Home Portal Notícias Pimenta denuncia impunidade de Queiroz e faz desafio à família Bolsonaro

Pimenta denuncia impunidade de Queiroz e faz desafio à família Bolsonaro

8 min read
0

O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), sugeriu hoje que o dia 4 de dezembro seja declarado como Dia Nacional contra Impunidade. A sugestão, em tom de protesto, foi feita no plenário da Câmara, por ter-se completado nesta quarta-feira um ano da divulgação do relatório do antigo Coaf que apontou movimentação atípica de R$ 1,2 milhão, em 2016 e 2017, nas contas de Fabrício Queiroz, ex-assessor do atual senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) quando este era deputado estadual no Rio de Janeiro. “Um ano de impunidade de Queiroz”, reclamou o líder.

Para Pimenta, Queiroz era um verdadeiro “PC Farias” da família Bolsonaro, já que recebia dinheiro de familiares de milicianos empregados por Flávio Bolsonaro. Esse dinheiro irrigava as contas de Queiroz para pagar despesas pessoais dos Bolsonaro, incluindo a atual primeira-dama, Michele Bolsonaro. “Era o tesoureiro da família e por isso que os Bolsonaro lutam até hoje de forma desesperada para que a sociedade não conheça a movimentação financeira de Queiroz”, denunciou o líder do PT.

Sigilo bancário

Pimenta disse que abre mão de suas prerrogativas parlamentares para ser processado pela família Bolsonaro, se o que está dizendo for mentira. Na hipótese de processo, Pimenta adiantou que os Bolsonaro terão que provar que o que fala não procede, o que pode ser feito com a quebra do sigilo fiscal e bancário de Queiroz, com toda a sua movimentação financeira nos últimos dez anos.

“Vamos quebrar o sigilo de Queiroz e provar que o que digo é verdade. Vocês (Bolsonaro) serão desmascarados junto com Queiroz, mais dia, menos dia o PC Farias da família Metralha vai cair e, junto com ele, tudo que esconde de criminoso essa família”, afirmou Paulo Pimenta. PC Farias foi tesoureiro do ex-presidente Fernando Collor e figura central nos escândalos que levaram à queda do então presidente.

Milicianos

Segundo Pimenta, o caso Queiroz é uma demonstração gravíssima de como a família Bolsonaro tem manipulado e controlado as investigações, a começar pela inação da Polícia Federal, sob comando do ex-juiz e atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. “Como milicianos pagam conta da família do presidente da República e a Polícia Federal não investiga?”, indagou o parlamentar.

Para o líder, Queiroz é o “elo” da família Bolsonaro – o presidente Jair Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ) – “com o crime organizado e o mundo institucional”.

O líder do PT observou que as investigações mostram que Queiroz recebia dinheiro de milicianos no Rio de Janeiro em suas contas e repassava para a família de Bolsonaro. Um dos acusados do assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes, em março de 2018, é o capitão Adriano Magalhães da Nóbrega, um dos chefes do “Escritório do Crime” que teria participado do atentado. A ex-mulher e a mãe do capitão Adriano trabalharam no gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio.

Elas, segundo disse Pimenta, repassavam dinheiro para Queiroz, num esquema de “rachadinha”, isto é, o dinheiro dos salários que recebiam do gabinete do então deputado ia direto para a conta do tesoureiro do Bolsonaro. “Queiroz pagou até contas da primeira-dama Michele Bolsonaro”, observou Pimenta.

Parlamentares protestam em plenário. Cadê o Queiroz?

No fim do ano passado, um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontou operações financeiras suspeitas de 74 servidores e ex-servidores da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) que revelou movimentação atípica de R$ 1,2 milhão na conta de Queiroz.

Até hoje o senador não prestou depoimento a promotores e se recusa a falar sobre o assunto quando procurado pela imprensa. Já o ex-assessor só se manifestou por escrito ao Ministério Público. Notícias da imprensa dão conta de que Queiroz vive em São Paulo, sem ser incomodado por ninguém, no bairro do Morumbi, reduto de milionários.

Veja o discurso de Pimenta na íntegra:

Leia mais:

Pimenta desafia família Bolsonaro a apoiar quebra de sigilo bancário de Queiroz
Queiroz é encontrado, mas não foi a PF que desvendou o ‘mistério’ de seu paradeiro
Escândalo Queiroz vai levar família Bolsonaro à cadeia e ao banimento da política, prevê Pimenta

PT na Câmara

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Rejane Dias e especialistas são contrários a projeto de Bolsonaro que prejudica pessoas com deficiência

Especialistas alertaram na quarta-feira (11) sobre o risco de piora no descumprimento da o…