Home Portal Notícias Coronavírus: Padilha entra com representação para obrigar governo Bolsonaro a trazer brasileiros que estão na China

Coronavírus: Padilha entra com representação para obrigar governo Bolsonaro a trazer brasileiros que estão na China

4 min read
0

O deputado federal e ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha (PT-SP) protocolou neste domingo (2) uma representação endereçada ao Ministério das Relações Exteriores exigindo que o governo traga ao Brasil, em segurança, o grupo de mais de 30 brasileiros que estão em Wuhan, cidade na China que é o epicentro da epidemia do coronavírus.

O grupo de brasileiros, que inclui homens, mulheres e até mesmo crianças, já fez dois apelos ao presidente de extrema direita  Jair Bolsonaro e ao ministro Ernesto Araújo para que os ajude a voltar ao Brasil, visto que todos eles estão saudáveis e não apresentam nenhum sintoma da doença.

Inércia e desprezo do governo

Bolsonaro, no entanto, se recusa a trazê-los de volta sob o argumento de que a operação “custa caro”, indo na contramão de outros países, como Estados Unidos e Japão, que já estão trazendo seus cidadãos para seus países de origem.

“Na qualidade de ex-ministro da saúde, deputado, médico e cidadão, vejo como inaceitável e inadmissível a situação dos brasileiros naquela cidade, mas é ainda mais inaceitável a inércia e o absoluto desprezo para com tão grave situação por parte do presidente da República e deste ministério. Importante dizer que, uma vez estarem eles em perfeitas condições de saúde até este momento, qualquer alteração neste quadro será de inteira responsabilidade de vossa Excelência e do Presidente da República”, afirma  Padilha na representação divulgada pela revista Fórum.

“O Brasil é um dos únicos países que mesmo diante da gravidade informada e definida pela Organização Mundial de Saúde, continua sem qualquer plano de ação não apenas para solucionar a situação dos brasileiros residentes em Wuhan, como para prevenir o problema internamente”, completa o parlamentar.

Razões humanitárias

Pelo twitter, Padilha observou que EUA, Japão e vários países da Europa tiraram seus cidadãos da China. “Razões humanitárias e vigilância. Trazer em conjunto, facilita p/avaliação clínica, bloqueio da transmissão, acompanhamento de surgimento de sinais/sintomas. Deixá-los p/se virarem dificulta esta avaliação”, escreveu.

Ele também ironizou a declaração do presidente de extrema direita Jair Bolsonaro sobre  os custos da operação e também sua declaração de que a retirada dos brasileiros trarias riscos. “Despreza a vida das pessoas e a vigilância em saúde”, acusou Padilha.

Leia a íntegra da representação aqui

PT na Câmara com revista Fórum

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Fim do auxílio emergencial jogará 17 milhões de pessoas na miséria, prevê FGV

Após a diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, afirmar que …