Home Portal Notícias Procuradores da Lava Jato tramaram derrubada de ministro do STF

Procuradores da Lava Jato tramaram derrubada de ministro do STF

5 min read
0

Em novas revelações da Vaza Jato trazidas pelo colunista Reinaldo Azevedo, da rádio BandNews, a procuradora Thamea Danelon, cotada pelo futuro procurador-geral da República, Augusto Aras, conta a Deltan Dallagnol que foi procurada pelo advogado Modesto Carvalhosa para redigir pedido de impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes.

“O Professor Carvalhosa [Modesto Carvalhosa, advogado] vai arguir o impeachment de Gilmar. Ele pediu para eu minutar para ele”, disse Danelon em conversa com Dallagnol, que respondeu: “Sensacional Tamis! Manda ver”.

Em sua rede social, o líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta (RS), afirmou que Dallagnol, Thaméa Danelon e a maior parte da LavaJato “rasgaram a Constituição e Todos os códigos de ética e de conduta do Ministério Público, do funcionalismo público e dos princípios fundamentais do Direito”.

Como destaca Reinaldo Azevedo, a atitude esperada de Dallagnol, como responsável pela operação Lava Jato, seria a de exonerar a procuradora por cometer um ato ilícito, não a de estimular o “suporte”. A atuação seria ilegal porque a procuradora da República, funcionária da União, “passa, na prática e por baixo dos panos, a atuar a serviço de um advogado”, segundo Azevedo.

De acordo com o jornalista, o comentário foi feito por Thamea com certo espanto, utilizando-se de emojis de “susto”, mas Dallagnol tratou de tranquilizá-la e dar o caminho das pedras. “Fala com o pessoal do RJ que tem tudo documentado quanto à atuação do sócio da esposa”, disse ele. Deltan Dallagnol ainda sugere que pode revisar o pedido, mostrando certa desconfiança na atuação da procuradora, cogitada pelo novo PGR Augusto Aras, para coordenar a Lava Jato nacionalmente durante seu mandato.

“Criminosos”

Vários parlamentares da Bancada do PT também condenaram a atitude de Dallagnol e da procuradora Thamea Danelon. Entre eles, o deputado Zeca Dirceu (PT-PR) que foi taxativo em seu Twitter: “Criminosos. Agiam nas sombras, sempre tramando contra alguém e sempre cientes de suas ilegalidades”, afirmou.

O deputado Carlos Zarattini (PT-SP), também em seu Twitter informou que a procuradora Thaméa Danelon, do MPF de SP, “simplesmente armava com Dallagnol”, segundo denúncias da Vaza Jato, um impeachment contra o ministro do STF Gilmar Mendes. “E isso vai ficar por isso mesmo?”, cobrou.

E o deputado Rogério Correia (PT-MG) destacou que a procuradora fala a Dallagnol sobre uma “petição ilegal que faria para advogado privado”. E Deltan, “inacreditavelmente, diz: ‘Sensacional, manda ver, apoiadíssima’. CPI nesta turma já!”, defendeu.

Em busca de provas

Deltan Dallagnol já admitiu ter atuado com o objetivo de promover impeachment de Gilmar Mendes, buscando, irregularmente, provas na Suíça. Em conversas, o procurador já chegou a taxar Gilmar como “brocha institucional” após o ministro criticar as 10 medidas contra a corrupção, defendidas pelo coordenador da Lava Jato.

PT na Câmara com Revista Forum

 

Carregar mais notícias
Comments are closed.

Vejam também

João Daniel denuncia que regularização fundiária proposta por Bolsonaro acentua injustiça agrária

A preocupação com a medida provisória (MP 910/19), editada esta semana pelo governo federa…