Home Portal Notícias Coronavirus Padilha propõe à Câmara debater aumentos abusivos dos planos de saúde

Padilha propõe à Câmara debater aumentos abusivos dos planos de saúde

6 min read
0

O deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) apresentou, na Comissão Externa da Câmara que acompanha as ações preventivas ao coronavírus no Brasil, requerimento para a realização de audiência pública para debater os impactos sociais, e na saúde pública, do aumento dos planos de saúde privados autorizado pela Agência Nacional de Saúde (ANS). Na justificativa da ação, o parlamentar argumentou que é “incompreensível, tanto do ponto de vista econômico quanto sanitário”, que em plena pandemia da Covid-19 a Agência Nacional de Saúde (ANS) autorize eos aumentos. O aumento chega a quase três vezes o valor da taxa de inflação dos últimos doze meses.

“Com os números atingindo quase duzentas mil mortes por conta do Coronavírus, e com a economia dilacerada e com níveis altíssimos de desemprego”. o aumento permitido pela ANS “é um acinte e se soma a outras iniciativas do atual governo com clara matriz de necropolítica”, afirmou Padilha. A autorização dada pela ANS vai resultar em um aumento de 8,56% nos planos de saúde da Amil, e de 9,26% nos planos do Bradesco, SulAmérica e Itaúseg Saúde.

O parlamentar alertou ainda que esse aumento, autorizado pelo Comunicado 85 da ANS, pode acelerar a debandada de beneficiários dos planos de saúde agravada pelos efeitos econômicos da Covid-19. Como exemplo, Padilha destaca no requerimento que apenas entre os meses de abril a julho deste ano cerca de 255 mil beneficiários deixaram seus planos de saúde médico-hospitalares, segundo dados do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). E segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), este segmento conta agora com 46.758.762 beneficiários.

O parlamentar informou ainda que, nos últimos cinco anos, só em Pernambuco, 160 mil pessoas deixaram de ter a cobertura dos planos de saúde. Os dados são da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). “No Brasil, esse número já chega a milhões de desistentes”, disse Padilha.

Para participar da audiência pública, Alexandre Padilha sugeriu à Comissão convidar representantes do Ministério da Saúde; da Agência Nacional de Saúde; da Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde); Fernando Pigatto, presidente do Conselho Nacional de Saúde; da União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde (Unidas); da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco); do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor; e do Sindicato dos Médicos de São Paulo.

Requerimento de Informações

Além de sugerir a audiência pública, Padilha também enviou ao Ministério da Saúde um requerimento de informações com perguntas sobre os impactos na saúde pública causados pelos aumentos  dos planos de saúde privados.

O parlamentar indagou, por exemplo, se o ministério tem estudo preliminar sobre os impactos sociais e no SUS com o aumento dos planos de saúde. Ele ainda perguntou se, em relação à pandemia, o ministério adotou medidas a fim de absorver a procura por atendimento por conta da desistências na cobertura de planos de saúde.

Héber Carvalho

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

PT vota contra urgência para projeto que muda regras para votações e tira direitos da Minoria

Sob protesto do PT e dos demais partidos de Oposição, o plenário da Câmara aprovou nesta t…