Home Portal Notícias Coronavirus Movimentos populares lançam campanha de solidariedade

Movimentos populares lançam campanha de solidariedade

5 min read
0

Organizações ligadas à Central de Movimentos Populares estão divulgando e cadastrando pontos de recebimento e distribuição de alimentos, produtos de limpeza e higiene para doações em favelas, ocupações e periferias. A iniciativa é para ajudar os que estão em situação de vulnerabilidade diante da crise do coronavírus.

Duas iniciativas implementadas pela Central de Movimentos Populares (CMP) estão promovendo e estimulando a solidariedade entre as pessoas no enfrentamento à crise do novo coronavírus. No início de abril, a CMP e outras organizações populares do país lançaram a campanha “Movimentos Contra a Covid-19”. A ideia é cadastrar e divulgar os pontos de recebimento e distribuição de alimentos, produtos de limpeza e higiene para doações em favelas, ocupações e periferias.

A campanha já conta com 60 pontos de arrecadação e distribuição em todo o país, desde que foi criada, em 2 de abril. Para se somar ao movimento solidário, para doar ou organizar pontos de arrecadação e distribuição, basta entrar em contato com a secretaria nacional da CMP pelo telefone (11) 5594-3670 ou pelo e-mail cmpnacbr@gmail.com.

Outra ação da CMP para fortalecer a ajuda às centenas de famílias em situação de vulnerabilidade foi a abertura de uma conta em um site de arrecadação de recursos – o www.vakinha.com.br –, para a compra de cestas básicas de alimentos e produtos perecíveis, como a “mistura” das refeições, além de itens de limpeza e higiene pessoal. Para contribuir, acesse: http://vaka.me/978192.

Todas as propostas e iniciativas dos movimentos populares para combater a Covid-19, cobrar as responsabilidades do Estado, bem como saber os locais disponíveis de arrecadação e distribuição de produtos estão no site movimentoscontracovid19.com.

O coordenador nacional da CMP, Raimundo Bonfim, afirma que os movimentos têm consciência da importância de suas ações. Ele considera que as medidas ajudam, mas “ainda não são suficientes”. Por isso, em paralelo às campanhas, os movimentos cobram medidas urgentes do Estado no enfrentamento da fome, da miséria e do desemprego causados pelo novo coronavírus.

Em recente manifesto assinado por organizações da sociedade civil, os líderes populares afirmam que é fundamental ir além da solidariedade. “Exigimos que os governos cumpram suas obrigações e garantam condições para que o povo mais excluído possa enfrentar e sobreviver à esta situação de crise”, aponta a nota. “Além do imediato pagamento da renda básica, exigimos a suspensão dos despejos por falta do pagamento de aluguel, suspensão de todas as reintegrações de posse, isenção de taxas de água e energia e Vale Gás”.

Os movimentos populares querem ainda a imediata suspensão do pagamento das prestações dos mutuários de quaisquer programas habitacionais.

Central de Movimentos Populares

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Petistas criticam canetada que eleva salário de Bolsonaro e ministros em até 69% acima do teto

Em plena pandemia da Covid-19, com mais de 14 milhões de brasileiros desempregados e um au…