Home Portal Notícias Bohn Gass critica redução da abrangência do Bolsa Família

Bohn Gass critica redução da abrangência do Bolsa Família

4 min read
0

O deputado Bohn Gass (PT-RS) criticou em plenário, nesta terça-feira (1º), a política social do governo Bolsonaro, que reduz a abrangência do programa Bolsa Família, aumentando o número de famílias que aguardam na fila o acesso ao benefício. “Aos poucos, de maneira disfarçada, o governo Bolsonaro vai fazendo o que sempre quis, mas nunca teve coragem de assumir, acabar com o Bolsa Família, o maior programa social do Brasil”, lamentou.

Bohn Gass disse que tem muita gente precisando entrar no programa sem que o governo atenda. “Isso (a procura pelo Bolsa Família) é lógico num País de economia parada e com 50 milhões de pessoas sem emprego, fazendo bico e desalentadas”, argumentou.

“E o governo faz o quê? Usa o velho discurso da crise dos governos incompetentes”, enfatiza o deputado do PT gaúcho, ao citar que o governo Bolsonaro já “parou as universidades, destruíram a pesquisa e congelaram a saúde”. Agora, continua Bohn Gass, dizem que estão no limite. Preparam o terreno para, ali na frente, dizer: acabou”. O deputado citou ainda o alerta feito pelo economista Marcelo Neri, da FGV, de que enfraquecer o Bolsa Família não compensa, porque sem ele, o Brasil terá ainda mais custos com saúde, a pobreza aumenta e a economia fica ainda menor.

A informação de que o Bolsa Família encolheu e voltou a ter fila depois de quase dois anos é do ministro Osmar Terra (Cidadania), em reunião recente na Comissão Mista de Orçamento do Congresso e foi divulgada hoje (1º), em matéria no jornal Folha de S.Paulo. Ainda segundo a reportagem, o Bolsa Família está funcionando no limite do orçamento para este ano. Até agosto foram gastos R$ 20,9 bilhões —uma média de R$ 2,6 bilhões por mês. Com esse ritmo, o dinheiro reservado —R$ 29,5 bilhões— pode não ser suficiente até o fim do ano.

Neste ano, a cobertura do programa chegou a 14,3 milhões de famílias em maio; desde então, registra seguidas quedas —foram 13,5 milhões em setembro.

O Bolsa Família, criado no primeiro mandato do presidente Lula em 2004, é o carro-chefe dos programas sociais do governo e atende a pessoas extremamente vulneráveis. Podem receber o benefício famílias com renda mensal por pessoa de até R$ 89, ou de até R$ 178 se houver criança ou adolescente de até 17 anos. A média do valor recebido é de R$ 188,63, segundo dados de agosto. Quase metade das famílias está no Nordeste.

 

Vânia Rodrigues

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

TCU determina que Ministério da Saúde apresente plano estratégico de combate à pandemia

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou nessa quarta-feira (21), que o Ministério d…