Home Portal Notícias Líder do PT cobra quebra de sigilo de gastos milionários de Bolsonaro com cartão corporativo

Líder do PT cobra quebra de sigilo de gastos milionários de Bolsonaro com cartão corporativo

5 min read
0

O líder do PT na Câmara, Enio Verri (PR), encaminhou hoje (12) à Secretaria-Geral da Presidência um requerimento de informações para obter o detalhamento dos gastos do cartão corporativo do presidente de extrema direita Jair Bolsonaro.  Com base na Lei de Acesso a Informações (LAI), o partido requer dados sobre os valores e locais onde os gastos foram realizados, assim como os da Vice-Presidência, do  Gabinete de Segurança Institucional, da Agência Brasileira de Inteligência e do Ministério das Relações Exteriores, desde janeiro de 2019, quando Bolsonaro assumiu o cargo.

Reportagem do jornal O Estado de S. Paulo mostra que as despesas sigilosas vinculadas a Bolsonaro foram de R$ 3,76 milhões neste ano, segundo informações do Portal da Transparência. O valor representa um aumento de 98% em relação à média dos últimos cinco anos no mesmo período.

Se for descontado R$ 739.598, o valor da operação que resgatou brasileiros em Wuhan, na China, o aumento continua extraordinário: uma alta de 59% em relação à média do que gastaram Dilma Rousseff e Michel Temer, antecessores de Bolsonaro no cargo. Bolsonaro antes de chegar ao cargo de presidente criticava os gastos e sua tropa de choque nas redes sociais defendia o fim do cartão corporativo.

Lista de beneficiários

No documento, o líder petista requereu informações sobre quais são as autoridades que usam os cartões corporativos, quais as que mais gastaram e, em caso de gastos no exterior, quem os realizou e de quanto é o valor.

No questionário, constam perguntas como: a) Quais são os órgãos e autoridades políticas, bem como servidores públicos beneficiários dos cartões corporativos na Administração Pública Direta e Indireta (Poder Executivo) atualmente? b) Quais os valores mensais e totais que foram despendidos nos últimos 12 meses, através do uso dos cartões corporativos? c) Quais os órgãos, autoridades e servidores públicos tiveram os maiores gastos nesse período? d) Quais foram os gastos efetuados no exterior e quais agentes públicos e políticos promoveram estes gastos?

Ditadura militar

O líder argumentou no requerimento que em 7 de novembro de 2019 os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) derrubaram o sigilo de alguns gastos do presidente da República, dentre eles, aqueles realizados por meio do uso do cartão corporativo da Presidência.  O STF, por maioria, julgou procedente uma arguição de descumprimento de preceito fundamental (ação movida em 2008 pelo antigo PPS, hoje Cidadania), reconhecendo a incompatibilidade com o texto constitucional do art. 86 do Decreto-Lei 200/67, nos termos do voto do Ministro Relator Edson Fachin.

O referido decreto, ainda da época da ditadura militar, amparava a decisão acerca da não divulgação das despesas da Presidência, utilizado pelo atual governo para justificar o sigilo dos gastos do cartão corporativo.

Leia a íntegra do requerimento:

Requerimento de informaçoes via LAI – Cartões Corporativos – gastos da presidencia e outros órgãos – 12.5.2020 (1)

 

Redação PT na Câmara

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Desmoralizada, Lava Jato retoma a velha tática de atacar Lula às vésperas da eleição

Na tentativa de sobreviver à desmoralização imposta pelas denúncias de manipulações e prát…