “Atender aos irmãos de Manaus é um princípio do SUS e um ato de solidariedade”.

Deputado Paulo Pimenta (RS) – “A mortandade em Manaus é resultado direto da maneira como o governo Bolsonaro está agindo durante a pandemia”.

Deputado Bohn Gass (RS) – “Está faltando oxigênio! Pessoas morrerão agonizando! É do que se trata! E o governo enfiando cloroquina – remédio sem eficácia e com riscos – nas pessoas. É um farsa compartilhada por outros governantes, como, por exemplo, o recém eleito prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo”.

Deputada Natália Bonavides (RN) – “Pessoas estão morrendo asfixiadas pela falta de oxigênio nos hospitais de Manaus. Uma tragédia que poderia ter sido evitada. Infelizmente, a situação pode se tornar ainda pior pelo negacionismo do governo Bolsonaro. Pela vida das pessoas, este governo genocida precisa acabar!”

Deputado Henrique Fontana (RS) – “Enquanto Bolsonaro e Pazzuelo pressionam por uso de cloroquina, falta oxigênio e pessoas estão morrendo por asfixia nos leitos dos hospitais em Manaus. A incompetência do presidente e seu ministro parece não ter fim”.

Deputado Odair Cunha (MG) – “A situação no Amazonas é extremamente grave. Mais de 230 pacientes estão sendo transferidos pois não há oxigênio nas unidades hospitalares. Enquanto isso Pazuello, criminosamente, induz o uso de cloroquina como “tratamento precoce” em Manaus”.

Deputado Rogério Correia (MG) – “Em só um hospital de Manaus, quase 30 pessoas mortas por asfixia. Tragédia humanitária, muito triste. Pandemia não perdoa, pune quem fala tanto, faz pouco e ainda atrapalha quem tenta fazer algo de bom. Que a carapuça sirva a quem de direito, tá ok?”

Deputada Benedita da Silva (RJ) – “O “não consigo respirar” acontece sempre no Brasil. Hoje, é na cidade de Manaus. Se uma grande capital sofre com isso, imagina a quantidade de pessoas em situação desesperadora pelo interior do país? O desgoverno Bolsonaro precisa acabar. Isso é muita irresponsabilidade”.

Deputado Rubens Otoni (GO) – “É inadmissível, depois de quase um ano, o governo não ter se preparado para atender as pessoas contaminadas. Se está faltando oxigênio imagine o resto. É a demonstração do descaso do presidente e a omissão do Ministério da Saúde. Um absurdo”.

Deputado José Airton Cirilo (CE) – “Enquanto o ministro da Saúde, Gen. Pazuello, oferece Cloroquina ao povo de Manaus, falta oxigênio e as pessoas morrem por omissão do governo. Uma tragédia anunciada e nenhuma providência tomada para salvar vidas”.

Também publicaram notícias sobre a tragédia de Manaus no Twitter o líder da Minoria no Congresso, deputado Carlos Zarattini (SP), Alencar Santana (SP) e o deputado Patrus Ananias (MG).

Héber Carvalho

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

PEC das Prerrogativas seguirá rito processual, com análise em comissão especial antes do Plenário

A PEC das Prerrogativas (proposta de emenda à Constituição 3/21), que trata da imunidade p…