Home Portal Notícias Incompetência do governo na correção do Enem pode prejudicar milhares de estudantes, denunciam petistas

Incompetência do governo na correção do Enem pode prejudicar milhares de estudantes, denunciam petistas

9 min read
0

Deputados da Bancada do PT utilizaram suas redes nesta segunda-feira (20) para criticar os erros na correção das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019, que podem prejudicar milhares de estudantes. As falhas foram confirmadas pelo Ministério da Educação, que admitiu ter ocorrido “inconsistência na correção dos gabaritos”. Os candidatos fizeram a prova de uma cor e tiveram o gabarito corrigido como se fosse de outra cor.

Até a manhã de hoje, o Instituto Nacional de Estudos Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pelo exame, recebeu 60 mil pedidos de revisão da pontuação.

Na avaliação do líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (RS), o erro do Enem é o mais novo episódio que revela a incompetência do governo Bolsonaro.  Em vídeo divulgado em sua conta no Twitter, Pimenta destaca que inicialmente o ministro Abraham Weintraub (Educação) admitia que o erro era somente nas provas do segundo dia. “Agora, são nas duas etapas. Ninguém tem explicação e sabe dizer ao certo o que aconteceu e está acontecendo. Enquanto isso, milhões de pessoas são prejudicadas”, criticou.

Paulo Pimenta reconhece que errar é humano. “O problema é a forma de tratar as coisas. A forma de esconder a verdade da população, manipular as informações para esconder a incompetência do governo.  Esse governo a cada dia que passa revela de maneira mais nítida o grande erro que ele significou: milícia, crime organizado, incompetência, subserviência. Tudo isso no governo Bolsonaro”, desabafou.

Em outra publicação Pimenta lamentou: “Não bastava ter cometido um erro que está causando transtorno a milhares de estudantes e suas famílias. O governo Bolsonaro achou genial brincar com a emoção de quem fez o Enem”. O deputado se refere a uma postagem feita pelo governo, em sua página oficial no Facebook, na qual enfatiza: “Essa sexta eu sextarei chorando com a nota do Enem”.

 

Investigação

A deputada Margarida Salomão (PT-MG) defendeu uma investigação profunda para encontrar qual foi o elo fraco que permitiu que tamanha falha ocorresse. “Isso em nada ameniza a situação de Weintraub, o incompetente-mor desse governo incompetente”, acrescentou a parlamentar, em sua rede social. Ela ainda criticou o tempo limitado pelo Inep para o pedido de revisão da nota. O erro foi admitido no sábado passado e o prazo para o pedido de recontagem encerrou às 10h de hoje. “O prazo foi irresponsável e inadmissível. Trata-se de claro subterfúgio para que o número de casos diminuísse, numa tentativa de diminuir a crise”, protestou.

E o deputado José Guimarães (PT-CE) provocou: “Como esse ministro ainda não foi demitido? Nos faz ter certeza que o problema central está no Palácio do Planalto”.

Boicote ao futuro

O deputado Reginaldo Lopes (PT-MG) também criticou o prazo mínimo para o pedido de revisão. “O Inep deu apenas 24 horas para que os prejudicados pela correção se manifestassem. E o prazo já se encerrou. O governo Bolsonaro, inimigo declarado da educação pública, trabalha para boicotar o futuro dos jovens brasileiros! ”, criticou.

Na avaliação do deputado Alexandre Padilha (PT-SP), o que ocorreu no Enem é mais uma “crueldade” com os estudantes. “Mais uma demonstração da desorganização desse governo”. E o deputado Alencar Santana Braga (PT-SP) indagou ao ministro se são os estudantes que irão pagar o “pato” pelo erro do Inep. “Os estudantes que não viram vão sofrer por um erro da instituição que pode custar a vaga na faculdade? ”, questionou.

Caos no Enem

Para a deputada Maria do Rosário (PT-RS) este governo é uma vergonha. “É corrupto, imoral, ligado a milícia, inspirado no nazismo, ou seja, mal intencionado. Mas é incompetente também. Muitos adjetivos? Todos fáceis de serem ilustrados. Só não vê quem não quer”, provocou em publicação na sua conta no Twitter.

E o deputado Zeca Dirceu (PT-PR) destacou que não foram só 6 mil candidatos com erro na correção da prova do Enem, como sugeriu o ministro Weintraub. “São 3.935.237 candidatos que neste momento estão inseguros e descrentes no exame. O governo está tratando com descaso a educação e o sonho de muitas pessoas”, enfatizou.

Cronograma do Sisu

Mesmo com as falhas confirmadas na correção do Enem, o MEC e Inep sustentam que o cronograma do Sisu (Sistema de Seleção Unificada), que oferece vagas em universidades públicas de todo o Brasil aos participantes do Enem, não será alterado. As inscrições serão abertas amanhã (21) e serão encerradas na sexta-feira (24).

PT na Câmara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

PT propõe convocação de ministro da Saúde para explicar veto de Bolsonaro a vacina contra Covid-19

O deputado federal Rogério Correia (PT-MG) protocolou hoje (21), com o apoio de toda a Ban…