Home Portal Notícias Organizações convocam atos contra o autoritarismo nesta terça-feira

Organizações convocam atos contra o autoritarismo nesta terça-feira

3 min read
0

Uma série de organizações e movimentos populares convocaram manifestações para a próxima terça-feira (5). Protestos já foram agendados em diversas cidades do país tendo como mote o repúdio às declarações do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ), que defendeu a possibilidade de repetir a edição de medidas que compuseram o Ato Institucional nº 5 (AI-5).

Mesmo após a desautorização pública do presidente da República e o recuo do próprio Eduardo em relação ao tema, as entidades entendem ser necessário repudiar as seguidas posturas de integrantes do governo federal e políticos próximos que flertam com o autoritarismo. Nas redes sociais, a convocatória foi feita através da hashtag #5NcontraAI5.

As palavras de ordem “Basta de Bolsonaro!” e “Justiça para Marielle” também têm sido utilizadas para a mobilização, que já tem protestos marcados em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Natal, Belo Horizonte, Goiânia, Fortaleza e Belém.

“Defender um dos períodos mais sombrios e uma das práticas mais sanguinárias da História brasileira não é só um desrespeito à memória do Brasil, mas um crime. O povo vai às ruas contra essa atitude”, defendeu a Fundação Perseu Abramo.

A Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) afirmou que as atitudes e declarações merecem o repúdio de todas os setores contrários ao recrudescimento da política em nosso país: “É preciso unir todas as forças sociais que defendem a democracia para derrotar a família de aprendizes de tiranos que governa o país. Com a democracia não se brinca!”.

Os protestos no 5 de novembro ganharam também o apoio das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, além de parlamentares da oposição ao governo Bolsonaro.

 

Por Brasil de Fato

Reprodução Site Congresso em Foco

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

PIB cai 1,5% e fracasso, enfim, sobe à cabeça de Guedes

Ministro da Economia admite agora que economia brasileira não vinha bem. “A impressão que …