Home Portal Notícias 7 de Setembro: Movimentos sociais programam protestos contra Bolsonaro e Mourão

7 de Setembro: Movimentos sociais programam protestos contra Bolsonaro e Mourão

12 min read
0

O Dia da Independência do Brasil será marcado nesta segunda-feira (7) por vários atos presenciais e online contra o governo de ultradireita dos militares Jair Bolsonaro/Hamilton Mourão. Em Brasília, a partir das 9h, ao lado do Teatro Nacional, haverá o Ato Cênico Performático –  Em defesa da Vida, da Democracia e dos Direitos.

O evento, que faz parte do 26º Grito dos Excluídos, é intitulado “Brasil, qual o seu grito? #ForaBolsonaroeMourão”, e tem como objetivo gerar imagens que mostrem a trágica situação atual do Brasil em consequência do descaso do governo federal com a vida e os direitos da população. O ato conta com o apoio das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo.

Resistência ao autoritarismo

A atividade, dirigida pelo dramaturgo brasiliense Zé Regino, foi pensada coletivamente e inspirada nas escolas de samba. Será organizada em alas e cada uma delas vai fazer uma denúncia, por meio de recursos cênicos, de forma estática, silenciosa, sem microfones ou autofalantes e respeitando o distanciamento social.

Os três temas – Vida, Democracia e Direitos – serão retratados pelos diversos movimentos sociais, coletivos políticos de resistência e partidos políticos de esquerda.

Além do ato em Brasília, dezenas de outras manifestações vão ocorrer nesta segunda em todo o País. O Grito dos Excluídos deste ano tem como lema “Basta de miséria, preconceito e repressão! Queremos trabalho, terra, teto e participação!”. Confira, abaixo, as atividades confirmadas:

Bahia – Salvador: 15h, transmissão ao vivo

Ceará, Fortaleza: 8h, manifestação simbólica no Aterro da Praia de Iracema/ Celebração Gritos dos Excluídos e Excluídas, canais da Arquidiocese nas redes sociais e Youtube, a partir das 10h.

Distrito Federal, Brasília: 9h, Ato no gramado em frente ao Teatro Nacional, na Esplanada dos Ministérios

Espírito Santo, Vitória: 8h, celebração inter-religiosa, transmissão ao vivo.

Goiás, Goiânia: dia de manifestações, transmissão ao vivo, tema Queremos Trabalho, Terra, Teto e Democracia! Basta de Miséria, Preconceito e Repressão!, com a participação de Ermínia Maricato, João Pedro Stédile e Leonardo Boff

Maranhão – 07/09, Brejo: 9h, ato na Diocese de Brejo, transmissão ao vivo / São Luís: Ação com a população em situação de rua no Mercado Central à noite

Mato Grosso, Cuiabá: 18h, celebração ecumênica na Paróquia Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, transmissão ao vivo.

Minas Gerais, Belo Horizonte: às 10h, atos simbólicos em: Igreja São Francisco de Assis – Pampulha; Viaduto – Av. Antônio Carlos (próximo a PPL); Viaduto – Av. Antônio Carlos com Av. Abrahão Caram; Av. Amazonas (Mercado Central); Praça da Estação

Pará, Belém: 8h, concentração do Grito na Praça da República, em frente ao teatro, transmissão ao vivo pela rádio web Idade Mídia e página oficial do Grito de Belém

Paraná – 07/09, Curitiba: 12h, missa presidida por Dom José Antonio Peruzzo, arcebispo de Curitiba, transmissão ao vivo

Pernambuco – 07/09, Recife: 9h, ato público presencial no Parque Treze de Maio

Rio de Janeiro – 7/9, Rio de Janeiro: 9h, ato público presencia, rua Uruguaiana com Av. Presidente Vargas, com falações, panfletagem, marcha até o Museu do Amanhã – Praça Mauá com mais falações, panfletagens e performances. Participação – FIST, PCO, Comitê Fora Bolsonaro – Zona Sul/Centro, Casanem, Sindisep-RJ, SindipetroRJ/FNP, PDNM, Bicuda do Bozó, entre outros.

Rio Grande do Norte – 07/09, Mossoró: distribuição de cestas com alimentos e materiais de higiene, arrecadados durante a Campanha de Solidariedade, às pessoas em situação de vulnerabilidade social, entre elas imigrantes, com momentos de diálogos e encerramento com mística.

Rio Grande do Sul – 07/09, São Leopoldo: 10h, ato simbólico com o plantio de 80 mudas de árvores, em memória às mais de 3,5 mil vidas perdidas na pandemia do coronavírus no Rio Grande do Sul. Transmissão ao vivo/ Caxias do Sul: 18h, transmissão ao vivo

Rondônia – 7/9, Porto Velho: amanhecer com casas com panos pretos e cartazes dos gritos; às 17h, ato presencial cultural no Centro Político Administrativo do Governo do Estado, com no máximo 25 pessoas, participação de representantes dos povos indígenas ameaçados nos territórios, que será transmitido ao vivo pela página da diocese.

Roraima – 7/9, Boa Vista: 8h, ato presencial público, concentração do Grito na Praça do Centro Cívico.

São Paulo – 07/09, ABC: 15h transmissão pelo zoom, Leitura de mensagem do Frei Betto; A história do Grito; Os excluídos pelo racismo; Os excluídos pelos despejos. Transmissão ao vivo

Alto Tietê: 9h, missa na catedral com a presença do bispo, do padre Dimas e outros para a reflexão do Grito dos Excluídos; Atividade do Grito, às 11h, transmissão ao vivo.

Aparecida: 9h, celebração da 33ª Romaria dos Trabalhadores/as e do 26º Grito dos/as Excluídos/as, presidida pelo bispo de Aparecida, Dom Orlando Brantes. Participação com banners e com a temática na celebração. A missa será transmitida pela TV Aparecida, Rádio Aparecida e Portal A 12.

Baixada Santista: 9h, atos nas 5 cidades, em espaços públicos, transmissão ao vivo.

Carapicuíba: 10h, saída do Parque da Aldeia com destino ao Parque Gabriel Chucre, Via Inocência Seráfico

Jundiaí: 9h, a Diocese de Jundiaí realiza o seu 10º Grito dos Excluídos, com uma celebração na Paróquia São José Parque Almerinda Chaves, com transmissão ao vivo.

Osasco: pela manhã, ato simbólico na Praça Helena Maria

São Paulo capital: 10h, ato sem caminhada na Praça Oswaldo Cruz, na Avenida Paulista, Fora, Bolsonaro! Queremos Trabalho, Terra, Teto e Pão!

Regional CNBB Nordeste 2 (AL, PE, PB, RN):

07/09, Grito dos Excluídos, das 9h às 12h, 9h – Boas vindas e Abertura com Diác. Jaime Bomfim – articulador do Setor de Pastoral Social CNBB/NE2); Mística com Zé Vicente; Plenária Os clamores do povo: gritos do Regional Nordeste 2 (cada pastoral, organismo, movimento e escola que compõe o Regional; Exibição do vídeo do Regional; 12h – Encerramento.

História

O Grito dos Excluídos surgiu em 1994, a partir do processo da 2º Semana Social Brasileira da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), e foi realizado pela primeira vez no ano seguinte, em 7 de setembro de 1995, em 170 localidades, com o lema “A vida em primeiro lugar”, como um contraponto ao Grito da Independência.

Leia mais:

Solidariedade virtual e “Fora Bolsonaro” marcam o Grito dos Excluídos 2020

Redação PT na Câmara com informações da Coordenação do Grito dos Excluídos

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Governo Bolsonaro é ameaça à democracia e ao meio ambiente, denuncia Dilma

A ex-presidenta Dilma Rousseff classificou como “capenga” a democracia no Brasil, diante d…