Home Portal Notícias Coronavirus Petistas apresentam pedido para criação da CPI da Cloroquina

Petistas apresentam pedido para criação da CPI da Cloroquina

5 min read
0

A propaganda extemporânea da cloroquina, feita pelo próprio presidente da República, somada à superprodução pelo governo e o uso indiscriminado pela população, com riscos à saúde pública, poderão ser investigados em CPI própria na Câmara dos Deputados.

O requerimento pela CPI da Cloroquina foi encaminhado pelo deputado federal Rogério Correia (PT-MG) nesta quarta-feira (29). O documento, que tem como coautores os deputados petistas Jorge Solla (BA), Alencar Santana (SP), Arlindo Chinaglia (SP), Rosa Neide (MT) e Paulo Pimenta (RS), demonstra estranhamento com o fato de o Ministério da Saúde não apresentar sequer uma estratégia mínima no combate ao coronavírus no Brasil, que se encaminha para as 100 mil mortes.

“É estranho, para dizer pouco, que o governo federal não enfrente de maneira responsável a mais grave pandemia da nossa história, e prefira valer-se de charlatanismo propagandeando medicamento de eficácia duvidosa”, afirma o deputado Rogério Correia. “Já foram produzidos cerca de 3 milhões de comprimidos de cloroquina pelo Laboratório Químico e Farmacêutico do Exército”, diz a justificativa do pedido de CPI, o que demonstra pouca austeridade com os gastos públicos (ou improbidade, a depender das investigações).

O documento com o pedido de CPI lembra que a cloroquina é uma medicação usada há 70 anos no Brasil, principalmente como forma de combater a malária e o lúpus. Sua produção nos laboratórios do Exército se explica por esse motivo. No entanto, sua utilização no tratamento da covid não apresenta eficácia comprovada. A Organização Mundial da Saúde (OMS) já orientou a interrupção de pesquisas com cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento da covid devido à baixíssima ou nenhuma redução da mortalidade de pacientes submetidos ao uso dessas medicações.

O próprio deputado Rogério Correia já havia feito diligências sobre o assunto anteriormente, mas ainda sem sucesso. Ofícios solicitando convocação dos ministros da Defesa e da Saúde, para prestar esclarecimentos, ainda não foram submetidos pela presidência da Câmara à votação pelo plenário. Pedidos de abertura de investigação também foram feitos à Procuradoria-Geral da República (PGR) e ao STJ, ambos também sem resposta até o momento.

Perguntas sem respostas

O requerimento da CPI da Cloroquina faz perguntas que ainda não foram respondidas sobre o tema: Quem determinou aos laboratórios das Forças Armadas a produção de cloroquina? Desde quando estão produzindo o medicamento? Qual o volume de comprimidos de cloroquina já produzidos? Quais parâmetros científicos foram utilizados para determinar a produção da cloroquina nesses laboratórios? Qual o montante de recursos financeiros empenhados até o momento nessa produção? Quais recursos humanos foram empenhados? Quem são os fornecedores da matéria-prima? Quanto já foi gasto com cada fornecedor? Como está sendo a distribuição do medicamento? Quais municípios e hospitais já receberam a cloroquina? Como ocorreu a distribuição da cloroquina nas comunidades indígenas?

Veja a íntegra do requerimento:

CD201577993600 – CPI Cloroquina

Assessoria de Comunicação

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Bancada do PT apresenta projeto de lei para ampliar alcance do Bolsa Família

Diante do agravamento da crise social no Brasil, com aumento do desemprego e da pobreza ge…