Home Portal Notícias Coronavirus Bolsonaro afronta a Constituição, ameaça a democracia e não está preocupado com a vida dos brasileiros, denuncia Guimarães

Bolsonaro afronta a Constituição, ameaça a democracia e não está preocupado com a vida dos brasileiros, denuncia Guimarães

10 min read
0

O líder da Minoria na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), discursou na terça-feira (2), sobre a pandemia do coronavírus que já matou mais de 30 mil pessoas, tornando o Brasil o epicentro do vírus. O deputado falou também sobre as irresponsabilidades do presidente Jair Bolsonaro que participou, mais uma vez, de uma manifestação pedindo o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Congresso Nacional durante o final de semana em Brasília.

“Qual é a principal instabilidade do País? Chama-se Bolsonaro. Porque não trabalha, não tem competência e não apresenta solução nenhuma para os problemas do Brasil”, denunciou Guimarães.

José Guimarães apresentou os valores dos recursos que foram anunciados pela União para o combate ao Covid-19 aos estados e municípios, mas que até hoje não chegaram ao seu destino. A União disse que disponibilizaria R$ 29,5 bilhões, mas até hoje somente R$ 8,5 bilhões foram efetivamente transferidos para os estados. O governo federal anunciou que repassaria R$ 46,2 mil para o chamado teste rápido, até agora só entregou aos estados R$ 10 milhões para a compra dos referidos testes.

O governo Bolsonaro anunciou a entrega de 14.100 respiradores, mas somente 1.618 foram entregues. Anunciou, desde a época do ex-ministro Henrique Mandetta, que entregaria aos estados e às prefeituras das capitais 3 mil novos leitos, mas só foram entregues 540.

“Observamos que não se sustenta o discurso de que o governo federal trata a pandemia como uma questão de governo. Trata-se de uma falácia de quem deveria dar atenção máxima, e, num momento como este, focar exclusivamente as ações de governo, em primeiro lugar, no combate à pandemia, em segundo lugar, na crise econômica que se avizinha e que vai atingir seu ponto máximo no segundo semestre”, alertou o parlamentar.

Manifestações Fascistas

O deputado José Guimarães rebateu as críticas dos parlamentares bolsonaristas e do vice-presidente, Hamilton Mourão, em que acusam a esquerda de não ter compromisso com o resultado das urnas e que não deixam “o homem trabalhar”. Para o deputado não tem como fazer uma união nacional com um governo e um presidente que não respeita a Constituição Federal, ameaça a democracia, faz manifestações fascistas, ao lado do Ministro da Defesa, pedindo o fechamento do STF e do Parlamento, além de todos os finais de semana percorrer a Esplanada dos Ministérios a cavalo, a pé e helicóptero usando o dinheiro público e participando de aglomerações, desrespeitando recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Este Congresso, que é presidido por V.Exa. e por nós parlamentares, exige respeito. Assim como o presidente foi eleito pelo povo, mas não está honrando o cargo que ocupa, ele foi eleito para cuidar do Brasil, e não especialmente de sua família na Presidência da República. Ele foi eleito, como nós fomos, para representar o povo brasileiro”, afirmou.

O parlamentar declarou que a esquerda não faz aliança com fascistas. “A desordem quem cria é este governo. Portanto, nós não vamos fazer aliança com fascistas. Nós fazemos aliança com todos os democratas deste País e vamos continuar fazendo. Não vamos fazer aliança com quem defende o fechamento do Supremo Tribunal Federal. Nós não fazemos aliança com esse tipo de brasileiro, porque representa ameaça à ordem institucional democrática brasileira”.

Combate à pandemia

José Guimarães lembrou que foi o Congresso Nacional juntamente com a esquerda e a oposição, que votaram e aprovaram as matérias importantes para o combate ao novo coronavírus, como o auxílio emergencial; a ajuda às micro e pequenas empresas; o auxílio aos estados; a recomposição do ISS e do ICMS para ajudar os estados; o aumento do Fundo de Participação dos Municípios e do Fundo de Participação dos Estados; o orçamento de guerra além de outras proposições.

“Não há nenhuma barreira que impeça o presidente da República de gastar para salvar vidas, porque demos a ele as devidas condições. Não há impedimento pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Não há regra de ouro. Não há nada. E o que ele faz? Não faz nada. Só faz atacar a democracia, este Congresso e o Supremo Tribunal Federal”, apontou Guimarães.

O líder da minoria questionou o que Bolsonaro tem feito para combater a pandemia. “O que este governo fez até agora para combater a pandemia? O que ele enviou para os estados? O que ele fez para salvar vidas? Quem foi que disse que esta pandemia era uma “gripezinha”? Eu nunca vi, na minha vida, desde que entrei para a política, um político receitar um remédio para a população, como o presidente fez com a cloroquina, desrespeitando inclusive orientação que foi dada corretamente pelo ministro da Saúde anterior, o ministro Mandetta. O Brasil está entregue à violência, ao autoritarismo, ao desrespeito às leis e ao ordenamento jurídico. Quem está dizendo isso não sou eu, são as famílias brasileiras que estão assistindo a tamanhas arbitrariedades”.

Guimarães se comprometeu a continuar trabalhando para ajudar as famílias brasileiras e o País. “Nós não queremos este Brasil. Nós queremos um outro Brasil democrático, com respeito à Constituição, ao Supremo Tribunal Federal e, sobretudo, ao Congresso Nacional. Esse é o nosso compromisso, essa é a nossa verdade, a verdade em defesa da vida”.

Lorena Vale

Foto: Gabriel Paiva

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Bolsonaro vai diminuir lista de doenças que dão direito a benefícios no INSS, denuncia Frei Anastácio

O deputado federal Frei Anastácio (PT-PB) denuncia que Bolsonaro prepara mais um ataque co…