Home Portal Notícias Zeca Dirceu e Bohn Gass criticam veto de Bolsonaro ao PL de apoio a agricultores familiares

Zeca Dirceu e Bohn Gass criticam veto de Bolsonaro ao PL de apoio a agricultores familiares

5 min read
0

Na última semana, o presidente Jair Bolsonaro vetou a maior parte do Projeto de Lei Assis Carvalho. O PL 735/2020, de autoria dos deputados do Partido dos Trabalhadores, traz uma série de ações de apoio aos pequenos agricultores, prejudicados pela pandemia e pela crise. O deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR) participou de uma transmissão ao vivo com seu companheiro de bancada Bohn Gass (PT-RS) para debater o assunto.

Zeca Dirceu contou que a agricultura familiar estava esquecida pelo governo Bolsonaro. “Tentamos de várias formas ajudar o pequeno agricultor, por medida provisória, projeto, até que, agora, aprovamos um conjunto de ações especiais e necessárias que os nossos agricultores familiares merecem. E Bolsonaro, que não ajudou, decidiu atrapalhar”, disse. Para ele, o veto foi uma “atitude contra quem coloca alimento na nossa mesa, contra quem gera emprego”.

Segundo Bohn Gass, neste governo, os agricultores familiares estão desassistidos. “Esse papo furado de que a agricultura é uma só não vale para nós. Teve granizo, seca e a pandemia. Esse projeto de lei era a nossa chance de respirar. E, agora, veio o veto. O coração do projeto foi destroçado pelo Bolsonaro”, lamentou. “Eles sempre usam a desculpa de que o Brasil está quebrado. Mas o governo entregou de mão beijada R$ 10 bilhões para isentar agrotóxico, para atender as grandes corporações internacionais”, concluiu Zeca.

O projeto

Ao explicar os pontos do PL que foram vetados, o deputado Bohn Gass alertou que “não podemos tratar de forma normal um momento que é emergencial”. Dos 17 artigos, 12 foram vetados em sua totalidade. Entre esses pontos estão a garantia de auxílio emergencial para famílias de agricultores (com novo e específico cadastro a ser aberto); fomento de até R$ 3,5 mil para agricultores em situação de pobreza; linha de crédito de até R$ 10 mil, com juros de 1% ao ano (0,5% para mulheres), cinco anos de carência e até dez anos para pagar; possibilidade de renegociar dívidas; entre outras ações emergenciais propostas para garantir o sustento do agricultor e a geração de renda e emprego.

E agora?

Os vetos podem demorar de 15 a 30 dias para serem apreciados. “A gente nunca sabe qual o resultado da votação de vetos, principalmente em um momento em que o governo Bolsonaro escancara o toma lá da cá e coloca o Centrão para ocupar cargos importantes”, afirmou Zeca Dirceu. A saída, de acordo com o deputado é a pressão em relação aos parlamentares e a mobilização popular em favor dessa luta.

 

Assista a íntegra do debate:

 

#AOVIVO VAI FALTAR COMIDA: BOLSONARO VETOU LEI DE APOIO À AGRICULTURA FAMILIAR

#AOVIVOVAI FALTAR COMIDA: BOLSONARO VETOU LEI DE APOIO À AGRICULTURA FAMILIAROs deputados Bohn Gass (PT-RS) e Zeca Dirceu (PT-PR) denunciam os efeitos do veto de Bolsonaro à lei de Apoio à Agricultura Familiar na Pandemia, e conversam sobre a mobilização para derrubar mais esse veto contra o povo.#BolsonaroPragaDaLavoura#VamosDerrubarOVetocurta-comente-compartilhe

Posted by PT na Câmara on Tuesday, 25 August 2020

 

 

Assessoria de Comunicação

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Petistas afirmam que governo Bolsonaro tem grande responsabilidade em queda recorde do PIB em 2020

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara afirmaram nesta quarta-feira (3) que a política e…