Home Portal Notícias Gleisi, Okamotto e Rodrigues: liberdade de Lula renovará força do povo

Gleisi, Okamotto e Rodrigues: liberdade de Lula renovará força do povo

5 min read
0

Conciliar a luta pela própria liberdade com a defesa do povo brasileiro não é algo inédito na vida do ex-presidente Lula. Foi assim quando foi preso injustamente pela ditadura militar em 1980; tem sido assim desde que a fase mais nefasta do judiciário nacional o levou ao cárcere político em 2018.

Mas a própria história se encarrega de justificar de onde vem tanta força para seguir adiante: primeiro pelo Brasil, depois por si mesmo. “Lula está com a consciência dos justos e com a certeza de que, cedo ou tarde, a justiça sempre acaba sendo feita (…) A liberdade de Lula vai dar ainda mais força ao povo e também muito mais desafios à militância”, avisou a presidenta Nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), que esteve com o ex-presidente nesta quinta-feira (7) ao lado de Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, e de João Paulo Rodrigues, coordenador nacional do MST.

A visita tripla, que ocorrera no exato momento em que o STF decidia sobre a questão da prisão em segunda instância, poderia ter deixado Lula desatento às demais pautas debatidas no momento em todo o País – novos retrocessos, entrega do patrimônio nacional (pré-sal), destruição de direitos e do meio ambiente. Quando se trata de Lula, no entanto, defender a soberania nacional será sempre a prioridade.

“Lula deixou claro que a primeira coisa que fará ao sair daqui será um grande pronunciamento à nação para pensar no futuro do país, da América Latina e na luta contra o neoliberalismo que está destruindo o país”, reiterou Rodrigues.

Foto: Joka Madruga

O coordenador do MST admitiu que viu Lula com certa ansiedade sobre o julgamento no STF que pode resultar em sua liberdade ao pedir que usassem o tempo da visita para falar apenas do Brasil. Rodrigues, no entanto, admitiu ele mesmo estar ansioso com a questão: “Saio dessa visita acreditando ser a última, mas independentemente disso Lula seguirá forte como sempre foi. E ainda mandou eu avisar o MST que, quando sair, será mais de esquerda do que quando entrou”.

Okamotto, por sua vez, tratou de alertar a todos que, seja lá qual for o resultado no Supremo, a mobilização seguirá ininterrupta. “Nós temos esperança que o STF julgue a questão de segunda instância que precisam ter direito de ser julgado decentemente. Se não acontecer agora, seguiremos aqui firme e forte na luta pela liberdade”, declarou.

Foto: Joka Madruga

A expectativa sobre o julgamento, prosseguiu Gleisi, não é apenas em relação a Lula. “É em relação ao Brasil. Nós queremos que Lula saia com os plenos direitos e que se respeite a Constituição. Vamos continuar lutando por isso: pela anulação do processo contra Lula e pela condenação de Sergio Moro por ter cumprido papel tão indecente de deixar um homem inocente preso e ajudar a eleger um presidente que está acabando com o Brasil”.

 

Da Agência PT de Notícias

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Solla cobra da Anvisa retorno de fiscalização em aeroportos

Membro da comissão externa da Câmara de Deputados formada para acompanhar a crise do coron…