Home Portal Notícias Coronavirus Vídeo de balbúrdia ministerial prova crimes ainda mais graves, denuncia Zeca Dirceu

Vídeo de balbúrdia ministerial prova crimes ainda mais graves, denuncia Zeca Dirceu

9 min read
0

Em artigo, o deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR)  denuncia que o Brasil está “governado por psicopatas”, como ficou demonstrado por vídeo de reunião ministerial realizada dia 22 de abril e que veio ao conhecimento público na sexta-feira (22) por determinação do Supremo Tribunal Federal. “O vídeo mostra que o governo não tem metas, prazos ou preocupação com a vida das pessoas. Eles são um amontoado de sanguinários, fazendo o pior tipo de política”, escreveu o parlamentar no site Brasil 247.

O deputado afirma que o vídeo mostra que “a preocupação de Bolsonaro não é a população, e sim interesses pessoais e financeiros da sua família e de amigos”. Dirceu observa também que o vídeo mostra “quase três horas de uma reunião conduzida em tom de arruaça, com ameaças, xingamentos, palavrões, calúnias e a completa definição da incompetência”, além de revelar que o governo “não tem metas, prazos ou preocupação com a vida das pessoas. Eles são um amontoado de sanguinários, fazendo o pior tipo de política.”

Para o deputado, a abertura de processo de impeachment deve ser o mais rápido possível, para o bem do Brasil.

Leia a íntegra do artigo:

“Balbúrdia ministerial prova crimes ainda mais graves

Por Zeca Dirceu

Vivemos em um país governado por psicopatas. Governantes que não estão minimamente preocupados com a vida da população. As imagens da reunião ministerial, divulgadas pelo Supremo Tribunal Federal, deixam evidente que a preocupação de Bolsonaro não é a população, e sim interesses pessoais e financeiros da sua família e de amigos.

São quase três horas de uma reunião conduzida em tom de arruaça, com ameaças, xingamentos, palavrões, calúnias e a completa definição da incompetência. O que mais chama atenção no vídeo não são os palavrões ou a falta de liturgia que o cargo de presidente exige, mas sim, a falta de sensibilidade em tratar assuntos essenciais para o momento. Na ocasião em que a gravação foi feita, dia 22 de abril, o Brasil contava com pouco mais de 46 mil casos confirmados pela Covid-19, e havia enterrado, aproximadamente, 3 mil pessoas. Naquele momento Jair Bolsonaro reuniu ministros, presidentes de bancos públicos e grande parte da equipe de governo durante horas, mas não ouvimos sequer uma palavra relativa ao sofrimento que a população estava e ainda está vivendo.

Durante a reunião, nenhum ministro apresentou estratégias para o enfrentamento do Coronavírus. Sem qualquer pudor, foram brigas, agressões e ofensas com o intuito de sustentar o governo. Enquanto Paulo Guedes afirmou que o governo apenas daria apoio financeiro às grandes empresas; Weintraub por sua vez, não citou qualquer programa para desenvolver a ciência ou a pesquisa nesse período, preferindo ficar nas ofensas e disputas. Outro descalabro vem de Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, que sugeriu aproveitar o momento para flexibilizar leis ambientais de “ir passando a boiada”.

A gravidade do vídeo não se limita a destruição do Estado e a incapacidade de se solidarizarem com quem sofre, com quem é humilhado nas agências da Caixa ou morre nas filas do SUS; o chefe do executivo federal ainda se mostra um presidente subversivo. Bolsonaro deixa claro que planeja uma luta armada no Brasil. No vídeo ele afirma que está atuando para armar a população, com propósitos políticos, além da disposição em distribuir armas para seus seguidores, a fim de “garantir a força de sua vontade”. Bolsonaro sabe que a ação de grupos armados, civis ou militares, contra a ordem constitucional e o Estado Democrático de Direito ferem a Constituição Federal e a Lei de Segurança Nacional, mas ele quer o caos. Ele propaga a criação de uma convulsão social para ter a desculpa de usar armas e a força militar para implantar um regime ditatorial.

Em dezembro, Bolsonaro já tinha sido alertado sobre uma possível pandemia, mas nada fez. Em fevereiro já tínhamos o primeiro caso confirmado, e o governo continuou calado, omisso, sem um plano de ação que pudesse conter os efeitos da pandemia. O vídeo mostra que o governo não tem metas, prazos ou preocupação com a vida das pessoas. Eles são um amontoado de sanguinários, fazendo o pior tipo de política.

Não há dúvidas que o vídeo é uma prova que vai fortalecer os pedidos de impeachment. Já são mais de 30 pedidos e exigiremos que um deles tramite imediatamente na Câmara. Vamos continuar investigando e denunciando. Essa é a função do Congresso Nacional e do Judiciário. Mesmo com todo o autoritarismo e o desejo de intervenção militar, Bolsonaro não vai nos calar. Impeachment já!”

(Artigo publicado originalmente no site Brasil 247 em 24 de maio de 2020)

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Irresponsável, Bolsonaro ignora auxílio emergencial de R$ 600,00 e ataca governadores

Incomodado com a cobrança de sua flagrante incapacidade de comandar o País e enfrentar a p…