Home Portal Notícias Manchetes Bolsonaro leva um chega pra lá de Trump, e Brasil é rifado da OCDE

Bolsonaro leva um chega pra lá de Trump, e Brasil é rifado da OCDE

10 min read
0

O líder da Bancada do PT, deputado Paulo Pimenta (RS), considerou que o País sofreu, hoje (10), uma das maiores humilhações da sua história de relações internacionais, com a revelação de que o governo Donald Trump (Estados Unidos) se recusou a endossar a tentativa de o Brasil ingressar na OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico). “Esse é o pagamento a Bolsonaro por ser o maior lambe-botas de Trump no mundo e querer indicar para embaixador o filho fritador de hambúrguer”, afirmou Pimenta, em sua conta no Twitter.

O deputado Paulo Teixeira (PT-SP) também considerou que o Brasil foi humilhado com a recusa dos Estados Unidos em endossar a entrada do País na OCDE. “O presidente Jair Bolsonaro concentrou esforços bajulando e entregando nossas riquezas à Donald Trump e, com agradecimento recebe essa recusa. Tem que ser muito ingênuo para acreditar em Donald Trump”, criticou, em sua rede social.

E a deputada Erika Kokay (PT-DF) indagou: “Se você está achando seu dia ruim, imagina o Bolsonaro que fez juras de amor ao Trump e recebe de volta um não dos EUA à entrada do Brasil na OCDE?”.

Segundo cópia de uma carta enviada ao secretário-geral da OCDE, Angel Gurria, em 28 de agosto, o secretário de Estado Michael Pompeo rejeitou um pedido para discutir mais ampliações do clube dos países mais ricos. “Os EUA continuam a preferir o alargamento a um ritmo medido que leva em consideração a necessidade de pressionar pelo planejamento de governança e sucessão”, afirmou a carta publicado na Bloomberg News. Ainda segundo a reportagem, a administração norte-americana indicou a Argentina e a Romênia como países prioritários em sua comunicação oficial ao secretariado da OCDE.

Convite no governo Lula

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), em sua conta no Twitter, lembrou que o Brasil foi convidado a entrar no clube dos países mais ricos no governo Lula. “E recusamos, pois não era do nosso interesse. Agora, o País, sem prestígio algum, tenta entrar e é recusado até pelos EUA, que tinham anunciado apoio a Bolsonaro”, criticou.

Na avaliação do deputado Enio Verri (PT-PR), o mundo respeita quem se respeita. “O sabujismo de Bolsonaro com os EUA não foi suficiente para o Brasil ser aceito no clube dos países mais ricos da OCDE. Apesar das promessas públicas dos EUA, o Brasil terá de esperar na fila, atrás da Argentina e Romênia”, afirmou.

E ao comentar que Trump voltou atrás e se recusa a endossar tentativa do Brasil de ingressar na OCDE, o deputado Henrique Fontana (PT-RS) lembrou que em troca desse apoio, Brasil ofereceu aos EUA acesso à plataforma de lançamento de foguetes de Alcântara, viagens sem visto para turistas dos EUA e cooperação na Venezuela.  E o deputado José Guimarães (PT-CE) completou: “Quanta humilhação para Bolsonaro. Faz tudo que o Trump quer e recebe um não como recompensa”.

Também no Twitter, o deputado Jorge Solla (PT-BA) reforçou que o Brasil foi humilhado. “Bolsonaro lambeu as botas de Trump, humilhou nosso País, retirou vantagens econômicas que tínhamos na OMC por sermos países em desenvolvimento por pedido de Trump, e como retribuição, um tapa na cara. Que vergonha!”, lamentou.

 “Puxa-saquismo”

O deputado Rogério Correia (PT-MG) afirmou que “puxa-saquismo é isso, ninguém dá valor a bajulador”. E acrescentou que os EUA abandonam Bolsonaro e não vão apoiar entrada do Brasil na OCDE. “Vão apoiar Argentina e Romênia. Jair deu uma camisa da Seleção, Base Militar de Alcântara e falou até no controle da Amazônia. Por nada!”, ironizou.

A deputada Margarida Salomão (PT-MG), também em sua conta no Twitter, enfatizou: “A gente avisou, e muito! O viralatismo do governo Bolsonaro ante Trump só nos traria vergonha. Confirmado!”. Ela acrescentou que, com Lula e Dilma o País era admirado. “Hoje, somos motivo de piada. O Brasil não merece isso. O Brasil não merece Bolsonaro”, explicou.

“Na lista de vergonhas do Brasil, os EUA, ao contrário do prometido por Trump a Bolsonaro (pelo menos ele disse que sim), barraram a entrada do país na OCDE”, destacou a deputada Maria do Rosário (PT-RS) em sua rede social.  Ela ainda observou que entraram Argentina e Romênia, “cujos PIBs são, consecutivamente, 10 e 4 vezes menores do que o do Brasil”.

O deputado Airton Faleiro (PT-PA) ironizou: “E aí presidente Jair Bolsonaro? Seu amiguinho roeu a corda, foi? Vai continuar plantado nos corredores esperando a hora para apertar a mão de Trump?”.

O deputado Nilto Tatto (PT-SP) ressaltou que essa era uma das maiores apostas da política externa de Bolsonaro. “Especula-se que ele (Bolsonaro) seguirá batendo continência à bandeira americana”, ironizou.

Os deputados petistas Alexandre Padilha (SP), Afonso Florence (BA), Beto Faro (PA), Bonh Gass (RS), Carlos Veras (PE) Célio Moura (TO), Helder Salomão (ES), João Daniel (SE), Joseildo Ramos (BA), Natália Bonavides (RN), Reginaldo Lopes (MG) e Rui Falcão (SP) também usaram suas redes para criticar a subserviência de Bolsonaro e a vergonha que o Brasil passou com a falta de apoio para ingressar na OCDE.

Vânia Rodrigues

 

 

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Petistas destacam vitória de Evo Morales na Bolívia

Parlamentares da Bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara usaram as redes sociais ne…