Home Portal Notícias Bolsonaro quer aniquilar os direitos do povo brasileiro, denuncia Enio Verri

Bolsonaro quer aniquilar os direitos do povo brasileiro, denuncia Enio Verri

9 min read
0

O novo líder do PT na Câmara, deputado Enio Verri (PR), alertou hoje (4) que o Brasil passa por um momento extremamente grave, com o governo direitista Jair Bolsonaro agindo com o objetivo central de aniquilar os direitos do povo brasileiro, em especial os mais pobres, para atender aos interesses do grande capital nacional e estrangeiro. “É um ano de destruição nacional, é uma pauta vergonhosa contra os trabalhadores, e precisamos lutar contra tudo isso”, declarou.

Numa cerimônia simbólica, em reunião da Bancada do PT na Câmara, Verri assumiu nesta terça-feira o cargo de líder, no lugar de Paulo Pimenta (RS), que liderou a bancada nos últimos dois anos. O novo líder anunciou que entre os desafios para este ano legislativo, iniciado nesta semana, está o fortalecimento da oposição ao governo direitista Bolsonaro e às suas ações desastrosas contra o povo brasileiro, como a retirada de direitos sociais, econômicos e trabalhistas.

Agenda neoliberal

Pimenta, num rápido balanço de sua gestão, apontou como pontos importantes do período a unidade da Bancada no enfrentamento aos retrocessos e à agenda neoliberal do atual governo, além das diferentes ações em defesa da libertação do ex-presidente Lula. “Nossa unidade fortaleceu a luta pela soberania nacional e a defesa dos direitos da população”, comentou o parlamentar.

Enio Verri destacou que a Bancada continuará atuando unida na defesa dos direitos dos trabalhadores, da soberania nacional e das conquistas econômicas e sociais do povo brasileiro, hoje alvo da sanha do governo de extrema direita do capitão-presidente.

O novo líder advertiu que o governo Bolsonaro tem como meta destruir o Estado brasileiro, para favorecer os interesses doo grandes conglomerados econômicos, em especial do setor financeiro. “Reagir contra a destruição do Brasil é um dos desafios do PT e dos outros partidos de oposição neste ano”, adiantou.

Submissão aos EUA

Entre as pautas antinacionais e antipopulares, citou privatizações de empresas como ECT, Casa da Moeda, Dataprev, Eletrobras, a autonomia do Banco Central, ataques ao meio ambiente e às universidades e à educação pública em geral, enfraquecimento do sistema público de saúde e a submissão do Brasil aos interesses dos Estados Unidos, como se o País fosse uma colônia de Washington.

Segundo Enio Verri, entre outras tarefas ao longo do ano, a bancada terá de avançar em sua atuação no Congresso Nacional, com propostas concretas para tirar o País do atoleiro econômico e social em que se encontra. “Nós, do PT, temos a solução para gerar empregos e renda, retomar as obras públicas e o desenvolvimento do País e evitar o desastre que se anuncia para o Brasil”, observou.

Foto: Gustavo Bezerra

União

Verri destacou a importância da união do PT com os outros partidos de oposição (PCdoB, PSOL, PDT, PSB e Rede) e parlamentares progressistas e democratas de outros partidos para combater os retrocessos do governo Bolsonaro. “Vamos procurar alianças para, de forma coletiva, fazer esse enfrentamento, junto com centrais sindicais e movimentos sociais como o MST e MTST. Será um ano de muitos desafios, mas de muita esperança também”.

Para o líder do PT, é preciso empreender esforços para uma agenda positiva que tenha como pilar fundamental a redução das desigualdades, a geração de empregos de qualidade, a proteção social, o crescimento econômico estruturado e a defesa da soberania nacional. Nesse sentido, destacou que o PT tem duas propostas centrais: reforma tributária (PEC 45/2019) e um plano emergencial de geração de empregos e renda.

Reforma tributária

O PT e demais partidos de oposição elaboraram uma emenda substitutiva global para garantir uma Reforma Tributária Solidária, Justa e Sustentável. A proposta procura diminuir a tributação sobre o consumo e aumentar a sobre a renda e patrimônio. “Ricos pagam pouco imposto e os trabalhadores e a classe média, proporcionalmente, pagam muito mais; é preciso mudar” diz o novo líder.

Empregos

Quanto ao Plano Emergencial de Emprego e Renda, Verri explicou que se trata de nove diretrizes, com a capacidade de gerar 7 milhões de vagas de trabalho a curto e médio prazo, incluindo propostas para a retomada de mais de 8 mil obras públicas paralisadas pelo País afora. “O PT, no governo, gerou 18 milhões de empregos formais, mas o governo atual, ao contrário, privilegia o grande capital com uma política que gera desemprego, miséria e concentração da renda”, comentou Enio Verri.

Veja o vídeo de posse do novo líder:

Reunião da Bancada: Enio Verri (PR) assume liderança do PT na Câmara

Posted by PT na Câmara on Tuesday, February 4, 2020

 

PT na Câmara

Fotos: Gustavo Bezerra e Lula Marques

 

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Alerta: Governo usa PF para criminalizar o PT

Na última quinta-feira (4/6), pessoas que se diziam agentes da Polícia Federal estiveram n…