Home Portal Notícias PT cobra do CNMP investigação de atos de Dallagnol e Modesto Carvalhosa

PT cobra do CNMP investigação de atos de Dallagnol e Modesto Carvalhosa

5 min read
0

Deputados do PT ingressaram no Conselho Nacional do Ministério Público com reclamação disciplinar contra o procurador Deltan Dallagnol e outros integrantes da Força-Tarefa da Lava Jato por atos ilícitos na criação de um fundo de R$ 2,5 bilhões com recursos públicos que os procuradores queriam gerir como se fossem privados. Os parlamentares cobram também investigação da relação entre Deltan e o advogado Modesto Carvalhosa, em razão de “direcionamento específico de dinheiro público” para beneficiar os clientes do profissional de advocacia.

O documento é assinado pelo líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), a deputada Natália Bonavides (RN) e os deputados Paulo Teixeira (SP) e Rui Falcão (SP).

Os deputados recordam que a Lava Jato contribuiu decisivamente para que a Petrobras se tornasse ré nos EUA, levando a empresa a pagar uma multa de US$ 2,9 bilhões naquele país (cerca de R$11,9 bilhões). Desse total, cerca de R$ 2,5 bilhões acabaram retornando ao Brasil: metade seria repassada aos clientes de Carvalhosa e a outra parte a uma fundação privada que seria gerida por integrantes da força-tarefa comandada por Dallagnol. O STF vetou a apropriação dos recursos públicos pelos membros da Lava Jato.

Direcionamento

 Na reclamação, os parlamentares do PT alegam que integrantes da força-tarefa “instrumentalizaram a punição da Petrobras” nos Estados Unidos por causa dos desvios ocorridos na estatal, de forma a garantir benefícios próprios e a terceiros, como os clientes do escritório de Modesto Carvalhosa. O texto menciona “o direcionamento de dinheiro público para acionistas específicos cujo advogado que seria beneficiado possuía e possui laços subjetivos com os procuradores da FT-LJ/PR”.

O dinheiro que retornou à estatal deveria ser revertido às autoridades brasileiras. “Surpreendentemente, e em patente desvio de finalidade”, diz o texto dos parlamentares do PT, “a força-tarefa costurou acordo com a Petrobras destinando 50% para a satisfação de eventuais condenações ou acordos com acionistas que investiram no mercado acionário brasileiro e ajuizaram ação de reparação, inclusive arbitragens”, até outubro de 2017.

Deltan Dallagnol, procurador do MPF na Lava Jato, foi responsável direto por uma das ilegalidades. Ele pediu à Petrobras que fizesse o depósito bilionário em uma conta de uma gráfica – sem CNPJ ou CPF. A medida faria com que o dinheiro fosse transferido para o fundo privado sem passar pelo conhecimento de seus superiores.

Leia a íntegra da representação:

Leia mais:

Pimenta: documentos comprovam que fundo da Lava Jato com EUA é crime

Bancada do PT trabalha para sustar decreto do governo federal que pode legalizar fundo bilionário da Lava Jato

Rogério Correia cobra da PGR investigação de fundo bilionário da Lava Jato articulado por Dallagnol

PT na Câmara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Pimenta desafia família Bolsonaro a apoiar quebra de sigilo bancário de Queiroz

O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), desafiou hoje (11) toda a família Bolsonaro –…