Home Portal Notícias Coronavirus A pedido da CDHM, Rogério Correia vai a Campo do Meio acompanhar o conflito no Quilombo Campo Grande

A pedido da CDHM, Rogério Correia vai a Campo do Meio acompanhar o conflito no Quilombo Campo Grande

4 min read
0

Segue, pelo terceiro dia, a ordem de reintegração de posse na área da antiga Usina Ariadnópolis, no assentamento Quilombo Campo Grande, em Campo do Meio, Sul de Minas. Há pouco, conforme o site Viomundo, o governo autorizou helicóptero e caveirão e a PM atirou bombas contra acampados do MST.

Diante disso, considerando a “gravidade e a persistência” da situação, e os “possíveis desdobramentos imprevisíveis”, o presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minoria (CDHM), deputado Helder Salomão (PT-ES), solicitou que o deputado Rogério Correia (PT-MG) acompanhasse pessoalmente os acontecimentos.

Ainda ontem, em documento, classificado como urgente, enviado ao comandante-geral da Polícia Militar de Minas Gerais, coronel Rodrigo Sousa Rodrigues, os 65 parlamentares e o Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH), pedem “medidas urgentes para que faça cessar o quadro amplo de violação de direitos humanos”.

Para o grupo, a ordem de reintegração de posse já foi cumprida. Nas palavras do deputado Salomão, “é incompreensível o que a polícia ainda está fazendo lá”.

O ofício destaca que “a decisão é clara sobre a área a ser reintegrada, que abrange somente Departamento de Operações e Máquinas (DOM), a Escola e a Coloninha, somando seis famílias. No entanto, de acordo com informações da Defensoria Pública, registradas em agravo interposto na data de ontem [na quarta, 12/8], a área que a decisão da justiça determina a retirada já foi desocupada”.

Os parlamentares apontam que a Escola Eduardo Galeano já foi destruída, mesmo com a determinação da justiça para que as benfeitorias não fossem destruídas.

Pela manhã, o mesmo grupo enviou para Roberto Apolinário de Castro, juiz titular da Vara Agrária de Minas Gerais, documento também denunciando irregularidades no cumprimento da decisão judicial.

O documento

O presidente da CDHM, deputado Helder Salomão, o deputado Paulo Teixeira (PT-SP), da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Reforma Urbana e dos Movimentos de Luta por Moradia; o deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ), presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Democracia e dos Direitos Humanos com Participação Popular; e os líderes partidários Enio Verri (PT-PR); Perpétua Almeida (PCdoB-AC); Fernanda Melchiona (PSOL-RS) ) e pelo presidente do Conselho Nacional de Direitos Humanos, Renan Sottomayor, assinam o documento desta quinta-feira (13).

O documento é assinado também por todos parlamentares das bancadas do PT e do PSOL na Câmara.

Leia a íntegra do documento

https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/cdhm/noticias/oficio-policia-militar-mg

 

Assessoria da CDHM

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Petistas criticam retirada de recursos do Fundeb para financiar novo programa social de Bolsonaro

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara criticaram, nesta segunda-feira (28), a proposta …