Home Portal Notícias A verdade: PT constrói a BR 163 e Bolsonaro inaugura míseros 7% das obras

A verdade: PT constrói a BR 163 e Bolsonaro inaugura míseros 7% das obras

8 min read
1

Os governos Lula e Dilma executaram 93% das obras de recuperação da BR 163. Bolsonaro executou míseros 7% da obra.

A obra de recuperação da BR 163, Cuiabá-Santarém, que Bolsonaro inaugura nesta sexta-feira (14), como sendo grande feito de sua gestão, verdade seja dita, foi quase totalmente construída nas gestões petistas, esclarece o deputado federal Airton Faleiro (PT-PA).

NOTA SOBRE A RODOVIA

O projeto da Rodovia Federal BR-163 foi concebido no âmbito do Programa de Integração Nacional (PIN), instituído pelo governo federal, cujo objetivo era implementar um plano de obras de infraestrutura econômica e social nas regiões Norte e Nordeste do país e, com isso, promover uma rápida integração dessas regiões à economia nacional.

A primeira etapa do programa seria constituída pela construção imediata das rodovias Transamazônica (BR-230) e Cuiabá-Santarém (BR-163). As obras da Transamazônica tiveram início ainda em setembro de 1970, enquanto as da Rodovia Cuiabá-Santarém começaram em 1971.

Assim, a BR-163, entre Cuiabá e Santarém, foi inaugurada em 20 de outubro de 1976 pelo presidente Ernesto Geisel, no Pará. A rodovia foi originalmente construída em terra, com a sua pavimentação, ainda que não total, ocorrendo posteriormente por trechos.

Após três décadas sem a devida manutenção, a BR-163 voltou a receber atenção do governo federal.

Lula começa a pavimentação

No primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2006) foi idealizado o Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável para a Área de Influência da Rodovia BR-163, Trecho Cuiabá-Santarém (Plano BR-163 Sustentável).

Neste momento, mais uma vez, o governo federal elegia a recuperação e pavimentação do trecho como prioridade.

Mato Grosso

Em 2007, a recuperação e pavimentação do trecho Cuiabá-Santarém da BR-163 e a duplicação da BR-163-364/MT Rondonópolis – Cuiabá – Posto Gil foram incluídas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC)

A restauração, adequação e pavimentação do trecho entre Guarantã do Norte (MT), próximo à divisa entre Mato Grosso e Pará, e Santarém (PA), incluindo o acesso a Miritituba (BR-230/PA), com 1.024 km de extensão e investimento previsto de R$ 1,25 bilhão, inicial. Entre 2007 e 2014 foram investidos R$ 1,5 bilhões, e concluído 75% das obras. Em 2018, restavam 51 km a serem concluídos.

A deputada Professora Rosa Neide (PT-MT) lembra que a obra é mais um legado dos governos de Lula e de Dilma. “E sobre este legado, a BR 163, quantas vezes vimos reportagens com filas de caminhões atolados ao longo dessa BR, e o nosso sonho de levar o escoamento da produção de Mato Grosso para o porto de Santarém”, recorda.

Rosa Neide destaca que o governo Lula apresentou e executou o Plano de Desenvolvimento Sustentável da BR 163, e o governo Dilma deu continuidade. Foram pavimentados 700 km no estado o Pará e outros 800 km no estado do Mato Grosso, explicou a parlamentar. “Nós conseguimos fazer a BR de Rondonópolis ao Posto Gil, do Posto Gil a Cuiabá e de Cuiabá a Santarém. E hoje vemos o estado do Mato Grosso levando seus grãos, junto com o estado Pará, ao porto de Santarém, e fazendo de Mato Grosso o estado que mais exporta grãos neste país”.

A deputada critica o oportunismo do presidente da República. “O governo Bolsonaro, aproveitando os legados dos governos do PT, inaugura 51 km, terminando esse trecho da BR 163. Então, alegremo-nos com o trabalho feito pelos governos do PT, dando toda mobilidade ao estado do Mato Grosso. Vamos continuar na luta, lembrando nosso legado e sonhando com o desenvolvimento maior para o povo mato-grossense”.

Bolsonaro inaugura apenas 51 km restantes

Dos 707,4 quilômetros da BR-163/PA recuperados pelos governos Lula e Dilma, faltavam 51 quilômetros a serem asfaltados, divididos em dois lotes: três quilômetros, na Vila do Caracol, sob a responsabilidade da Construtora Agrienge; e 48 quilômetros em Moraes de Almeida, sob responsabilidade do Exército.

Assista o vídeo da deputada Professora Rosa Neide:

Assessoria de Comunicação

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Petistas questionam no Ministério Público transferência do acervo da Fundação Palmares para prédio com avarias

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara entraram com ações na Procuradoria-Geral da Repúb…