Home Portal Notícias PT propõe projeto para sustar portaria que autoriza emprego da Força Nacional contra assentamento do MST

PT propõe projeto para sustar portaria que autoriza emprego da Força Nacional contra assentamento do MST

6 min read
0

A Bancada do PT na Câmara protocolou um Projeto de Decreto Legislativo (PDL 391/2020 ) para sustar os efeitos da portaria nº 493, do governo federal, que autorizou o emprego da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) em assentamentos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) nos municípios de Prado e Mucuri, no sul da Bahia.

O deputado federal João Daniel (PT-SE), coordenador do Núcleo Agrário da Bancada do PT na Câmara, observou que o marco legal para emprego da Força Nacional é a Lei 11.473/2007.  A Lei não regula especificamente a instituição e as hipóteses de mobilização da Força Nacional, mas sim, a cooperação federativa no âmbito da segurança pública. O instrumento legal foi editado para promover e autorizar o apoio da União às atividades de segurança pública de competência dos estados e do Distrito Federal, como diz em seu parágrafo único do artigo 2º: “As atividades de cooperação federativa têm caráter consensual e serão desenvolvidas sob a coordenação conjunta da União e do Ente convenente”.

João Daniel lembrou que a portaria do governo é ilegal, já que quebra o pacto federativo, pois não houve concordância do  governador da Bahia, Rui Costa (PT). O  governador da Bahia autorizou a Procuradoria-Geral do Estado a ingressar com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contra o Ministério da Justiça e Segurança Pública, e enviou ao ministro André Luiz Almeida Mendonça uma correspondência na qual deixa explícita sua preocupação com o envio da Força Nacional ao Sul da Bahia,

Repúdio a Bolsonaro

Diversas entidades manifestaram-se contra o ato, inclusive a Associação de Advogados de Trabalhadores no Estado da Bahia, que repudiou a portaria por entender que a Força Nacional é um instrumento de atuação da União em cooperação federativa em segurança pública . “Por isso,  é urgente o cancelamento da Portaria 493, para que não permaneça a quebra do Pacto Federativo e se procedam os devidos entendimentos para evitar possíveis conflitos na região”,disse João Daniel.

A intervenção, segundo a portaria, atende ao Ministério da Agricultura, baseada numa ação de reintegração de posse de uma escola, no Assentamento Rosa do Prado. O pedido, segundo o jornal Brasil de Fato, partiu do secretário Especial dos Assuntos Fundiários, Luiz Antônio Nabhan Garcia, homem de confiança do presidente de extrema direita Jair Bolsonaro e autodeclarado inimigo da reforma agrária e da demarcação de terras indígenas. Garcia já foi acusado de fomentar treinamento de milícias armadas para defender os interesses de latifundiários.

O projeto de decreto legislativo da Bancada é assinado pelo líder Enio Verri (PR), a deputada Erika Kokay (DF) e os deputados Afonso Florence (BA),  Beto Faro (PA), Célio Moura (TO), Frei Anastacio Ribeiro (PB), João Daniel (SE), José Guimarães (CE), Nilto Tatto (SP) , Padre João (MG), Patrus Ananias (MG) , Paulo Teixeira  (SP), Paulão (AL), Marcon (RS), Pedro Uczai (SC) e Valmir Assunção (BA).

 

Leia mais:

Deputados do PT repudiam presença ilegal de Força Nacional em acampamento do  MST no sul da Bahia

Governador questiona uso da Força Nacional contra MST na Bahia: “Desrespeito à lei”

Pedido para usar Força Nacional contra MST na Bahia partiu de Nabhan Garcia

 

Redação PT na Câmara com assessoria parlamentar

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Dia da Democracia: petistas repudiam ditadura e homenageiam Vladimir Herzog

A importância do Dia Nacional da Democracia, comemorado hoje (25), foi destacada por vário…