Home Portal Notícias Coronavirus Unidade em defesa da democracia e contra Bolsonaro

Unidade em defesa da democracia e contra Bolsonaro

7 min read
0

Dois manifestos, um da sociedade civil e outro de juristas, correm o País em apoio à democracia e à vida, cobrando do Supremo Tribunal Federal que investigue os desmandos de Bolsonaro e pedindo respeito às instituições. Presidenta do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), endossa as iniciativas, uma liderada por advogados e outra assinada pelo Movimento Estamos Juntos. “As forças políticas precisam dar consequência a gestos como este. Unidade na luta contra o fascismo”, afirmou.

Os manifestos foram publicados neste final de semana nos principais jornais brasileiros e apontam a fundação de uma resistência política pacífica, ampla, de diferentes campos ideológicos, em defesa da Constituição, da democracia brasileira e contra a escalada autoritária do presidente Jair Bolsonaro, que vem agredindo sistematicamente as instituições democráticas e acenando para uma ruptura do Estado de Direito, flertando com a adoção de um regime autoritário.

Gleisi Hoffmann avaliou que os manifestos são uma importante demonstração de que a democracia soma. “As forças políticas precisam dar consequência a gestos como este. Unidade na luta contra o fascismo”. Ela também destacou a defesa feita por juristas, de diferentes matizes ideológicas, da Constituição e da Democracia. “O STF tem de investigar esta quadrilha, o TSE tem de julgar a chapa Bolsonaro-Mourão e a Câmara tem de processar o impeachment”, aponta. “Basta de tolerar o intolerável”, reforçou.

“O Brasil, suas instituições, seu povo não podem continuar a ser agredidos por alguém que, ungido democraticamente ao cargo de presidente da República, exerce o nobre mandato que lhe foi conferido para arruinar com os alicerces de nosso sistema democrático, atentando, a um só tempo, contra os Poderes Legislativo e Judiciário, contra o Estado de Direito, contra a saúde dos brasileiros, agindo despudoradamente, à luz do dia, incapaz de demonstrar qualquer espírito cívico ou de compaixão para com o sofrimento de tantos”, aponta o manifesto dos juristas.

“Todos nós temos a firme convicção de que o Direito só tem sentido quando for promotor da justiça. Todos nós acreditamos que é preciso dar um BASTA a esta noite de terror com que se está pretendendo cobrir este país”, diz o texto, que conclui que é assinado por juristas como Dalmo Dallari, Antonio Claudio Mariz de Oliveira, Marcos da Costa, Mario Sergio Duarte Garcia, Pedro Gordilho, Sebastião Tojal e Cláudio Lembo, além dos os ex-ministros  José Eduardo Cardoso, José Carlos Dias, José Gregori e Celso Lafer.

Somos muitos

O outro manifesto, intitulado “Somos muitos”, reúne políticos e figuras públicas, incluindo artistas, escritores e religiosos, em que alertam para os desmandos do governo e defendendo o respeito à diversidade e à Constituição. Eles assinam manifesto como Movimento Estamos Juntos, contra o que chamam de “desmandos de qualquer governo”.

O texto destaca: “Vamos juntos sonhar e fazer um Brasil que nos traga de volta a alegria e o orgulho de ser brasileiros”. Há aproximadamente 230 assinaturas públicas no documento, incluindo do Fernando Haddad (PT), Flávio Dino (PCdoB), Manuela D’Ávila (PCdoB), Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e artistas, intelectuais e personalidades da vida pública nacional, como Dom Odilo Sherer, cardeal arcebispo de São Paulo; Monja Cohen, religiosa budista; Caetano Veloso, Chico Cesar, Lobão, Fernanda Montenegro e Antonio Fagundes, dentre outros.

Impeachment

O líder da Minoria na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE) reproduziu o manifesto “Somos muitos” em sua rede social e destacou que o documento crítico a Bolsonaro “une PT, PSDB, religiosos e intelectuais”.  Em outro post, o deputado afirmou que é dever de todos os democratas do País defender a democracia. “Falta o Congresso Nacional fazer o mesmo”, afirmou, se referendo as dezenas de pedido de impeachment de Bolsonaro que estão parados na Câmara.

E o deputado Afonso Florence (PT-BA) avaliou com fundamental o pronunciamento de entidades e personalidades, de diferentes posições políticas, em defesa da democracia e do povo brasileiro. “Parabéns pela iniciativa! Me coloco, incondicionalmente, à disposição desse projeto!”, afirmou o deputado, em sua rede social.

 

PT na Câmara, com Agência PT de Notícias

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Bolsonaro está vendendo Petrobras aos pedaços, denuncia Zarattini

Em vídeo publicado nas redes sociais, o líder da Minoria no Congresso, deputado Carlos Zar…