Home Portal Notícias Governo e bancos reduzem crédito e aumentam juros para micro e pequenas empresas

Governo e bancos reduzem crédito e aumentam juros para micro e pequenas empresas

3 min read
0

O governo de destruição, com definiu o ex-presidente Lula, decidiu abandonar definitivamente as micros e pequenas empresas a sua própria sorte. Projeto do senador Jorginho Mello (PL-SC), no âmbito da terceira fase do Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), prevê juros maiores e limite de crédito menor para o setor. A iniciativa resultou de negociação com o ministério da Economia e os bancos. As micro e pequenas empresas são responsáveis por cerca de 70% dos empregos do país.

O novo aporte financeiro ao setor deve ser de R$ 10 bilhões, segundo o senador Jorginho Mello. Na primeira fase do Pronampe, os bancos emprestaram R$ 18,7 bilhões, enquanto na segunda etapa foram disponibilizados R$ 14 bilhões. A Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil responderam por quase 60% de todas as concessões. O projeto também prevê a redução no valor máximo do empréstimo, que será limitado a R$ 300 mil.

Já a nova taxa de juros passará dos atuais 3,25% ao ano para 8%, demonstrando novamente a opção do governo pelos bancos. De acordo com as autoridades, o aumento do juros busca “estimular os bancos a correr mais riscos e emprestar mais recursos”. A justificativa é que, nessa terceira liberação, a garantia do Fundo Garantidor de Operações (FGO), administrado pelo Banco do Brasil, será menor. O FGO garantirá até 25% da carteira de cada instituição financeira, em vez de 85%, como atualmente.

Não é por falta de aviso que a proposta não terá repercussão na recuperação da economia. Na fase anterior, os bancos liberaram apenas R$ 32,7 bilhões, segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). “Precisaríamos de ter hoje R$ 200 bilhões a R$ 250 bilhões de créditos disponíveis”, avalia o presidente do Sebrae, Carlos Melles. A previsão é que o projeto seja votado no Senado na semana que vem, por meio de sessão virtual, indo depois para a Câmara.

Por PT Nacional

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Se não fosse Bolsonaro, pelo menos 10 milhões de brasileiros não precisariam pagar IR

Presidente da República falou mais de uma vez em correção, mas ficou na conversa. Ele mesm…