Home Portal Notícias Padilha denuncia “crueldade” de Bruno Covas que autoriza vendas de terrenos públicos onde funcionam escolas

Padilha denuncia “crueldade” de Bruno Covas que autoriza vendas de terrenos públicos onde funcionam escolas

4 min read
0

O deputado Alexandre Padilha (PT-SP) usou a tribuna da Câmara nesta terça-feira (22) para denunciar a “crueldade” do prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas, que autorizou a venda de 41 terrenos da prefeitura. Não há outra coisa a dizer que não crueldade em relação ao ato sancionado pelo prefeito Bruno Covas no último sábado (12), pelo qual ele autoriza a venda desses terrenos, onde funcionam equipamentos públicos importantes como escolas públicas municipais. Uma delas, com projeto pedagógico reconhecido internacionalmente”, denunciou.

Além de protestos de pais, professores e das crianças questionando a venda dos terrenos, Padilha anunciou que já entrou com representação no Tribunal de Contas do Município, para que sejam inspecionados cada um desses terrenos. “Aquele onde houver atividade pública relevante de cuidados com as crianças, como nas quatro escolas que estão dentro deles, o terreno não poderá ser vendido”, afirmou.

“Prefeito Bruno Covas, que está mostrando o seu lado de crueldade, revogue essa decisão! Mande para a Câmara Municipal uma proposta que revogue o projeto que foi aprovado recentemente, em apenas 3 minutos”, apelou Alexandre Padilha. O deputado ainda denunciou que os terrenos foram colocados à venda sem nenhum debate.

Para o deputado do PT de São Paulo, a pretexto de recuperar as finanças da cidade de São Paulo, estão acabando com o futuro das crianças. “Isso não é bom para uma cidade como São Paulo, isso não é bom para o Brasil”.

Debate

Alexandre Padilha anunciou que está propondo que as comissões de Educação; de Cultura; de Seguridade Social e Família; de Direitos Humanos; de Desenvolvimento Urbano; e de Meio Ambiente da Câmara, realizem um grande seminário na cidade de São Paulo, para ouvir a população sobre essa decisão de colocar os terrenos à venda. “É fundamental fazer esse debate, ouvir a comunidade – coisa que Bruno Covas não fez – para nós revertermos a sua decisão”, afirmou.

Alexandre Padilha encerrou seu pronunciamento afirmando que as crianças, os adolescentes, os pais, as famílias, os projetos pedagógicos construídos nas escolas municipais ao longo de décadas não podem ser destruídos pela ganância do prefeito Covas, em querer vender esses terrenos para especulação imobiliária”. Isso nós não vamos permitir. Nós estaremos junto com a população para barrar essa venda indiscriminada de escolas das crianças na Cidade de São Paulo”, assegurou.

Vânia Rodrigues

Foto – Gabriel Paiva

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Projeto susta ato do Executivo que reclassifica nível de toxicidade de agrotóxicos

O Projeto de Decreto Legislativo 616/19 pretende tornar sem efeito o ato do Ministério da …