Home Portal Notícias Bolsonarista fascista é presa pela PF em Brasília

Bolsonarista fascista é presa pela PF em Brasília

10 min read
0

A militante bolsonarista e fascista Sara Winter foi presa pela Polícia Federal em Brasília, nesta segunda-feira (15), a pedido do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, relator do inquérito sobre fake news na Corte. Sara, que é líder do acampamento de extrema direita “300 do Brasil”, é investigada no inquérito das fake news no STF e vinha ameaçando o ministro Alexandre de Moraes, além de promover arruaças e desrespeitar as instituições republicanas, como o STF e Congresso Nacional.

O líder da Bancada do PT na Câmara, Enio Verri (PR) rechaça os atentados contra o STF e o Congresso Nacional. “Os atentados contra o STF e o Congresso Nacional, praticados por apoiadores de Bolsonaro, não mais se repetirão se e somente se, a ação for rechaçada à altura, com a responsabilização não apenas de quem cometeu os atos, mas, também, de quem apoia financeira e logisticamente”, afirmou.

A presidenta do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), usou suas redes sociais para condenar todos os ataques fascistas contra o STF. “Condenamos o ataque fascista ao STF. Violência política tem de ser repudiada, punida, mas não foi quando deram tiros na caravana de Lula, jogaram bomba no Instituto [Lula] e atacaram a comitiva de Haddad em 18. A condenação ilegal de Lula é violência política por meios judiciais. Que punam todos”, destacou a petista.

“É essencial que a polícia e os demais órgãos competentes investiguem com agilidade e puna com rigor qualquer um que incite, financie ou distribua fake news e estimule ataques às instituições democráticas”, explicou o deputado Carlos Zarattini (PT-SP), líder da Minoria no Congresso Nacional.

Nas redes sociais, parlamentares da Bancada do PT na Câmara repercutiram a prisão da militante de extrema direita.

“Ontem foi a vez do criminoso que direcionou fogos ao STF e que já havia agredido enfermeiras. Hoje, chegou a vez da criminosa que agia ao arrepio da lei ofendendo a honra dos representantes dos poderes e incitava a subversão. Grande dia!”, afirmou o líder da Minoria na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE).

A deputada Professora Rosa Neide (PT-MT) disse que a bolsonarista tem que se explicar como uma pessoa adulta e parar de fazer molecagens com as instituições. “Grupo ‘300 do Brasil’ é um arremedo de acampamento bolsonarista que não sabe se faz a revolução ou se defende o Golpe de Estado. A PF levou Sara Winter para se explicar como gente adulta; sem fazer molecagens com as instituições e os valores democráticos”.

Para o deputado Zé Carlos (PT-MA) é inadmissível os protestos contra o Congresso e o STF. “Sara Winter, líder do grupo das manifestações antidemocráticas, foi presa hoje pela PF em Brasília. É inadmissível que esses tipos de protestos que incentivam o fechamento do Congresso e STF aconteçam. São atos que ferem a Constituição e a democracia”.

“Sara Winter é uma militante de extrema direita que já foi parte do ‘Ministério de Damares’. Ela é apoiadora fervorosa de Bolsonaro. A prisão de Sara é uma vitória contra as fake news e em defesa da democracia e do STF”, apontou o deputado Odair Cunha (PT-MG).

O deputado Alencar Santana (PT-SP) questionou se vão lançar fogos na frente da PF. “Sara Winter, líder do grupo das manifestações antidemocráticas foi presa hoje pela Polícia Federal em Brasília. A prisão ocorre dentro do inquérito que investiga o financiamento de protestos, o mandado atende a um pedido da (PGR). Vão lançar fogos na frente da PF também?”.

O deputado Paulo Teixeira (PT-SP) denuncia os filhos do presidente Jair Bolsonaro por incentivarem ataques ao STF. “Sara Winter, líder do movimento de extrema direita 300 é presa em Brasília. Os filhos do Bolsonaro se protegem atrás do mandato parlamentar e estimulam essas pessoas a atacarem o Supremo Tribunal Federal”.

Risco à Democracia

Para a deputada Margarida Salomão (PT-MG) é necessária uma reação contra aqueles que colocam em risco a democracia. “Não tenho por hábito comemorar a prisão de ninguém. O encarceramento é algo a ser discutido no Brasil. No entanto, que se perceba no presente episódio uma reação necessária contra aqueles que, de forma tosca ou de forma efetiva, põem em risco a nossa democracia.”

Fim do Acampamento

A deputada Erika Kokay (PT-DF) comemorou o fim do acampamento Bolsonarista. “Urgente. Sara Winter, líder do grupo terrorista “300 pelo Brasil” é presa pela PF em Brasília. O acampamento bolsonarista foi desmantelado, mas seguia destilando ódio, agressões e cometendo crimes na Esplanada. Grande dia!”.

“Eles se autodenominam “300”, mas não passam de 30. Boa parte já identificada. Foram eles que atacaram o STF com fogos. Contê-los é uma barbada: prendam-nos”, escreveu o deputado Bohn Gass (PT-RS), em seu Twitter.

O deputado Pedro Uczai (PT-SC) questiona a quantidade de pessoas no grupo. “A bolsonarista Sara Winter, líder do grupo de extrema direita intitulado 300, foi presa pela Polícia Federal na manhã de hoje. Já não eram 300. E agora?”.

O deputado Zeca Dirceu (PT-PR) ironiza a tentativa de Sara Winter virar “presa política”. “Fascista presa! A polícia federal prendeu Sara Winter. O STF autorizou o mandado de prisão. A fascista conseguiu o que queria: ser presa. Agora, o mártir começa, ela acha que será uma presa política (risos)”.

O deputado Patrus Ananias (PT-MG) chama Sara Winter de criminosa. “Se defende atitudes fascistas, se busca criar grupos paramilitares, se adota uma alcunha nazista, se revela estar empenhada pela implantação de uma ditadura, a denominação para essa pessoa nunca foi ‘militante’. O nome correto é criminosa”.

 

Lorena Vale com agências

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Alencar Santana parabeniza estudantes pelo seu dia e cobra de Rodrigo Maia votação do PL que cria bolsas emergenciais

Na sessão virtual da Câmara na terça-feira (11), o deputado Alencar Santana Braga (PT-SP) …