Home Portal Notícias Manchetes Gleisi Hoffmann desmonta falso moralismo e demagogia do partido Novo sobre Fundo Partidário

Gleisi Hoffmann desmonta falso moralismo e demagogia do partido Novo sobre Fundo Partidário

8 min read
0

A presidenta do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), em discurso contundente e em defesa da democracia e do financiamento público de campanha, desmontou nesta terça-feira (17), durante sessão do Congresso Nacional, o moralismo do Partido Novo sobre o Fundo Partidário. “O partido Novo vem ditar regras aqui, falando de moralidade. O Novo é o partido financiado por milionários deste País. Em 2018 seus candidatos arrecadaram R$ 43,5 milhões, um valor 40 vezes o que recebeu do Fundo Eleitoral. Com apenas 200 doadores – 200 pessoas físicas – e sem contar com o autofinanciamento o partido arrecadou 51,2% do total das receitas eleitorais, ou seja, doares que tem ganho por ano acima de R$ 1 milhão”, enfatizou.

Gleisi acusou ainda de serem esses parlamentares financiados pelos milionários que, aqui no Congresso Nacional, votam contra o Sistema Único de Saúde (SUS), votam à favor dos cortes no orçamento, que não se preocupam com os aposentados, que querem que o mercado tenha prevalência sobre o setor público.

Para Gleisi Hoffmann, os parlamentares que são financiados por milionários, por empresas, dificilmente consegue representar com clareza e altivez os interesses dos seus eleitores. “Porque em matéria conflitivas entre os interesses do eleitor e o interesse do doador, vai sempre prevalecer o interesse do doador”. Ela destacou ainda que só doa para a campanha eleitoral quem tem dinheiro. “Não doa para a campanha o pobre que ganha um, dois ou três salários mínimos, que é a maioria da população brasileira. Doa, em si tratando de pessoa jurídicas, principalmente as grandes empresas, o sistema financeiro, e isso domina a vontade daqueles que dispõe da vida do povo brasileiro e do Brasil”, lamentou.

Vontade do eleitor

Por isso, continuou a presidenta do PT, o financiamento público foi adotado pelas democracias mais desenvolvidas do mundo, para que a vontade do eleitor fosse preservada e para que ficasse claro no orçamento público quem estava financiando a campanha. “Como um operário, uma professora ou uma pessoa simples pode fazer campanha para deputado, senador ou governador se ele não tem financiadores? Por isso, nós temos distorções no Parlamento. Vem para cá a maioria dos deputados representando a minoria da população, enquanto a maioria fica aquém desta representação”, desabafou.

Gleisi Hoffmann ensinou que um dos pressupostos elementares do financiamento público é dar direito e condições para aqueles que querem disputar uma eleição e representar os setores da sociedade o possam fazer. “A outra coisa é o custo da campanha eleitoral porque o que determina o custo é o recurso que está à disposição dela”, completou.

A campanha eleitoral de 2012, segundo dados apresentados em plenário pela presidenta do PT, custou ao Brasil R$ 7 bilhões e a campanha de 2018, já como fundo público e só com a doação de pessoas físicas, custou ao Brasil R$ 3,2 bilhões. “Portanto, menos da metade. E esta campanha, ainda que fosse colocada mais dinheiro para a eleição municipal de 2020 custaria menos do que a campanha de 2012. É sobre isso que nós estamos falando. Os discursos fáceis que estão fazendo aqui, são discursos que não condizem com a real necessidade de representação do povo brasileiro”, enfatizou.

Desafio

Gleisi ainda desafiou o governador Zema, do Novo – Minas Gerais, a explicar porque mudou o discurso de campanha e tem contratado assessores e dado cargo em conselhos para secretários, por exemplo. “O discurso de vocês não se sustenta na prática. Vamos parar de fazer este discurso moralista. Nós queremos uma democracia efetiva, onde a maioria do povo possa ser representada e a maioria dos representantes tenham as mesmas condições de disputa nos processos eleitorais.  Por isso, nós defendemos o financiamento público, não temos medo, porque o financiamento público garante que as pessoas tenham condições de disputar nas mesmas condições”, conclui.

Assista o discurso da presidenta do PT:

Gleisi Hoffmann fala da importância do financiamento público de campanha

Gleisi condena falso discurso moralista e diz que financiamento público garante representação democráticaEm discurso no plenário da Câmara, a presidenta do PT, Gleisi Hoffmann, explicou a importância do financiamento público de campanha para que trabalhadores tenham condições de disputar eleições e não só quem tem dinheiro, como milionários que se autofinanciam e não querem fundo público

Posted by Gleisi Hoffmann on Tuesday, December 17, 2019

Vânia Rodrigues

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Contrariando Bolsonaro, ministro da Saúde nega guerra química e recomenda isolamento

Ministro Marcelo Queiroga evita entrar em conflito com Bolsonaro na questão da cloroquina,…