Home Portal Notícias Coronavirus Petistas e trabalhadores do setor do petróleo organizam campanha contra privatização da Petrobras

Petistas e trabalhadores do setor do petróleo organizam campanha contra privatização da Petrobras

11 min read
0

Parlamentares do PT, economistas e sindicalistas reuniram-se virtualmente nesta sexta-feira (7) para organizar o lançamento da campanha nacional #PetrobrasFica. Coordenada nacionalmente pela Frente Parlamentar Mista em Defesa da Petrobras, presidida pelo senador Jean Paul Prates (PT-RN), a campanha tem como objetivo evitar a privatização fatiada da empresa, conforme vem sendo defendida pelo governo Bolsonaro. Umas das primeiras missões da campanha #PetrobrasFica é evitar a já anunciada venda de oito refinarias, dutos e terminais da empresa e de sua subsidiaria de distribuição de gás natural, a Gaspetro.

Foto: Alessandro Dantas

“O momento da campanha é agora. Estão tentando privatizar a Petrobras em plena pandemia, vendendo as refinarias e a Gaspetro. Temos que defender o papel da Petrobras de servir ao País no abastecimento interno, e essa opção não começou agora, vem desde o governo de Getúlio Vargas, passando por governo liberais, militares, e até de esquerda”, afirmou Jean Paul. Segundo o senador, “o plano de privatizar a estatal em fatias não visa garantir o abastecimento ou novos investimentos, como dizem, mas apenas aumentar a distribuição de lucros aos acionistas, invertendo a lógica da empresa de servir ao país e aos consumidores”.

O líder da Bancada do PT na Câmara, deputado Enio Verri (PT-PR), hipotecou o apoio dos 54 parlamentares do partido à campanha. Ele observou que a sociedade brasileira precisa ser alertada de que defender a Petrobras é defender o desenvolvimento econômico e social do País.

“Não podemos perder tempo. Temos que denunciar esse esquartejamento da Petrobras, mas temos que reconhecer que essa privatização é apenas parte do projeto do governo Bolsonaro de destruição da nação brasileira. Devemos defender a Petrobras não apenas por conta da empresa, mas pelo seu papel determinante na soberania nacional e na redução das desigualdades sociais e regionais”, afirmou.

Foto: Gustavo Bezerra

Durante a reunião, o professor-doutor em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Eduardo Pinto, detalhou um estudo idealizado por ele sobre o contexto do processo de privatização fatiada da Petrobras, defendido pelo governo Bolsonaro. Ele criticou especialmente o acelerado processo de venda da infraestrutura da estatal ligada ao refino do petróleo.

“Nem o mais ferrenho liberal concorda com a forma acelerada que vem sendo tocada a venda das refinarias da Petrobras, em plena pandemia. Ao propor a privatização das refinarias, em um acordo feito com o Cade, mas sem nenhum tipo de regulação e sem estratégia de abastecimento, o País vai apenas trocar um monopólio público, que tem responsabilidade em regular o setor e atender a sociedade, para um monopólio privado que visa apenas o lucro”, explicou.

De acordo com o professor da UFRJ, a consequência dessa privatização será “o aumento descontrolado dos preços dos combustíveis e seus derivados, e um provável desabastecimento do mercado interno por conta da falta de coordenação do setor e de investimentos que hoje são realizados pela Petrobras”.

Ele alertou ainda que, junto com as refinarias, o governo Bolsonaro estará vendendo a exploração de todo um mercado regional no setor de combustíveis e derivados. “Estão querendo privatizar toda uma estrutura de mercados regionais inteiros. Estão privatizando na verdade o mercado. Esse é o perigo, criar monopólios privados que fatalmente vão gerar aumentos descontrolados de preços, e possíveis desabastecimentos, por conta da falta de concorrência e de novos investimentos”, esclareceu.

Tudo neste governo é fake 

Foto: Gustavo Bezerra

O deputado Bohn Gass (PT-RS) disse que as conclusões do estudo do professor da UFRJ devem ser levadas ao conhecimento de toda a sociedade, para que os riscos envolvendo a privatização da Petrobras possam ser avaliados pela população.

“Tudo neste governo é fake. Eles dizem que a privatização vai diminuir preço, dar mais eficiência, atrair investidores, e sabemos que tudo isso é falso. Porém, essa lorota é dita em todas as reformas feitas até hoje, e não trouxeram empregos, nem investimento, muito menos concorrência. Por isso temos que divulgar essas informações”, observou.

Ao manifestar apoio a campanha, o deputado Rogerio Correia (PT-MG) lembrou ainda que a privatização da Petrobras faz parte da estratégia do governo Bolsonaro de tentar convencer a população de que a venda do patrimônio público é a solução para o País.

“Esse movimento pode ser entendido dentro do contexto onde o governo se nega a aprovar uma Reforma Tributária sobre os mais ricos, preferindo apenas unificar impostos, mantendo a falsa ideia de que houve algum avanço. Essa é a ideia por trás das tais reformas que esse governo propõe, seja a administrativa, trabalhista e agora com a privataria, que tem como único objetivo conseguir algum recurso para o mercado financeiro”, ressaltou.

#PetrobrasFica

Sobre a campanha, o representante da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), Eduardo Henrique, disse que a principal missão é mobilizar a sociedade para evitar a privatização da Petrobras.

“Precisamos ganhar a sociedade, constranger governadores que poderão ter em suas regiões milhares de desempregados, e unificar os petroleiros. E essa mobilização tem que ser constante, enquanto tivermos esse governo a Petrobras corre risco”, afirmou.

Na mesma linha, a deputada Natália Bonavides (PT-RN) defendeu que a estratégia de mobilização a ser adotada deveria ser a mesma utilizada pelo setor cultural para aprovar a Lei de Apoio à Cultura durante a pandemia, conhecida como Lei Aldir Blanc (Lei 14.017/2020), proposta pela deputada Benedita da Silva (PT-RJ) na Câmara.

“Temos que fazer um trabalho de mobilização semelhante ao processo que culminou com a aprovação da Lei Aldir Blanc, que realizou reuniões em todos os estados e em muitos municípios do País, não apenas com os beneficiados diretamente pela proposta, mas também com toda a sociedade. Temos que fazer esse trabalho de formiguinha, em todos os municípios. Estamos juntos nessa luta, em defesa da Petrobras, da soberania nacional e dos direitos do povo, e contra esse governo genocida”, destacou.

Foto: Agência Câmara

Héber Carvalho

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Petistas criticam retirada de recursos do Fundeb para financiar novo programa social de Bolsonaro

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara criticaram, nesta segunda-feira (28), a proposta …