Home Portal Notícias Manchetes Gleisi rechaça ameaças de General Heleno: “Vai responder criminalmente”

Gleisi rechaça ameaças de General Heleno: “Vai responder criminalmente”

3 min read
0

Ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional de Bolsonaro reage à decisão de Celso de Mello de apreender celulares do presidente e de Carlos. “Que consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional são essas às quais você se refere?”, cobra a presidenta do PT

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), reagiu às ameaças do General Augusto Heleno, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República. “O pedido de apreensão do celular do presidente da República é inconcebível”, alertou Heleno. “E poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”.

Gleisi bateu duro: “Que consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional são essas às quais você se refere, general Heleno?” E avisou: “Se isso for uma ameaça à ordem democrática, o senhor vai responder criminalmente. Se não for, o senhor precisa vir a público se esclarecer. Queremos saber o que essa frase significa”.

O comentário de Heleno também provocou reações de políticos e representantes de organizações da sociedade civil, como a Ordem dos Advogados do Brasil. O presidente do Conselho Federal da OAB, Felipe Santos Cruz, criticou o ministro do GSI. “General Heleno, as instituições democráticas rechaçam o anacronismo de sua nota. Saia de 64 e tente contribuir com 2020, se puder. Se não puder, #ficaemcasa”, escreveu no Twitter.

O militar aposentado reagiu de maneira ameaçadora ao retrucar a decisão de Celso de Mello, relator do inquérito no Supremo Tribunal Federal que apura acusações de Sérgio Moro contra o presidente Jair Bolsonaro. O ministro determinou a apreensão dos celulares de Bolsonaro e do filho, Carlos Bolsonaro.

O recado de Heleno ocorreu minutos antes do relator decidir favoravelmente pela divulgação do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril, em que Bolsonaro ameaçou demitir o então ministro da Justiça, caso não trocasse o comando da Polícia Federal. O inquérito no STF investiga se houve irregularidade na conduta do presidente.

PT Nacional.

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Líder Enio Verri cobra votação de pedido de impeachment de Bolsonaro

O líder do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados, Enio Verri (PR), cobra da Pr…