Home Portal Notícias Coronavirus PT reage à proposta de Bolsonaro de privatizar o SUS em plena pandemia

PT reage à proposta de Bolsonaro de privatizar o SUS em plena pandemia

11 min read
0

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara usaram suas redes sociais, nesta quarta-feira (28), para denunciar o desmonte que o presidente Jair Bolsonaro quer fazer no Sistema Único de Saúde (SUS) com o Decreto 10.530, publicado na última terça-feira (27). A iniciativa abre portas para a privatização da saúde pública brasileira. Vale lembrar que 70% da população depende do SUS no Brasil.

O PT luta contra o desmantelamento do SUS perseguido por Bolsonaro e idealizado por Paulo Guedes. A proposta orçamentária de 2021 pretende viabilizar um corte fatal para o SUS de R$ 35 bilhões. Bolsonaro planeja acabar com a regra que prevê um orçamento emergencial para o enfrentamento do surto. Segundo o Conselho Nacional de Saúde, isso significa que o país voltará ao sufocamento da Emenda Constitucional 95/2016, que congelou investimentos em saúde e demais áreas sociais até 2036. As perdas do SUS, desde o início da vigência da Emenda do Teto de Gastos, aprovada ainda durante o governo Michel Temer, foi R$ 20 bilhões, entre 2018 e 2020. O novo golpe da equipe econômica agora é viabilizar o início da privatização do SUS.

A parceria com a iniciativa privada para construção, modernização e operação das UBSs é uma recomendação da Resolução 95/2019 do Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República, assinada pelo então ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, agora ocupando a pasta da Cidadania. A resolução da Casa Civil afirma que é necessário “ampliar as oportunidades de investimento e emprego no país e estimular o desenvolvimento econômico nacional, em especial por meio de ações centradas na ampliação e na melhoria da infraestrutura e dos serviços voltados ao cidadão”.

Reação

“Bolsonaro quer PRIVATIZAR O SUS! Em meio à pandemia, decreto do presidente abre espaço para entregar as Unidades Básicas de Saúde ao mercado financeiro. Presidente deveria se ocupar em injetar recursos e valorizar os corajosos profissionais da saúde! Não vamos deixar passar”, assegurou o líder da Minoria no Congresso Nacional, deputado José Guimarães (PT-CE).

A deputada Professora Rosa Neide (PT-MT) afirmou que a saúde precisa ser fortalecida e não dilapidada. “No meio de uma pandemia que já matou quase 158 mil brasileiros, Bolsonaro autorizou a equipe econômica a criar um modelo de privatização de unidades básicas de saúde. A saúde pública do Brasil está em construção e precisa ser fortalecida e não dilapidada”.

O deputado Bohn Gass (PT-RS) pede a reação de todos contra essa proposta. “Atenção, povo brasileiro! Bolsonaro quer entregar o SUS para as empresas. Ele fez um decreto que abre as portas para a privatização de Unidades Básicas de Saúde. O resultado, prático, ali na frente, será: Só quem tem dinheiro vai ser atendido. Reação Já!”.

“Na véspera dos 666 dias de governo, Bolsonaro edita decreto que privatiza a saúde e pode condenar à morte ou à precarização da vida milhões de pessoas no Brasil. E no meio da maior pandemia da humanidade em mais de 100 anos”, escreveu o deputado Alencar Santana (PT-SP) em seu Twitter.

O deputado Reginaldo Lopes (PT-MG) explica que a Constituição Federal proíbe a privatização de atividades como a Saúde. “Portaria de Bolsonaro começa a privatizar o SUS no meio da pandemia! Vale lembrar que a Constituição Federal proíbe qualquer terceirização de atividades fins do governo, como Saúde, Segurança e Educação”.

Arte: PT na Câmara

Saúde não é mercadoria

“Bolsonaro e Paulo Guedes querem privatizar as unidades básicas de saúde. Para eles, a destruição do SUS e a saúde do povo são “modelos de negócio”. Mesmo com a pandemia mostrando a necessidade de um SUS FORTE, eles só pensam em lucro em meio à tragédia. Genocidas”, denunciou a deputada Natália Bonavides (PT-RN).

O deputado Waldenor Pereira (PT-BA) afirmou que vão barrar esse projeto devastador de Bolsonaro. “Bolsonaro quer privatizar Unidades Básicas de Saúde, entregando ao setor privado o principal acesso ao SUS da população. Bolsonaro faz da sua saúde um negócio do governo. Um decreto pavoroso em plena pandemia. Isso é um absurdo! Não vamos permitir. Vamos barrar”.

Saúde é direito

“A privatização do SUS não pode acontecer! Muitas famílias só possuem o Sistema Único de Saúde e, por isso, não podemos deixar de investir nessa estrutura. Saúde, cuidado e bem-estar é um direito de todos e todas”, afirmou a deputada Benedita da Silva (PT-RJ).

Para o deputado Carlos Veras (PT-PE) a saúde não é mercadoria, mas sim um direito de todos. “Saúde é direito, não mercadoria. Querem abrir as porteiras para a privatização do maior sistema público de saúde do mundo, cuja importância ficou mais do que comprovada durante a pandemia. Não permitiremos!”.

Em plena pandemia

“Bolsonaro, ontem, escancarou seu projeto de privatização do SUS com a publicação do Decreto 10.530, neste momento que vivenciamos a mais grave crise sanitária mundial. Assinei o PDL 453/20 da deputada Maria do Rosário para a anulação deste ato. Defenda o SUS!”, conclamou o deputado Célio Moura (PT-TO).

Para a deputada Marília Arraes (PT-PE) Bolsonaro continua fazendo mal ao povo brasileiro. “Enquanto o Brasil passa por um dos momentos mais difíceis da história, Bolsonaro continua prejudicando a população em favor dos grandes empresários”.

A deputada Erika Kokay (PT-DF) afirmou que não vão permitir que Bolsonaro acabe com o SUS. “Só um governo genocida pode propor privatizar o SUS em plena pandemia. Não vamos permitir!”.

Para o deputado Valmir Assunção (PT-BA), “a maior prova que Bolsonaro não está nem aí para o Brasil está nesse decreto Nº 10.530/2020 que abre as porteiras para a privatização do SUS! Em pela Pandemia! NÃO PERMITIREMOS!”, anotou em seu Twitter.

Lorena Vale com PT Nacional

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Prazo curto para aprovação do Fundeb coloca entidades da Educação em alerta

Após aprovação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização d…