Home Portal Notícias Assunto mais comentado no Twitter é legado positivo de Lula na Presidência

Assunto mais comentado no Twitter é legado positivo de Lula na Presidência

10 min read
0

As grandes realizações em favor do povo brasileiro, ocorridas durante o período em Lula governou o País, é o assunto mais comentado no Twitter, no Brasil, nesta segunda-feira (21). Com a hastag, #NoTempodoLula, que ocupa o primeiro lugar no ‘Trending Topics’ (TT’s) – ranking de temas da rede social – estão sendo relembradas as conquistas econômicas e sociais dos governos Lula (2003-2010).

O líder da Bancada do PT, deputado Paulo Pimenta (RS), afirmou em sua conta no Twitter que naquela época o Brasil era respeitado e a economia do País viveu seu melhor momento. “#NoTempoDoLula o mundo olhava o Brasil com respeito e interesse pela revolução social que o governo de Lula promoveu!”, destacou. Em outro postagem, Pimenta reforça que “#NoTempoDoLula a economia do Brasil viveu o seu melhor período na história”, se referindo a pesquisa da FGV que afirma que a era Lula foi o melhor período em 30 anos da economia brasileira.

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), ressaltou que na época de Lula a preocupação maior do governo era com os mais pobres. “#NoTempoDoLula os pobres eram incluídos no orçamento, havia políticas de valorização do salário mínimo e estímulo à geração de emprego e renda e redução da desigualdade”, disse.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, deputado Helder Salomão (PT-ES), lembrou que a qualidade de vida da população era a prioridade na época do governo Lula. “#NoTempoDoLula o combate à fome era prioridade: 36 milhões de famílias saíram da extrema pobreza; 20 milhões de empregos com carteira assinada; 42 milhões ascenderam socialmente e o Brasil saiu do mapa da fome”, afirmou.

Vários outros parlamentares da Bancada do PT na Câmara também usaram as suas redes sociais para destacar os inúmeros avanços ocorridos naquele período. Leia abaixou o que os deputados petistas comentaram sobre o Brasil #NoTempodoLula:

Vida Digna

Deputado Reginaldo Lopes (PT-MG) – “Nunca vamos deixar de lembrar que #NoTempoDoLula o salário mínimo tinha aumento real, acima da inflação, o Brasil tinha muito mais emprego e oportunidades. Tínhamos respeito mundial por combater a fome e por pregar a paz no planeta. No tempo do Lula, o Brasil tinha mais futuro!”.

Deputado Bohn Gass (PT-RS) – “#NoTempoDoLula em 1º lugar. Tempo em que a vida era melhor. Salário mínimo tinha ganho real, filho de operário entrava na universidade, Brasil era respeitado no mundo, energia e médicos chegavam nos lugares mais distantes. Havia crescimento com distribuição de renda”.

Deputado Carlos Veras (PT-PE) – “#NoTempoDoLula a luz chegou a milhões de pessoas que viviam na escuridão: 15,6 milhões de brasileiras e brasileiros conquistaram o acesso à energia elétrica! ”.

Deputada Professora Rosa Neide (PT-MT) – “Eu posso dizer que #noTempodoLula o Bolsa Família era atacado. O Luz Para Todos era desprezado e o Minha Casa, Minha Vida era desdenhado. Agora, temos um governo sem projetos estruturantes e uma economia nacional sem perspectiva de crescimento”.

Deputada Maria do Rosário (PT-RS) – #NoTempoDoLula o Brasil era mais feliz. As pessoas tinham emprego, a cidadania e os direitos sociais eram respeitados e o governo tinha um projeto de desenvolvimento nacional. O Brasil merece ser feliz novamente. #ForaBolsonaro

Deputado Nilto Tatto (PT-SP) – “#NoTempodoLula o Brasil sai do mapa da fome; 18 novas universidades federais e 173 campus universitários; Brasil se torna a 6ª Economia do mundo e desbanca a Grã-Bretanha; Bolsa Família, crescimento econômico e redução da pobreza; Menor taxa de desemprego”.

Deputada Erika Kokay (PT-DF) – “#NoTempoDoLula tínhamos um humanista na presidência da República. Hoje temos um canalha fascista!”.

 

Educação

Deputada Margarida Salomão (PT-MG) – “Eu sei que #NoTempoDoLula: o investimento em Educação cresceu 400%; dobramos o número de vagas em universidades federais; compra de 37 mil novos veículos escolares; investimento em merenda escolar cresceu 300%; aumento de crianças nas escolas na faixa dos 5-6 anos”.

Deputado Rui Falcão (PT-SP) – “#NoTempoDoLula Educação era tratada como investimento e não gasto”.

Deputado Zeca Dirceu (PT-PR) – “#NoTempoDoLula a educação era prioridade. Novas universidades eram criadas a todo tempo, com investimentos gerando emprego e renda por todo Brasil. Aposta era na extensão, na pesquisa, gerando #tecnologia e #inovação para o desenvolvimento”.

 

Agricultura Familiar

Deputado Zé Carlos (PT-MA) – “Além disso, Lula garantiu ao trabalhador rural acesso ao crédito para agricultura. #NoTempoDoLula foram criados programas sociais para garantir que o pobre tivesse um prato de comida (Bolsa Família), moradia digna (Minha Casa, Minha Vida) e acesso ao ensino superior (Sisu, ProUni e Fies)”.

 

Soberania Nacional

Deputado Rogério Correia (PT-MG) – “#NoTempoDoLula Lula não venderia a Petrobras, nem a Embraer, nem destruiria a Amazônia, nem entregaria Alcântara, nem destruiria a CLT nem a aposentadoria do povo. Por isso que tá preso”.

Meio Ambiente

Deputado Waldenor Pereira (PT-BA) – “#NoTempoDoLula as mudanças legais no segmento ambiental realizadas pelo governo Lula (2003 a 2010) foram substanciais para impor ao Brasil o ritmo na busca pela consolidação de um modelo de desenvolvimento sustentável do meio ambiente”.

 

Investimentos Sociais

Deputada Natália Bonavides (PT-RN) – “#NoTempoDoLula foram aplicados R$ 638,5 bilhões em áreas como educação, saúde, previdência, assistência e outras – o que equivale a 15,5% do PIB”.

Deputado Odair Cunha (PT-MG) – “Eu posso dizer que #NoTempodoLula o Bolsa Família era atacado. O Luz Para Todos era desprezado e o Minha Casa, Minha Vida era desdenhado. Agora, temos um governo sem projetos estruturantes e uma economia nacional sem perspectiva de crescimento”.

 

Héber Carvalho

Foto: Ricardo Stuckert

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Deputados criticam revisão de formulário autodeclatório para agricultor familiar

Deputados e representantes do setor questionam o excesso de informações exigidas e critica…