Home Portal Notícias Vitória da população LGBT: conceito de família não será restrito, decide STF por unanimidade

Vitória da população LGBT: conceito de família não será restrito, decide STF por unanimidade

5 min read
0

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu por unanimidade, na última quinta-feira (12), que o conceito de família não pode ser restrito a uniões heterossexuais. A corte concluiu o julgamento de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) apresentada pelo Partido dos Trabalhadores que questionava a lei distrital 6.160/2018, que estabelece a “Política Pública de Valorização da Família no Distrito Federal”.

O PT argumentou na ADI que a lei viola uma série de princípios constitucionais, como a dignidade humana, a não discriminação, a igualdade e a isonomia e a proteção a todos os núcleos familiares existentes na sociedade brasileira, conforme já havia definido o próprio STF.

A deputada Erika Kokay (PT-DF), que sugeriu a ação ao partido, diz que a lei distrital, ao definir família como “a união entre um homem e uma mulher”, afrontava a Constituição Federal.

“Além de restritiva e preconceituosa, a lei feria diretamente a Constituição e os princípios da dignidade e da diversidade humana”, diz a parlamentar, que preside o PT no Distrito Federal e considera a decisão do Supremo uma vitória contra o fundamentalismo.

O deputado José Guimarães (PT-CE) comemorou o posicionamento do STF. “Muito bem, na hora de cobrar impostos ninguém pergunta a sexualidade de ninguém. Todos os brasileiros são sujeitos de direitos. ADI 5971, movida pelo PT contra Lei Distrital, que visou restringir o conceito de família. A decisão vale para todo o Brasil!”, escreveu Guimarães em sua conta no Twitter.

Para o líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (PT-RS), esta foi uma vitória contra o obscurantismo. “A decisão do STF que inclui no conceito de família as uniões homoafetivas é um grande avanço para o nosso processo civilizatório e uma derrota do obscurantismo. Viva à luta da população LGBT!”, destacou Pimenta.

A secretária nacional LGBT do PT, Janaína Oliveira, parabenizou o PT-DF pela “iniciativa de impedir que o conservadorismo atue contra a cidadania” e celebrou a decisão da Suprema Corte. “Trata-se de uma vitória importante, para que não se retroceda em direitos fundamentais já garantidos. Considerando as várias tentativas de se criar leis e decretos que buscam promover a exclusão da população LGBT. Nada vence o amor e viva as famílias LGBT!”, disse a dirigente.

Histórico

Na ação, o PT lembrou que o projeto de lei foi integralmente vetado pelo então governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), por entender que a iniciativa violava a competência legislativa, privativa da União, para legislar sobre Direito Civil, prevista no artigo 22 da Constituição Federal. Entretanto, o veto governador foi derrubado pela Câmara Legislativa do Distrito Federal e a lei foi promulgada em junho de 2018.

O autor da lei foi o deputado distrital Rodrigo Delmasso (PRB).

Confira o texto original da ADI do PT:

ADI-LGBT (PDF – 805 Kb)

Rogério Tomaz Jr.

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

Mujica critica “prisão injusta” de Lula em ato de campanha no Uruguai

Neste sábado (19), no último ato do seu partido na campanha para as eleições do Uruguai, o…