Home Portal Notícias Coronavirus Covid: Arlindo Chinaglia denuncia a política genocida de Bolsonaro

Covid: Arlindo Chinaglia denuncia a política genocida de Bolsonaro

5 min read
0

O deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) denunciou, em sessão remota no plenário da Câmara dos Deputados, nesta quinta-feira (9), o descaso do presidente Jair Bolsonaro em relação à crise sanitária que o Brasil vem passando, causada pela pandemia da Covid-19, que já matou mais de 68 mil brasileiros, além das propagandas irresponsáveis de medicamentos sem comprovação científica de sua eficácia no tratamento de pacientes com o vírus.

“O governo brasileiro, depois de praticamente quatro meses de pandemia, continua tratando como se fosse uma suposta “gripezinha”, nas palavras do Bolsonaro. É preciso chamar a atenção do governo mais uma vez, antes que morram não sei mais quantas dezenas, milhares no Brasil. Depois de ter prometido 46 milhões de testes, o Brasil realizou até o presente momento 3 milhões e 100 mil testes. Isso é inadmissível, é inaceitável e, de fato, é uma política genocida”, afirma Chinaglia.

O parlamentar questiona a propaganda que Bolsonaro vem fazendo do medicamento hidroxicloroquina e usa como exemplo a avó da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, que se encontra em estado grave. “Se a cloroquina serve para curar, por que a avó da primeira-dama está entubada? Eu estou usando esse exemplo, de maneira respeitosa, porque, de fato, o Bolsonaro não pode continuar fazendo propaganda de qualquer medicamento como se risco não houvesse”, disse o deputado, que também é médico.

Chinaglia também apontou que o presidente faz uso do remédio, mas faz exames para monitorar os efeitos do medicamento no coração 2 vezes por dia. “Ele está fazendo dois eletrocardiogramas por dia, quando o povo não tem acesso a nenhum”.

Jair Bolsonaro anunciou que já tomava a hidroxicloroquina de forma preventiva. Segundo o deputado, o diretor Científico da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Sérgio Cimernan, fez um diagnóstico inquestionável. “Ele disse que o fato de Bolsonaro ter tomado preventivamente, prova que a hidroxicloroquina não impediu que ele fosse contaminado”.

Bolsonaro e os EUA

Arlindo Chinaglia também falou sobre o documento divulgado por um órgão de pesquisa do Congresso dos Estados Unidos que atende aos dois partidos dominantes na cena política americana, os Democratas e os Republicanos. Em documento, eles manifestam a preocupação e caracterizam o risco que a democracia tem hoje no Brasil com o governo Bolsonaro, bem como o meio ambiente e os direitos humanos.

“É claro que a grande maioria dos congressistas americanos prefere uma aliança estratégica com o Brasil, mas resiste exatamente pelas características do governo Bolsonaro”. Para o parlamentar esse fato contraria o discurso do chanceler brasileiro, Ernesto Araújo. “Ele acredita que o fato de se renderem homenagens aos Estados Unidos, ao Trump e, no caso do presidente, até à bandeira americana, por si só, tem o poder de fazer com que os americanos se submetam, em determinados valores, àquilo que o governo Bolsonaro defende e, lamentavelmente, faz”, finalizou Chinaglia.

Lorena Vale

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Petistas questionam no Ministério Público transferência do acervo da Fundação Palmares para prédio com avarias

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara entraram com ações na Procuradoria-Geral da Repúb…