Home Portal Notícias Coronavirus Bohn Gass denuncia “apagão” nos dados sobre emprego

Bohn Gass denuncia “apagão” nos dados sobre emprego

5 min read
0

Quando o assunto é emprego ou desemprego, nenhum número divulgado pelo governo Bolsonaro é confiável. Isto, porque o CAGED – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, principal estatística sobre contratações e demissões no País, não divulgou nenhuma informação sobre o volume de vagas com carteira assinada criadas ou fechadas no último trimestre.

“Agora mesmo, o governo comemora. Diz que não houve disparada na busca do seguro-desemprego entre março e abril e que, mesmo com a pandemia, não aconteceram muitas demissões no País. Acontece que, sem o CAGED, isso não passa de um chute. Com o País no escuro, o governo pode manipular avaliações como melhor lhe convier politicamente”, denuncia o deputado Bohn Gass (PT-RS), titular da Comissão de Trabalho da Câmara Federal.

Gustavo Bezerra

Lei de Acesso à Informação

Para dar fim a esse “apagão” nos dados sobre emprego, Bohn Gass apela à Lei de Acesso à Informação e exige que o Ministério da Economia esclareça: 1) com base em quais dados/estudos o governo decidiu suspender a divulgação dos dados do CAGED? 2) qual a previsão para o retorno da transparência na divulgação dos indicadores de emprego e desemprego?

Outras duas legislações obrigam o ministério a responder e amparam o pedido do deputado: a Lei nº 4.923/65 (determina a obrigação da comunicação de admissões e dispensas pelo CAGED) e o Decreto 76.900/75 (obrigação de prestação de informações da Relação Anual de Informações Sociais – RAIS).

O governo culpa empresas

Oficialmente, o governo tenta justificar a suspensão na divulgação dos dados alegando que as empresas não estão fornecendo as informações ao CAGED. “É uma desculpa furada, um atestado de incompetência. O governo tem mecanismos para cobrar das empresas o dever de informar. Se não o faz, é porque convém esconder da sociedade, neste momento de crise, o tamanho do buraco”, denuncia Bohn Gass.

O parlamentar avalia que é gravíssima a sonegação de dados e que a intenção, já manifestada pelo governo, de substituir o CAGED pelo registro via sistema eSocial, também não justifica o apagão. Por isso, Bohn Gass incluiu no seu Pedido de Informações, as seguintes perguntas: a) Como ocorrerá a substituição de um sistema pelo outro? b) Quais as empresas que serão alvo da migração da obrigação de prestação de informações e em que prazo? c) que medidas serão adotadas para assegurar o cumprimento regular do eSocial? d) qual a sustentação metodológica e tecnológica para garantir o cumprimento da obrigação da divulgação dos dados sobre emprego, renda, variação por sexo, faixa etária, jornada, natureza do vínculo e desligamentos entre outras informações?

“Sem essas respostas, nem o governo, nem o Congresso e nem mesmo a sociedade têm condições de analisar e, menos ainda, de propor ações contra a pandemia na área da geração de renda porque não há base confiável para isso”, afirma Bohn Gass.

Assessoria de Comunicação

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Lactantes pela Vacina: duas vidas salvas

Por Alexandre Padilha   No início do mês de maio soube pelas redes sociais do movimen…