Home Portal Notícias Petistas querem imediata devolução da MP 905 que retira e altera direitos trabalhistas

Petistas querem imediata devolução da MP 905 que retira e altera direitos trabalhistas

5 min read
0

O líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (PT-RS), em nome da bancada, solicitou ao presidente do Senado, Senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), a devolução imediata da medida provisória (MP 905/19) à Presidência da República. O texto institui o contrato de Trabalho Verde e Amarelo, que retira ainda mais direitos dos trabalhadores brasileiros, entre eles, a cobrança de 7,5% de INSS sobre os desempregados que recebem seguro-desemprego (ver matéria em anexo).

A MP, além de criar nova modalidade temporária de contrato de trabalho que precariza ainda mais as relações de trabalho, altera substancialmente a legislação trabalhista.

O líder petista argumenta sobre a quebra dos preceitos constitucionais estabelecidos para apreciação de matérias em regime de urgência. Segundo ele, a solicitação tem por base, a competência da presidência do Congresso Nacional em dispor sobre a tramitação de medidas provisórias, “especialmente pela atribuição de impugnar as proposições contrárias à Constituição, impedindo-as de tramitar regulamente, em face do descumprimento dos requisitos constitucionais de urgência, bem como da sua condição inadmissível por conteúdo de mérito flagrantemente inconstitucional e injurídica”.

Paulo Pimenta criticou o governo Bolsonaro que, com essa postura, atropela, além da Constituição, as normas estabelecidas e previstas nas duas Casas Legislativas.

“A medida provisória 905/2019, não dispõe de qualquer sinalização que justifique o cumprimento real do requisito da urgência (art. 62, CF), obrigação constitucional imposta para a Presidência da República fazer uso dessa excepcional edição de proposição legislativa como é a medida provisória”, diz o texto.

Alterações

Entre os exemplos de aspectos inconstitucionais realçados pela injuricidade presentes na MP 905, a medida se dispõe a rever, mais uma vez, a legislação trabalhista nacional, modificando 25 leis atinentes a direitos trabalhistas, previdenciários ou relacionados a políticas relativas a trabalho e renda.  Além disso, a MP promove alterações em 59 artigos da Consolidação de Leis do Trabalho (CLT) e faz a imediata revogação em 37 dispositivos celetistas.

A MP 905 ainda afronta as convenções nº 98 e 144 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), ratificadas pelo Brasil. A primeira delas, que trata do direito de negociação coletiva que deve haver para a proteção dos direitos individuais de proteção social do trabalhador. A segunda convenção, a 144, é sobre o diálogo tripartite (trabalhadores/ empregadores/governo) “que é princípio basilar que orienta a elaboração da normatização trabalhista e que exige o prévio espaço dialógico social antecedente das mudanças sistemáticas das normas trabalhistas do país”, diz o texto do requerimento.

A Bancada do PT, portanto, solicita “a imediata devolução da Medida Provisória 905, por não atender aos requisitos formais e materiais de constitucionalidade necessário à sua continuidade e validade jurídica”.

Veja o requerimento na íntegra

Leia mais: https://jornalggn.com.br/noticia/12-pontos-para-entender-por-que-carteira-verde-e-amarela-nao-criara-empregos/

 

Benildes Rodrigues

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Incompetência do governo na correção do Enem pode prejudicar milhares de estudantes, denunciam petistas

Deputados da Bancada do PT utilizaram suas redes nesta segunda-feira (20) para criticar os…