Home Portal Notícias Petistas manifestam apoio à Jornada de Lutas do MAB que lembra os 5 anos do rompimento da barragem em Mariana

Petistas manifestam apoio à Jornada de Lutas do MAB que lembra os 5 anos do rompimento da barragem em Mariana

11 min read
0

Os deputados federais Padre João, Rogério Correia e Reginaldo Lopes, do PT de Minas Gerais, manifestaram nesta terça-feira (6), irrestrito apoio à Jornada de Lutas organizada pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) que lembra os cinco anos do rompimento da barragem de Mariana (MG). A jornada recebe nomes importantes em lives e atos presenciais que acontecem até o próximo dia 5 de novembro, data que marca os cinco anos do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (a 75km de Belo Horizonte), da mineradora Samarco e controlada pela Vale e BHP Billiton.

Para o deputado Padre João, essa jornada é antes de tudo um grito por justiça, que no caso da tragédia de Mariana ainda não aconteceu. “Cinco anos do rompimento da Barragem do Fundão em Mariana, crime da Samarco/Vale e BHP Billiton que nunca poderá ser esquecido. 20 pessoas morreram, a bacia do Rio Doce foi destruída e a nova Bento Rodrigues não está pronta até hoje. Ainda que muitas famílias tenham perdido tudo, ninguém foi julgado ou punido por essa violação da dignidade humana. A impunidade é revoltante. Chega. O lucro não vale a vida!”, disse o petista.

Foto: Lula Marques

O deputado Rogério Correia destacou que o movimento organizado pelo MAB é importante para aumentar a consciência pelo respeito à vida e ao meio-ambiente, com o objetivo de evitar que outras tragédias como a de Mariana ocorram novamente.

“Já são 5 anos desde o crime da Vale em Mariana. De lá para cá mudamos leis no estado e no País, muitos se conscientizaram da ação predatória das mineradoras, mas há um outro lado que serve de alerta: infelizmente temos em Brasília um governo que quer “passar a boiada”, uma turma cujo trabalho na prática age a favor de novos crimes como de Mariana e de Brumadinho. Por isso nós temos lado, que é o lado do MAB, do meio ambiente, das vidas humanas, e contra a busca irrefreável de lucro pelas mineradoras”.

Foto: Gustavo Bezerra

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) acompanha as vítimas desde os primeiros momentos e, para marcar a data, decidiu denunciar as violações que aconteceram desde então com a promoção da Jornada de Lutas “Vale com a injustiça nas mãos: 5 anos sem reparação na Bacia do Rio Doce”. A programação teve início nessa segunda (5) e segue até 5 de novembro, com seminário, lives, atos políticos e a inauguração da casa construída pelos integrantes do movimento.

O MAB denuncia que as famílias atingidas pelo crime da Bacia do Rio Doce continuaram tendo seus direitos violados ao longo desses cinco anos, inclusive pela Justiça. “Ao invés de atuar na proteção das vítimas do crime de responsabilidade das empresas Vale, Samarco e BHP Billiton, a esfera judicial se alinha totalmente às vontades das mineradoras e ignora as possibilidades de promoção da justiça com a participação efetiva dos atingidos por barragem em Minas Gerais e no Espírito Santo”, diz nota do movimento.

Para o deputado Reginaldo Lopes, os cinco anos do rompimento da barragem de Mariana chama atenção de que não se pode mais viver “em um capitalismo não civilizado, incapaz de regular empresas para garantir o bem-estar da população”. Segundo o parlamentar, a ganância e o lucro não podem estar acima das vidas. “É preciso acabarmos com a mineração molhada no Brasil e criarmos um Fundo Patrimonial para a recomposição e diversificação das atividades econômicas nas comunidades impactadas pela atividade mineraria, além de um Fundo de Tecnologia. Propus essas medidas quando apresentei o PL 3650/2015, após esse desastre criminoso que não pode ficar impune”, afirmou Reginaldo.

“O Movimento de Atingidos por Barragens tem todo o meu respeito, minha admiração e minha solidariedade. A mobilização feita por essa Jornada de Lutas que se inicia merece toda a nossa atenção”, parabenizou o parlamentar mineiro.

Foto: Gustavo Bezerra/Arquivo

Abertura da Jornada de Lutas

A abertura da Jornada, nesta segunda-feira (5), teve a presença de Baskut Tuncak, relator da Nações Unidas (ONU), que visitou o estado após o rompimento da barragem de Brumadinho, em 2019, e em recente relatório elencou fortes críticas à atuação do Estado de Minas Gerais, ao governo federal e às mineradoras.

No relatório, Tuncak afirma que a Vale teve “conduta criminosa imprudente” em Brumadinho. Essa seria a real causa do rompimento da estrutura, e não a instabilidade causada pela liquefação na barragem, diz o texto. O relator apontou também a ausência de reparação até hoje dos atingidos da Bacia do Rio Doce, em decorrência do rompimento em Mariana em 2015.

Além de vários estudiosos e lideranças, a transmissão ao vivo mostrou o depoimento de mulheres atingidas pelo crime. Creuza Campelo, da cidade de São Matheus (ES), contou como descobriu na prática que a água na qual pescava estava contaminada, diferente do que a Fundação Renova afirmava.

“O caranguejo estava morrendo. Eu pegava e chegava em casa quase tudo morto. Eu estava tomando muito prejuízo, mas eu não estava sabendo o que estava acontecendo. Começou a dar coceira até na parte íntima, aquelas bolhas d’água. Aí que fomos saber”, conta.

O seminário foi gravado no canal do Youtube do MAB. A abertura oficial, que aconteceu às 19h, se encontra abaixo:

 

Veja a programação completa:

“Vale com a injustiça nas mãos: 5 anos sem reparação na bacia do Rio Doce”

5 de outubro:
10h – Seminário com o ex-relator da ONU: atingidos por barragens e a violação de direitos humanos à saúde (virtual)
19h – Live de lançamento da Jornada

8 de outubro:
18h30 – Encontro Online dos Atingidos e Atingidas do Rio Doce: justiça só com organização popular e luta por direitos (não aberto ao público externo)

30 de outubro:
Inauguração da Casa Solidária (presencial)

31 de outubro:
14h – Ato Político Cultural das Mulheres Atingidas em Defesa da Vida (virtual)

3 de novembro:
Ato Internacional: violação dos direitos dos atingidos por barragens no mundo (virtual)

5 de novembro:
Dia de luta – Ações que marcam os 5 anos do crime (virtual e presencial)

Héber Carvalho e Brasil de Fato Minas Gerais

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Oposição aciona STF e exige que governo apresente um plano sobre a vacina contra a Covid-19

O PT e demais partidos que fazem Oposição ao governo Bolsonaro (PCdoB, PSOL, PSB e Cidadan…