Home Portal Notícias Coronavirus Alencar Santana defende a votação do novo Fundeb

Alencar Santana defende a votação do novo Fundeb

4 min read
0

Durante a sessão virtual da Câmara dos Deputados, nessa quinta-feira (9), o deputado Alencar Santana Braga (PT-SP) defendeu a votação urgente do novo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e destacou a importância do Estado como gerador de políticas públicas.

“Nós temos que defender a educação pública, porque ela é de todos e de todas, ela é do País. Ela serve para toda e qualquer região, para toda e qualquer criança, ela ajuda a construir um projeto de Nação civilizada, cidadã, com cultura e com conhecimento. Nesse sentido, votarmos o Fundeb é essencial, necessário e urgente”, afirmou o parlamentar.

O deputado explicou que a decisão de colocar em votação o novo fundo depende da Câmara dos Deputados e de todos que defendem a educação brasileira, independentemente de posições ideológicas. “Nós não podemos deixar, neste momento, que posições ideológicas divergentes e a ignorância prevaleçam. Não podemos permitir também que o interesse privado prevaleça”, enfatizou.

Para ele é fundamental garantir que a educação pública chegue na ponta. Garantir recursos aos municípios e aos estados, em especial, aos mais carentes, para que tenham condições de atender as crianças, a juventude e todos aqueles que demandam a educação brasileira. “Por isso, presidente, demais colegas, votemos logo o novo Fundeb, porque ele é necessário para a educação brasileira, para a educação pública” pediu Santana.

Políticas Públicas

O Brasil está vivendo uma imensa crise sanitária, econômica e social causada pela Covid-19. Para Alencar Santana, devido à pandemia, muitas pessoas que não acreditavam ou não defendiam o Estado como gerador de políticas públicas passaram a apoiar o poder público para microempreendedor e empresários.

O deputado entende que é necessário e importante ter um Estado que defenda seu povo, um Estado que garanta uma renda emergencial, como a Bancada do PT sempre defendeu e um Estado que interfira no serviço público de saúde para atender e acolher a sua população.

“Imaginem se nós não tivéssemos o SUS (Sistema Único de Saúde), como seria o atendimento a essa população atingida pelo coronavírus? Como seria? Quem está socorrendo na ponta? São os hospitais privados ou é o serviço público?”, questionou o parlamentar.

 

Lorena Vale

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Frei Anastácio destaca os 14 anos da Lei Maria da Penha

O deputado federal Frei Anastácio (PT-PB) disse que é difícil imaginar como seria o Brasil…