15 min read
0

Um discurso que provocou vergonha pelo despreparo e ignorância, e também pelas mentiras, teorias conspiratórias, informações falsas ou distorcidas, além de ataques gratuitos a personalidades, instituições e países. Na avaliação dos deputados da Bancada do PT na Câmara, em mensagens postadas no Twitter, esse foi o resumo do discurso proferido na manhã desta terça-feira (24) pelo presidente Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York.

O líder da Bancada do PT, deputado Paulo Pimenta (RS), disse que “Bolsonaro levou todo o esgoto de fake news e teorias da conspiração da extrema direita para a Assembleia Geral da ONU”.  “Definitivamente, ele não tem vergonha de fazer o Brasil passar vergonha!”, afirmou.

O líder condenou ainda a defesa que Bolsonaro fez na tribuna da ONU da ditadura militar. “Um presidente do Brasil, em 2019, usa a tribuna da Assembleia Geral da ONU para justificar a ditadura iniciada com um golpe militar em 1964. Inacreditável! Ultrajante!”, condenou.

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), também ressaltou o “vazio de ideias” do discurso de Bolsonaro na ONU. “O discurso de Bolsonaro na ONU foi vazio como ele. Não trouxe nada de concreto e se resumiu a uma guerra ideológica contra governos, ONGS, militantes e a imprensa. Não apresentou nenhuma solução para o desmatamento na Amazônia. Um completo vexame”, criticou.

 

Leia outras declarações dos parlamentares sobre o discurso de Bolsonaro:

 Discurso sem conteúdo e recheado de fake news

Deputado Helder Salomão (PT-ES), Presidente da Comissão de Direitos Humanos – “Movido a ódio, fake news, teorias da conspiração e mentiras, inclusive, a respeito do que acontece na Amazônia. Assim foi o vergonhoso discurso de Bolsonaro na ONU. Minúsculo e vexatório!”.

Deputada Benedita da Silva (PT-RJ), Presidenta da Comissão de Cultura – “A CBF enviou uma moção de agradecimento ao presidente Bolsonaro. A partir de agora, os brasileiros não lembrarão mais da derrota para a Alemanha como o maior vexame que essa nação já passou”.

Deputado Paulo Teixeira (PT-SP) – “Paranóia: Não há outro nome para esse blá-blá-blá conspiracionista sobre Foro de São Paulo e comunismo. Se Jair Bolsonaro se preocupasse em gerar empregos como se preocupa com os devaneios de Olavo de Carvalho, a situação do Brasil seria diferente”.

Deputado José Guimarães (PT-CE) – “Bolsonaro mostrou seu total despreparo na ONU, usou um espaço importante para atacar líderes indígenas, atacar a esquerda e a mídia, mais do mesmo, não agregou em nada, só criou mais confrontos”.

Deputado Pedro Uczai (PT-SC) – “Que dia triste para o povo brasileiro. Que discurso vergonhoso e mentiroso. O Brasil não merece isso”.

Deputado Marília Arraes (PT-PE) – “O povo brasileiro tem vergonha de Bolsonaro. O mundo tem vergonha dele”.

Deputado Henrique Fontana (PT-RS) – “O discurso de Bolsonaro na ONU apequena e envergonha o Brasil. A quantidade de atrocidades ditas pelo presidente sela o destino do Brasil: seremos nanicos institucionais pelos próximos 4 anos”.

Deputada Maria do Rosário (PT-RS) – “O novo Brasil que Bolsonaro diz estar construindo em seu discurso é na verdade o Brasil da ideologia do ódio, da morte e da ignorância. A fala de Bolsonaro na ONU foi do tamanho da sua significância: pequeno”.

Deputada Erika Kokay (PT-DF) – “Bolsonaro diz que ‘ideologia’ invadiu terreno da cultura, educação e da mídia. A pretensa ‘neutralidade’ de Bolsonaro é pura ideologia radical de extrema-direita!”.

Deputado Odair Cunha (PT-MG) – “O discurso de Bolsonaro na ONU foi uma demonstração clara de paranoia e ignorância. Criticou ONGs, a imprensa nacional e internacional, dados científicos e ainda mentiu, descaradamente, usando sua arma favorita: as fake news”.

Deputado Carlos Zarattini (PT-SP) – “A cara de pau com que Bolsonaro mentiu e buscou manipular fatos no seu discurso na ONU foi inacreditável. Ele usou tribuna da ONU para justificar ditadura de 64, atacar países, mentir contra PT, atacar indígenas e lançar fake news”.

Deputado Paulão (PT-AL) – “Bolsonaro é uma vergonha para o Brasil em todo o mundo”.

Deputado Rogério Correia (PT-MG) – “Convenhamos, ele nunca decepciona. A capacidade de falar bobagens e envergonhar o Brasil não tem limites. Ir à ONU e discursar fazendo elogios à ditadura e mentindo descaradamente sobre a Amazônia mostram isso”.

Deputado Joseildo Ramos (PT-BA) – “Bolsonaro ignora toda informação que contradiz o que ele quer vender como verdade. Para ele, a mídia, mesmo que baseada em dados científicos, mente. É uma pena que o mundo que apenas pensava que tínhamos um governo imbecil, agora tem isso como certeza”.

Deputado Reginaldo Lopes (PT-MG) – “Bolsonaro não discursou para Assembleia Geral ONU. Parecia que já estava no Tribunal de Haia, defendendo-se dos crimes contra o Brasil e a humanidade”.

Deputado Padre João (PT-MG) – “Já percebeu que toda vez que faz uma aparição internacional, Bolsonaro agrava a situação do País?”.

Destruição da Amazônia e ataques aos direitos indígenas

Deputado Nilto Tatto (PT-SP) – “Neste momento #BolsonaronaONU fala da exploração mineral em território Ianomami, dizendo que há muitos metais preciosos em um território do tamanho de Portugal, com poucos indígenas. Ele acabara de falar do comprometido com o meio ambiente. Não dá para ser mais contraditório”.

Deputada Professora Rosa Neide (PT-MT) – “Discurso raso e sem nexo entre as frases. O ápice é dizer que os povos indígenas vivem de Bolsa Família. Paremos por aqui”.

Deputada Margarida Salomão (PT-MG) – “Bolsonaro diz que quer reconquistar a confiança do mundo para o Brasil. Faz isso emitindo sinais de fumaça. Queimando a Amazônia”.

Deputado Alencar Santana Braga (PT-SP) – “Bolsonaro falando na ONU que os índios são responsáveis pelas queimadas já é a nova piada mundial”.

Deputada Erika Kokay (PT-DF) – “Canalha: Bolsonaro mente ao mundo dizendo que queimadas na Amazônia foram provocadas por índios e populações locais. Mentira! O “dia do fogo” foi promovido por ruralistas atrasados e criminosos ambientais que ele apoia e aplaude!”.

Deputado Bohn Gass (PT-RS) – “Bolsonaro mente para o mundo. Na ONU, diz que seu governo tem tolerância zero com os crimes ambientais. De fato, porém, o governo dele desmontou e enfraqueceu os organismos de fiscalização ambiental”.

Deputado Airton Faleiro (PT-PA) – “Despeito e hipocrisia. Bolsonaro tem a cara de pau de dizer que o cacique Raoni não representa os povos indígenas brasileiros e que é usado pelas potências estrangeiras para prejudicar o País. E o que ele diz sobre utilização por parte do seu governo da indígena Kalapalo?”.

Deputado Marcon (PT-RS) – “Bolsonaro diz na ONU que a culpa dos incêndios na Amazônia é dos índios e que a nossa floresta não é um patrimônio da humanidade. Entra para a história como o discurso mais ideológico e lunático da história”.

Deputado Assis Carvalho (PT-PI) – “Culpar as vítimas (os índios) pelas agressões que sofrem, negar a verdade que está escancarada na cara de todo o mundo, difundir fake news descaradamente foi o que Bolsonaro fez na ONU”.

Ataques a outros países

Deputado Carlos Veras (PT-PE) – “A incoerência predomina no discurso de Bolsonaro na ONU. Ele ataca Cuba e Venezuela e depois fala em respeito entre as nações. Falta respeito, sobra desunião. Será que ele sabe que está nas Nações Unidas?”.

Deputado João Daniel (PT-SE) – “Ao invés de levar a posição do Brasil para cooperar com o mundo, buscar oportunidades e ajudar a nossa diplomacia, Bolsonaro deve provocar protestos e crises com os outros países. É vergonha que chama?”.

Deputada Natália Bonavides (PT-RN) – “Agora, na Assembleia Geral da ONU, o presidente do Brasil começa falando da Venezuela e de Cuba. Depois afirma que a responsabilidade pelas queimadas na Amazônia é de comunidades indígenas”.

Deputado Valmir Assunção (PT-BA) – “Bolsonaro escancara para o mundo toda a sua insignificância. Falou do que não conhece ao atacar Cuba, cujo índice de Educação e Saúde é um dos melhores do mundo. É como se falasse para robôs de redes sociais e não para líderes mundiais”.

 

PT na Câmara

Montagem: PT na Câmara

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Fenaj denuncia agressões a Vera Magalhães e escalada autoritária do governo Bolsonaro

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) alerta a sociedade, mais uma vez, para a sanh…