Home Portal Notícias Artigos Mentiras e ‘desequilíbrio mental’ do governo Bolsonaro comprometem futuro do Brasil, denuncia Bohn Gass

Mentiras e ‘desequilíbrio mental’ do governo Bolsonaro comprometem futuro do Brasil, denuncia Bohn Gass

5 min read
0

O deputado federal Bohn Gass (PT-RS) denunciou hoje (12), em artigo, que o Brasil, sob o governo de extrema direita Jair Bolsonaro, está governado “por pessoas mentalmente desequilibradas”. Segundo ele, “passa da hora de reconhecer – e denunciar – este perigo e lutar pela sanidade da nação. Antes que a loucura, o ódio, a mentira e o preconceito ideológico nos roubem, além do presente, o futuro”.

O parlamentar acusou o governo de distorcer todos os conceitos e ignorar a realidade dos fatos. “Neste Brasil de Bolsonaro, tudo significa o contrário do que é falado. Meio ambiente é desmatamento. Segurança é milícia e morte. Nacionalismo é entrega de riquezas nacionais e de empresas estatais a grupos estrangeiros e patriotismo é subordinação sem limites aos interesses de outros países. Democracia é ditadura e AI-5”.

Leia a íntegra do artigo:

“Sob o governo da loucura

Elvino Bohn Gass (*)

O Brasil parece estar em transe. O maior incêndio da história da Amazônia foi convocado publicamente por fazendeiros da região com direito a divulgação nas rádios locais. Quem foi preso foram jovens que combatiam o desmatamento.

Há um verdadeiro extermínio de jovens, predominantemente negros, nas periferias, e a proposta que se apresenta é a ampliação do “excludente de ilicitude” [que, como bem disse Luis Fernando Verissimo, não passa de licença para matar].

O escolhido para presidir a Fundação Palmares, destinada a promover a cultura afrodescendente, diz que a escravidão foi benéfica e que não há racismo no Brasil. O novo titular da Fundação Nacional das Artes afirma que rock é abortivo. E Caetano Veloso é associado ao analfabetismo pelo presidente da Biblioteca Nacional.

A ministra das mulheres é machista. O do meio ambiente é um vândalo ambiental. O da economia ameaça com ditadura e se torna fator de instabilidade espantando investidores.

O desemprego é uma chaga e o governo propõe taxar os desempregados. Enquanto isso, a informalidade bate recorde e chega a 41% da força de trabalho brasileira. O IBGE divulga que metade dos brasileiros sobrevive com R$ 413,00 ao mês, mas a nora do presidente diz que “perrengue” é viver com R$ 33.000,00.

Como se não bastasse, no primeiro escalão há quem veja histeria nos alertas de aquecimento global e, sem procurar muito, encontrar-se-á terraplanistas. Enquanto o mundo celebra a coragem da adolescente Greta Thunberg, o presidente a ofende chamando-a de “pirralha”.

Neste Brasil de Bolsonaro, tudo significa o contrário do que é falado. Meio ambiente é desmatamento. Segurança é milícia e morte. Nacionalismo é entrega de riquezas nacionais e de empresas estatais a grupos estrangeiros e patriotismo é subordinação sem limites aos interesses de outros países. Democracia é ditadura e AI-5.

Quando se atinge esse nível de dissociação entre palavras e seu significado, o diagnóstico é de distúrbio mental grave.  É preciso chamar as coisas pelo nome. Somos governados por pessoas mentalmente desequilibradas.

Passa da hora de reconhecer – e denunciar – este perigo e lutar pela sanidade da nação. Antes que a loucura, o ódio, a mentira e o preconceito ideológico nos roubem, além do presente, o futuro.

(*) Deputado Federal ( PT/RS) ”

(Artigo publicado originalmente no site Viomundo )

Foto: Gabriel Paiva

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Petistas representam contra presidente da Fundação Palmares por ofensas ao movimento negro e às religiões de matriz africana

O líder do PT na Câmara, Enio Verri (PR), as deputadas Benedita da Silva (PT-RJ) e Erika K…