Home Portal Notícias Ernesto Araújo é evasivo, não responde a perguntas e é criticado pelo autoritarismo do governo

Ernesto Araújo é evasivo, não responde a perguntas e é criticado pelo autoritarismo do governo

8 min read
0

A Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados (CCULT) recebeu nesta quarta-feira (27) o ministro das Relações Exteriores, Embaixador Ernesto Araújo, para tratar da política de divulgação da cultura brasileira no exterior e do papel do Instituto Guimarães Rosa. A reunião no colegiado foi comandada pela deputada Benedita da Silva (PT-RJ), presidenta do colegiado.

Durante o debate, o ministro Ernesto Araújo explicou as ações que atualmente estão sendo executadas pelos setores culturais das Embaixadas e Consulados do Brasil no exterior. Ele ainda explicou que o Instituto Guimarães Rosa será criado nos próximos dias, via decreto, com o objetivo de criar uma marca que represente a cultura brasileira no exterior. Porém, ele reconheceu que existe escassez de recursos para ampliar ações culturais brasileiras no exterior.

Logo após a explanação do ministro, a deputada Benedita da Silva perguntou quais ações específicas (programas e incentivos) o ministério tem adotado para promover a música e produções audiovisuais brasileiras no exterior. Em uma reposta genérica, Ernesto Araújo disse apenas que “a música e a produção audiovisual brasileira é prioridade do ministério, e será destaque da agenda do Instituto Guimarães Rosa”, que sequer foi criado.

O ministro também respondeu perguntas que não tratavam especificamente sobre a cultura. Ernesto Araújo, por exemplo, negou que houve invasão à embaixada da Venezuela, ocorrida há poucas semanas durante a conferência dos BRICS, em Brasília. Segundo ele, o que houve foi uma autorização de funcionários da embaixada para que entrassem no prédio apoiadores do autoproclamado presidente venezuelano, Juan Guaidó.

Invasão

Em resposta ao ministro das Relações Exteriores, a deputada Erika Kokay (PT-DF) lembrou que o próprio presidente Jair Bolsonaro reconheceu que houve uma invasão à embaixada. A parlamentar petista criticou ainda o ministro por defender uma série de palestras realizadas no exterior com apoio do ministério que, segundo o ministro, “corrigiam distorções sobre o período entre 1964-1985”, quando houve a ditadura militar.

“O senhor acha distorções da história a ditadura militar? Assim se relativiza a tortura que houve naquele período, e a ameaça que hoje sofre a democracia brasileira com a defesa do AI-5, feita pelo presidente Bolsonaro, seu filho e recentemente pelo ministro Paulo Guedes”, disse a petista.

Já a deputada Maria do Rosário (PT-RS) destacou que o atual governo, por meio da sua diplomacia, tem ferido todas os princípios que o art. 4º da Constituição aponta que devem ser seguidos pelas nossas relações exteriores. Dentre eles, citou os princípios da independência nacional e a autodeterminação dos povos.

“O que estamos vendo é uma submissão aos interesses dos Estados Unidos, principalmente ao governo Trump, que é questionado pelo próprio povo norte-americano. E o governo de Vossa Excelência tem atacado povos e governos, violando o princípio da não intervenção, estimulando conflitos por exemplo entre árabes e judeus, no caso da embaixada em Jerusalém, e o apoio ao golpe na Bolívia”, ressaltou.

Por sua vez, o deputado Paulo Teixeira (PT-SP), disse que ao ouvir o ministro fica em dúvida se Ernesto Araújo “é um diplomata ou ocupa o cargo para fazer guerra ideológica”. Como exemplo, ele leu postagens realizadas pelo ministro no Twitter criticando a eleição de Alberto Fernandéz e Cristina Kirchner na Argentina, e parabenizando a autoproclamada presidente da Bolívia, Jeanine Áñez, que segundo Ernesto Araújo “assumiu constitucionalmente o governo”.

O parlamentar ainda criticou as opiniões do ministro sobre as questões climáticas. Paulo Teixeira leu, por exemplo, postagem de Ernesto Araújo no Twitter na qual afirmou que “o aquecimento global é uma conspiração marxista”.

“Então quer dizer que é uma conspiração marxista que os ursos polares não tenham mais seus habitats? Assim com a elevação do nível dos mares, ou aumento dos extremos climáticos, com mais enchentes e períodos de seca? Isso é conspiração marxista? Barão do Rio Branco deve revirar no túmulo vendo no que se transformou a diplomacia brasileira”, lamentou Teixeira.

Em resposta ao deputado, o ministro das Relações Exteriores disse que existem artigos científicos que questionam o aquecimento global, porém não especificou quais estudos seriam esses.

 

Heber Carvalho

Atualizada às 15h50

ASSISTA

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

PT defende CPI da Covid na Câmara para apurar omissão e responsabilizar Bolsonaro por genocídio

O líder do PT na Câmara, Elvino Bohn Gass (RS), defendeu hoje (13) a criação de uma Comiss…