Home Portal Notícias “Saída para a crise no Brasil é adotar a política de estímulo à economia dos governos do PT”, apontam petistas

“Saída para a crise no Brasil é adotar a política de estímulo à economia dos governos do PT”, apontam petistas

10 min read
0

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara afirmaram em postagens no twitter, nesta terça-feira (10), que os efeitos da crise econômica que se alastra por todo o mundo, por conta da queda do preço do petróleo e do avanço do coronavírus, serão muito maiores no Brasil se a política econômica recessiva de Bolsonaro-Paulo Guedes continuar sendo implementada. Segundos os parlamentares, a fuga de capitais do Brasil e a alta do dólar só poderão ser contidos com a adoção da política anticíclica de estímulo à economia adotada durante os governos do PT.

Segundo o líder da Bancada do PT na Câmara, deputado Enio Verri (PR), não há como o Brasil escapar dos efeitos da recessão econômica que se aproxima, sem a adoção da política implementada por Lula e Dilma, que geraram emprego e renda para o povo brasileiro, além de muito investimento produtivo no País.

“A crise do preço do petróleo e o coronavírus têm feito a crise aumentar, mas a incompetência de Bolsonaro-Paulo Guedes tem feito a crise no Brasil ser ainda maior. As bolsas caíram no mundo todo, mas no Brasil caiu mais. As moedas do mundo se desvalorizam em relação ao dólar, mas o real foi a moeda que mais se desvalorizou. Ou seja, se não voltarmos a aplicar a política econômica adotada por Lula e Dilma, anticíclica, que gera emprego e renda, e faz a população voltar a consumir e as empresas crescerem, a crise que ocorre no mundo será muito maior no Brasil”, asseverou.

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), destacou ainda que para enfrentar a crise o País precisa de mais investimentos, e que o Congresso Nacional não pode cair no discurso defendido pelo governo de mais cortes em investimentos e de arrocho contra a população.

“O governo ainda reduziu investimentos no PAC, Minha Casa Minha Vida…inclusive áreas sociais. E ainda tem gente que quer mais arrocho no povo. Desse jeito a roda da economia não gira. Neoliberais querem usar a crise que eles aprofundaram, para passar mais reformas contra o povo. Não é com menos Estado que vamos resolver os problemas do País. É com mais investimento, emprego e renda. O Congresso não pode mais ser sócio do Titanic de Guedes e Bolsonaro”, alertou.

Segundo a deputada Erika Kokay (PT-DF), ao propor mais medidas recessivas o governo Bolsonaro demonstra não saber como enfrentar os efeitos da crise sobre o Brasil. “O governo de Jair Bolsonaro não tem capacidade, nem credibilidade, para superar a atual crise econômica mundial que se anuncia. O momento exige mais Estado, políticas anticíclicas e um projeto nacional. Bolsonaro e Guedes estão na contramão com medidas recessivas ultraliberais!”, acusou.

Crise de 2008

Já o deputado Nilto Tatto (PT-SP) destacou que a crise mundial de 2008, iniciada com a quebra de instituições financeiras nos Estados Unidos, só não teve efeitos maiores no Brasil graças à política de estímulo à economia nacional adotada pelo ex-presidente Lula.

“Se a crise de 2008 não teve reflexos tão graves no Brasil, foi graças a um homem chamado Lula. Ele fez o que se espera de um presidente: enfrentou aquele momento com muito trabalho. Como você acha que Bolsonaro está enfrentando a crise atual?”, indagou.

Alta do dólar

Em relação aos “esforços” do governo Bolsonaro para tentar conter a alta do dólar, os deputados Helder Salomão (PT-ES) e José Guimarães (PT-CE) ressaltaram que a situação seria muito pior se os governos de Lula e Dilma não tivessem deixado US$ 380 bilhões em reservas.

“O que seria do Brasil sem os US$ 380 bilhões de reserva deixados pelo PT e que estão sendo torrados por Guedes e Bolsonaro? E ainda há quem acredite na falácia de que o “PT quebrou o Brasil”, observou Helder Salomão.

O deputado José Guimarães lembrou ainda que enquanto “a economia despenca, a ladainha da aprovação de reformas continua a todo vapor”. “Enquanto isso, nenhuma menção à retomada dos investimentos públicos e revisão do teto de gastos. O que seria de nós sem os US$ 380 bilhões deixados pelo PT e que estão sendo torrados por Guedes?”, perguntou.

Leia outras mensagens sobre a incompetência do governo Bolsonaro no combate à crise:

Deputado Reginaldo Lopes (PT-MG) – “Precisamos de responsabilidade na condução da política econômica! Chega de palhaçada! Precisamos de uma nova agenda econômica para o Brasil. Após cinco anos de política econômica ultraliberal, é irresponsabilidade continuar com a mesma agenda!”.

Deputado Rogério Correia (PT-MG) – “Crise é mundial, mas na incompetência o governo brasileiro é campeão. Paulo Guedes não sabe como agir e insiste no veneno amargo das ‘reformas’ recessivas”.

Deputada Luizianne Lins (PT-CE) – “O caos econômico e social se instalando no Brasil. (Des)governo Bolsonaro está destruindo nossa credibilidade no mundo. Não há emprego digno nem desenvolvimento”.

Veja a análise do líder Enio Verri:

Enio Verri: governo torra reservas do País!

GOVERNO TORRA RESERVAS DO PAÍS!o Líder do PT na Câmara dos Deputados, Enio Verri (PR) fala sobre o desastre econômico promovido por Bolsonaro e Guedes. Não tem política para enfrentar a crise econômica. Torram as reservas acumuladas por Lula e Dilma Rousseff e não conseguem conter o dólar. Desemprego cresce, custo de vida aumenta, pobreza se amplia e o governo não apresenta alternativas.

Posted by PT na Câmara on Tuesday, March 10, 2020

 

Héber Carvalho

Foto – Gustavo Bezerra

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Petistas questionam no Ministério Público transferência do acervo da Fundação Palmares para prédio com avarias

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara entraram com ações na Procuradoria-Geral da Repúb…