Home Portal Notícias Coronavirus Covid-19: Alexandre Padilha desmonta teorias de Osmar Terra para o fim do isolamento social

Covid-19: Alexandre Padilha desmonta teorias de Osmar Terra para o fim do isolamento social

6 min read
0

Durante a reunião da Comissão Externa do Coronavírus na Câmara dos Deputados, nesta terça-feira (14), o deputado Alexandre Padilha (PT-SP) desmonta as afirmações e aponta os erros do deputado Osmar Terra (MDB-RS), que já foi ministro da Cidadania do governo Bolsonaro, sobre a pandemia do Covid-19 no Brasil.

Osmar Terra, assim como o presidente Bolsonaro, é a favor de um afrouxamento nas medidas de isolamento social e do discurso de que o Brasil não pode parar. Na sua penúltima participação na reunião da comissão, Osmar Terra apresentou um gráfico que relacionava o crescimento de casos da doença com o início das medidas de isolamento radical na Itália. “A Itália quando adota essa quarentena radical aumenta o número de casos, não diminui”, afirmou na ocasião.

Alexandre Padilha joga por terra a teoria usada pelo ex-ministro Osmar Terra. “Ele queria provar que o aumento de casos, na Itália, começou exatamente na data onde teve início das medidas. Tem um erro clássico nisso, ele está esquecendo que existe uma coisa chamada período de incubação, independente da dificuldade de notificação e da confirmação do teste. A pessoa que começa a ter sintoma hoje, ela não pegou o vírus hoje, ela pegou o vírus a 5, 7, 10, 14 dias atrás. Então, foi desmontado o gráfico que ele apresentou”, explicou Padilha.

Osmar Terra também usou seu Twitter para disseminar outra teoria. Ele colocou um gráfico da cidade de São Paulo e escreveu: “A não ser que falte alguma informação, tudo indica que São Paulo já atingiu o pico da epidemia e está diminuindo rapidamente o número de casos novos!”.

Alexandre Padilha, que é médico e já foi ministro da Saúde no governo Dilma, mais uma vez mostra que Osmar Terra está errado. “É bom ele ter começado isso, porque no gráfico dele faltam muitas informações. Desde a testagem, o Brasil é o país que menos testa no mundo por 1 milhão de pessoas. Está testando em média 260 testes por 1 milhão de pessoas. Enquanto a Alemanha, Espanha e Portugal já ultrapassaram mais de 10 mil. A Suíça já testou mais de 20 mil por 1 milhão de pessoas, não quero chegar no parâmetro da Suíça, mas o Brasil na condição que está, não pode titubear em relação as medidas do isolamento”, enfatizou.

Para o ex-ministro da Saúde, não dá para alguém querer dizer que acabou o pico da pandemia na cidade de São Paulo sem considerar a data dos registros dos exames, a data dos registros dos casos, o início dos sintomas, o período de incubação e qual é o ritmo de registro desses casos pela Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo.

Medidas Indispensáveis

Padilha afirmou que o Brasil precisa fazer testes, produzir máscaras, disponibilizar mais leitos de UTI e viabilizar as mais variadas alternativas para garantir profissionais nas unidades de Saúde. “Enquanto o Brasil não der conta de resolver esses quatro itens não me venham falar de afrouxamento de isolamento social, de fim da pandemia, se não vai acontecer com o Brasil o que assistimos em outros países que é uma coleção, uma fileira de caixões”, alertou o deputado, lamentando que isso já está começando a ser visto no nosso País.

Assista o vídeo que o Padilha desmonta os argumentos de Osmar Terra

Lorena Vale

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Zarattini defende auxílio emergencial de R$ 600,00 e denuncia Bolsonaro por desprezar drama de milhões de brasileiros

O líder da Minoria no Congresso Nacional, deputado Carlos Zarattini (PT-SP), acusou hoje (…