Home Portal Notícias Manchetes O cerco está se fechando, STF pede apreensão do celular do presidente Bolsonaro

O cerco está se fechando, STF pede apreensão do celular do presidente Bolsonaro

6 min read
0

Parlamentares da Bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara repercutiram em suas redes sociais, nesta sexta-feira (22), a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, de enviar à Procuradoria-Geral da República (PGR), pedidos de depoimento e de busca e apreensão do celular do presidente Jair Bolsonaro e do seu filho, Carlos Bolsonaro.  O decano do STF argumentou que é papel do Estado apurar acusações criminais feitas por “quaisquer que possam ser as pessoas alegadamente envolvidas”.

O ministro disse ainda que “torna imprescindível a apuração dos fatos delatados”, mesmo que “se trate de alguém investido de autoridade na hierarquia da República, independentemente do Poder (Legislativo, Executivo ou Judiciário) a que tal agente se ache vinculado”.

Na opinião do líder do PT na Câmara, deputado Enio Verri (PR), o mais correto, neste momento, é o afastamento do presidente da República para que se averiguem os fatos sem nenhuma interferência.

“O ministro do STF, Celso de Mello, pediu a apreensão dos aparelhos celulares dos Bolsonaro, Jair e Carlos, com a finalidade de apurar autoria e a materialidade de fatos delituosos narrado em notícia crime. Para o bem da nação, Bolsonaro deve ser afastado até que tudo se apure”, defendeu Verri em sua conta no Twitter.

 

 

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), também pelas redes sociais, aconselhou do procurador-geral, Augusto Aras, a acatar o pedido feito pelo ministro Celso de Mello. “Aceite o pedido, Aras. É preciso saber se a família cometeu crime. Se Bolsonaro e seu filho são inocentes, como alegam, não tem nada a temer”, escreveu.

 

 

Na avaliação do líder da Minoria no Congresso Nacional, deputado Carlos Zarattini (PT-SP), esse é o momento para que fatos sejam esclarecidos e elucidados. “O cerco está se fechando. Pedido de apreensão do celular de Bolsonaro pelo STF é um passo importante para o avanço das investigações”, frisou.

 

O deputado Alencar Santana Braga (PT-SP) destacou que o filho de Bolsonaro, conhecido como “Carluxo” questionou as medidas adotadas pelo STF. “Carlos Bolsonaro questiona pedido de apreensão do celular e desvia o foco para Adélio (autor da facada em Jair Bolsonaro), mas queremos o vídeo na íntegra! Segundo Celso de Mello, é dever do Estado promover a apuração dos fatos. É direito do povo saber o que tem no vídeo”, afirmou.  O deputado se refere a reunião de Bolsonaro com ministros, na qual, segundo o ex-ministro Sérgio Moro,  houve pressão do presidente pela troca do comando da Polícia Federal visando proteger seus filhos e aliados políticos.

O deputado Jorge Solla (PT-BA) citou trechos da ação desencadeada pelo ministro, no qual Celso de Mello afirmou ser “incontornável dever jurídico do Estado”, especificamente do Ministério Público e da Polícia Judiciária, “apurar a efetiva ocorrência dos ilícitos penais noticiados”. E mandou um recado ao procurador-geral da República: “Aras não tente engavetar se quer virar ministro”.

A deputada Luizianne Lins (PT-CE) escreveu: “O genocida Bolsonaro vai ter que mostrar seu celular para o ministro Celso de Mello (STF). Vocês imaginam a quantidade de podres que deve ter na memória desse aparelho?”, ironizou.

 

Benildes Rodrigues

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Indústria recusa trigo transgênico com medo de rejeição do consumidor

É cada vez maior a resistência contra o trigo transgênico em processo de avaliação na Comi…