Home Portal Notícias Coronavirus Petistas repudiam aprovação de MP que retira direitos dos trabalhadores em plena epidemia

Petistas repudiam aprovação de MP que retira direitos dos trabalhadores em plena epidemia

15 min read
0

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara manifestaram pelo Twitter repúdio e indignação com a aprovação da Medida Provisória 905, votada em sessão virtual da Câmara, que terminou na madrugada desta quarta-feira (15). Segundo os parlamentares, aprovar a retirada de diversos direitos dos trabalhadores, em plena pandemia causada pelo coronavírus, foi uma atitude lamentável e uma vergonha para o parlamento brasileiro.

Para a presidenta Nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), no atual momento pelo que passa o País, essa MP do governo nem deveria ter sido votada.

“Lamentável Rodrigo Maia (presidente da Câmara), a Câmara aprovar a MP 905. Depois de ajudar Estados e Municípios ontem (dia 13), hoje (14) precarizou trabalho para jovens e idosos dizendo que isso vai beneficiá-los. O parlamento fez feio para o país. Ao invés de proteger os mais fracos, jogou-os aos leões. Não era pauta para agora”, lamentou.

O Líder da Minoria no Congresso Nacional, deputado Carlos Zarattini (PT-SP), disse que votar a retirada de direitos dos trabalhadores, “na calada da noite”, e “em plena pandemia”, foi “inacreditável”.

“Na calada da noite, deputados governistas aliados ao Centrão aprovaram a MP 905, que cria a “carteira verde-amarela”. Em plena pandemia de coronavírus, Câmara revoga 42 artigos da CLT. Inacreditável!”, afirmou.

Leia abaixo mais declarações contra a aprovação da MP 905:

Deputado José Ricardo (PT-AM) – “Votei contra a MP 905/2019 que retira mais direitos dos trabalhadores que estão sofrendo com a pandemia do coronavírus. Rodrigo Maia, seus aliados e do governo Bolsonaro aprovaram. Agora as empresas não recolhem mais previdência social”.

Deputado Alencar Santana Braga (PT-SP) – “O povo sendo massacrado ainda mais pelo projeto BolsoGuedes! Menos direitos para os trabalhadores, mais privilégios aos patrões. É para isso que serve a MP 905 da carteira verde e amarela que está sendo votada em plena pandemia”.

Deputada Erika Kokay (PT-DF) – “Votei não à MP 905, da carteira verde e amarela, mais um golpe contra a CLT. Nós da oposição lutamos, obstruímos, mas a medida foi aprovada na Câmara. A luta continua para derrubá-la no Senado. A medida caduca no próximo dia 20. Vamos pressionar os senadores”.

Deputada Professora Rosa Neide (PT-MT) – “Apesar da mobilização, fomos vencidos no embate da MP 905. A famigerada proposta segue agora para o Senado e continuaremos lutando para que não retirem mais direitos dos trabalhadores”.

Deputado Rui Falcão (PT-SP) – “Que vergonha, o governo tira direitos e ainda coloca as cores da bandeira brasileira na carteira de trabalho dos jovens contratados!”

Deputado Paulo Teixeira (PT-SP) – “Votei não na MP 905, que cria a chamada ‘Carteira Verde e Amarela’ que tira direitos dos trabalhadores. Diminui a multa de FGTS, diminui a contribuição ao INSS, autoriza o trabalho aos domingos, não considera o acidente de trabalho no percurso”.

Deputado Reginaldo Lopes (PT-MG) – “A Câmara, infelizmente, aprovou nesta noite (14) a MP de Bolsonaro conhecida como “carteira verde e amarela”, uma continuidade da reforma trabalhista de Michel Temer. Mais precarização para os trabalhadores e trabalhadoras em um momento de pandemia”.

Deputada Maria do Rosário (PT-RS) – “Li uma mensagem: hoje, o bem venceu o mal. Onde? Na sessão da Câmara não foi o bem q venceu, não. A gente tá lutando mas tiraram monte de direitos trabalhistas. Uma pena, pois a Câmara tava indo tão bem”.

Deputado Valmir Assunção (PT-BA) – “Com a população em quarentena, ou seja, sem pressão popular na Câmara dos Deputados, o governo junto com o Centrão retirou ainda mais direitos trabalhistas! Não é pauta de combate ao coronavírus! É promoção da precarização e do desemprego!”

Deputada Natália Bonavides (PT-RN) – “Ontem (14), a Câmara parou o que tinha de mais importante para fazer (votar medidas sobre a pandemia) para aprovar uma medida que precariza direitos trabalhistas. Indigno! Na sessão virtual, denunciamos a MP 905, projeto cruel e que se torna ainda mais absurdo neste momento grave”.

Deputado Assis Carvalho (PT-PI) – “Nós do PT e demais partidos da oposição votamos contra. Mas não teve jeito. Direitos trabalhistas foram jogados na lata do lixo. Nestes tempos duros de pandemia, a Câmara aprovou a MP 905, da carteira verde amarela de Bolsonaro”.

Deputado Zeca Dirceu (PT-PR) – “A MP 905 é continuidade da destruição da CLT. Congresso repete há 5 anos uma farsa permanente. Votações madrugada adentro, promessas e discursos mirabolante de que agora vai, Brasil vai gerar empregos e será uma ilha de prosperidade. Resultado, tem sido só recessão e desemprego”.

Deputado Paulo Guedes (PT-MG) – “Em meio ao caos da pandemia e à impossibilidade do debate nas ruas, a Câmara aprova a MP 905, que fragiliza ainda mais a relação trabalhista. Abre-se caminho para a demissão em massa e perda de direitos. Votamos contra e não desistiremos de barrar mais esse retrocesso”.

Deputado Vicentinho (PT-SP) – “Mais uma vez essa maioria votou a destruição de mais direitos para o nosso povo trabalhador. Traidores! Foi para isso tudo que deram o golpe e elegeram Bolsonaro. Acorde povo!”.

Deputado Helder Salomão (PT-ES) – “O Brasil é o único país do mundo que aprova uma MP para retirar direitos dos trabalhadores em meio a uma pandemia. Economia acima da vida”.

Deputado Beto Faro (PT-PA) – “Mais uma MP contra os direitos dos trabalhadores”.

Deputado Patrus Ananias (PT-MG) – “Para explicar melhor a gravidade: pela MP 905, a MP da ‘carteira verde e amarela’, todo empregado agora se aproxima de um ‘trabalhador temporário’. Direitos são cortados e reduzidos, quem decide o que vale é o patrão. Assustador imaginar isso sendo aprovado em meio a uma pandemia”.

Deputado Zé Neto (PT-BA) – “Votei contra a MP 905! Infelizmente, enquanto os Trabalhadores Brasileiros, já tão sofridos com a pandemia, dormiam, na madrugada desta quarta, foram golpeados pela maioria da Câmara, que votou favorável, nessa tarde e noite (última votação às 01:48), à MP 905, de autoria do Governo Federal”.

Deputado Leonardo Monteiro (PT-MG) – “O número de mortes bate recorde no País pelo Coronavírus! Enquanto isso, apesar da nossa luta, foi aprovada na Câmara, a MP ‘Verde e amarela’ que, sob pretexto de aumentar os empregos, tira mais direitos, penalizando trabalhadores e reduzindo obrigações patronais!”

Deputado João Daniel (PT-SE) – “Esta noite (14), anos de lutas da classe trabalhadora foram descartados com a aprovação da carteira verde-amarela, proposta de campanha de Jair Bolsonaro, que beneficia os patrões às custas da retirada de direitos dos trabalhadores”.

Deputado Afonso Florence (PT-BA) – “No meio da recessão da pandemia, Bolsonaristas e neoliberais aprovam, na madrugada, MP 905 que ataca direitos dos trabalhadores, impõe trabalho nos domingos, dilui 13° nos salários mensais. PT e oposição obstruímos e votamos contra”.

Deputada Luizianne Lins (PT-CE) – “Tentamos obstruir, mas na madrugada deputados da direita e Centrão aprovaram MP da Carteira Verde Amarela, reduzindo para 20% multa do FGTS, parcelando férias e 13° em 12 vezes, entre outras maldades. Bolsonaro enterrando direitos do trabalhador”.

Deputado Vander Loubet (PT-MS) – “Minha posição nessa votação da MP 905 foi a mesma posição da Bancada do PT na Câmara: fomos contrários à colocação dessa MP na pauta e votamos contra essa proposta, divulgada pelo governo como “Medida Provisória do Contrato Verde e Amarelo”.

Deputado Odair Cunha (PT-MG) – “Na madrugada de ontem, o governo deu mais um golpe nos trabalhadores brasileiros: aprovou um pacote de mudanças nos direitos trabalhistas para facilitar o fim do 13º e de 1/3 das férias e reduzir a multa em caso de demissão. É um absurdo! E no meio de uma crise humanitária!”.

Deputado Zé Carlos (PT-MA) – “Fique alerta: Câmara aprovou a MP do Contrato Verde e Amarelo, na madrugada desta quarta-feira (15), a Medida Provisória 905, a MP maldosa do Bolsonaro que rasga a CLT para os jovens de 18 a 29 anos e para os que têm mais de 55 anos”.

Deputado Padre João (PT-MG) – “Aprovada a Medida Provisória 905/2019, que retira mais direitos dos trabalhadores e trabalhadoras. Uma vergonha! Mesmo com a crise de coronavírus, o governo quer pagar a conta com mais sacrifícios dos trabalhadores. Votei contra mais esta escravidão”.

Héber Carvalho

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Câmara aprova destaque do PT e derruba vetos presidenciais; itens ainda serão apreciados pelo Senado

Por acordo de líderes, a Câmara aprovou, nesta quarta-feira (12), por 440 votos a 1, o des…