Home Portal Notícias Coronavirus Manifestações demonstram que o Brasil não aceita o fascismo e o racismo, afirmam petistas

Manifestações demonstram que o Brasil não aceita o fascismo e o racismo, afirmam petistas

13 min read
0

Parlamentares da Bancada do PT avaliaram em mensagens postadas no Twitter que as manifestações ocorridas nesse domingo (7), em todas as regiões do País, provam que a população brasileira não aceita os ataques à democracia praticados por Jair Bolsonaro e seu governo, nem compactua com racismo contra o povo negro. Durante a manhã e tarde de domingo, vários atos foram realizados de norte a sul do País, onde as principais palavras de ordem eram “Fora, Bolsonaro” e “Vidas Negras Importam”.

Para a presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), as manifestações deste domingo comprovam que a sociedade está disposta a defender a democracia. “Em paz, com coragem e precaução contra a pandemia, o Brasil resiste à escalada fascista. O povo nas ruas é o fato novo na luta pela democracia e pela vida. Fora, Bolsonaro e seu governo!”, afirmou.

O líder do PT na Câmara, Enio Verri (PR), avaliou que em todas as cidades do Brasil, onde ocorreram manifestações, ficou muito claro, em todas elas, que Bolsonaro segue isolado, com cada vez menos apoio. “A voz das ruas obriga a Presidência da Câmara a tomar uma posição quanto aos mais de 30 pedidos de impeachment contra Bolsonaro”, destacou.

Já o líder da Minoria no Congresso, deputado Carlos Zarattini (PT-SP), destacou que os atos de hoje dão um novo ânimo na luta para afastar o atual governo do poder.

“É a demonstração de um amplo repúdio a esse governo autoritário e fascista do Bolsonaro. Vamos trabalhar agora com mais energia do que nunca para realizarmos mais mobilizações, com todos os cuidados para evitar contaminação pelo coronavírus, para tirarmos esse governo do poder”, avisou o petista.

Para a deputada Natália Bonavides (PT-RN), apesar do isolamento social ser necessário – por conta o avanço da Covid-19 – ocasionado pela ausência de ação do governo Bolsonaro – a luta em defesa da democracia e por direitos também é fundamental.

“Estamos diante de uma realidade dramática. Isolamento social é fundamental; e lutar contra os que pedem AI-5, ditadura, tortura, e contra esse governo que destrói nossos direitos também é imprescindível para sobrevivermos. Todo nosso apoio às manifestações democráticas pelo Brasil!”, disse a petista.

O deputado Assis Carvalho (PT-PI) também comemorou o despertar da resistência nas ruas do País. “Usando máscaras e tentando manter as regras de distanciamento físico, brasileiros e brasileiras foram às ruas hoje [ontem] contra o fascismo, contra o racismo e contra o governo genocida de Bolsonaro”, ressaltou.

Já a deputada Benedita da Silva (PT-RJ), disse que além das justas críticas ao fascismo e ao autoritarismo do governo Bolsonaro, a mensagem das ruas contra o racismo também não pode ser esquecida. “Essa é a mensagem que ecoa aqui no Brasil e em todo o mundo: Vidas Negras Importam!”, destacou.

Falta de apoio popular a Bolsonaro

De acordo com os parlamentares, os atos de domingo em todo o País, mesmo em meio à pandemia, demonstram que o descontentamento com o governo Bolsonaro cresce a cada dia, ao mesmo tempo em que a popularidade cai.

O deputado Zeca Dirceu (PT-PR) observou que “os atos de hoje [ontem], contra o presidente, contra o racismo e a favor da democracia, demonstraram o quanto Bolsonaro é desprezado, merecidamente pela população”. Ele ainda fez uma comparação com os atos ocorridos em defesa do atual presidente. “De um lado, meia dúzia de loucos, do outro, centenas de pessoas na luta”.

Já o deputado José Airton Cirilo (PT-CE) ressaltou que os atos antifascistas e em defesa da democracia em vários estados do Brasil demostram que “é o povo indo às ruas na luta contra o racismo e o desgoverno Bolsonaro”.

O deputado Alexandre Padilha (PT-SP) observou que as manifestações comprovam que o povo decidiu tomar os destinos do País em suas próprias mãos. “O povo segue em combate contra racismo, o fascismo e pela democracia. O povo não para e o povo não cai. Se o chefe de estado não nos protege, a luta do povo nos protegerá!”.

Por sua vez, o deputado Alencar Santana Braga (PT-SP) destacou que os atos unificaram a defesa pelo “Fora Bolsonaro”. “Atos de hoje pela democracia e antirracismo ao redor do Brasil se uniram em coro pelo Fora Bolsonaro”.

Leia abaixo mais informações sobre os atos pelo País:

São Paulo (SP) – A maior manifestação aconteceu na tarde de domingo em São Paulo, no Largo da Batata, zona Oeste da capital paulista. O Ato, que começou às 14h, reuniu milhares de manifestantes e foi organizado pela Frente Povo Sem Medo, integrantes de torcidas organizadas que formam o “Movimento Somos Democracia” e organizações do movimento negro. Inicialmente programada para ocorrer na Avenida Paulista, a manifestação foi transferida de local por uma decisão judicial.

Brasília (DF) – Pela manhã, a manifestação em Brasília foi a primeira a começar no País. Milhares de pessoas marcharam pacificamente pela Esplanada dos Ministérios até a altura do Congresso Nacional. Movimentos antifascistas, torcidas organizadas de times de futebol, profissionais da saúde, estudantes e militantes de movimentos sociais e partidos políticos gritaram palavras de ordem e empunharam cartazes e bandeiras em defesa da democracia e contra o fascismo e o racismo.

Rio de Janeiro (RJ) – Na capital carioca os manifestantes marcharam pela Avenida Getúlio Vargas até a Candelária, quando o ato começou a se dispersar. Centenas de manifestantes participaram do ato, a maioria protegido por máscaras. Entre eles haviam membros de torcidas de futebol antifascistas, militantes do movimento negro e estudantes.

Além das palavras de ordem contra o governo Bolsonaro, pessoas também levaram cartazes lembrando os assassinatos do menino João Pedro, ocorrido durante uma operação policial, o assassinato da vereadora Marielle Franco. Segundo a organização do Ato, um grupo de cerca de 15 pessoas teria sido detida pela polícia porque portavam álcool em gel.

Porto Alegre (RS) – Na capital gaúcha, milhares de manifestantes marcharam pelo Centro histórico da cidade até o Largo da Epatur. Grupos antifascistas se uniram ao movimento Vidas Negras importam para gritar palavras de ordem contra o governo Bolsonaro, o fascismo e o racismo.

Belo Horizonte (MG) – O Ato realizado na capital mineira reuniu centenas de pessoas e conseguiu até mesmo unir integrantes de torcidas rivais, do Atlético Mineiro e do Cruzeiro. A manifestação marchou durante a tarde pelo centro da cidade, desde a Avenida Afonso Pena até a Praça Sete, onde o ato foi encerrado com palavras de ordem contra o fascismo e o racismo.

Salvador (BA) – Centenas de pessoas se reuniram em frente ao Shopping Bahia, antigo Iguatemi. No local foi realizado o principal ato antifascista na capital baiana.

Belém (PA) – Na capital do Pará, o ato ocorreu no final da manhã no Mercado São Braz, um dos pontos mais movimentados da cidade. Segundo denúncia de movimentos sociais, aproximadamente 100 pessoas teria sido detidas nas imediações do local, acusadas de desrespeitarem as normas de isolamento social.

Fortaleza (CE) – O “Ato Antifascista – Antirracista – Fora Bolsonazi” reuniu centenas de manifestantes na Praça Portugal, ao lado da Avenida Desembargador Moreira, área nobre da cidade. O ato foi organizado pela Ação Antifascista de Fortaleza.

Héber Carvalho

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Oposição faz obstrução para marcar o luto pelas mais de 100 mil vidas perdidas na pandemia

Os partidos da Oposição fizeram uma forte obstrução política na Câmara, nesta quinta-feira…